Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta, 20 de maio de 2022.
(Próxima edição: terça dia 24 de maio.)
https://www.espacovital.com.br/images/jus_azul_especial_cigarra_2.jpg

O que há em comum entre o carinho de Denis Abraão e a final da Libertadores?



Foto de Paulo Franken / Google Imagen

Imagem da Matéria

A pergunta acima vale 80 milhões de reais para o acertador da resposta. Na verdade, bem mais de 80. O Grêmio foi a Salvador (BA) e fez um novo fiasco. Um jogo melancólico. Um jogo vadio. Safado. Um jogo proxenético.

Atento, ouvi o nosso profeta da bola, Denis Abraão dizendo: “Poxa, levamos os jogadores de avião fretado, colocamos-lhes no melhor hotel, melhor café, fizemos reuniões, lhes fizemos todo o carinho e, no jogo, vimos a apatia”.

Confesso que senti compaixão com o sincericídio do Denis. Falo sério. Voltava de um aniversário em que assisti o jogo e disse à D. Rosane: “Deixaram o Denis na fogueira. Os jogadores forneceram os fósforos”.

Bom, fecham-se as cortinas e voltemos ao jogo Palmeiras x Flamengo. Claro, o Flamengo, preguiçoso, arrastava-se em campo. Renatiando. Do verbo “renatiar”. Atrasando a bola para o goleiro. Trocando passes inúteis. Igualzinho ao Grêmio. Quem faz rachão, não treina. Resultado? Palmeiras campeão, tinindo, mordendo, jogando como se fosse a última partida. Com sangue nos olhos.

O Palmeiras ganhou 125 milhões por ser campeão. Os jogadores viram a bola e enxergaram um prato de comida. Já os jogadores do Grêmio, preguiçando em campo, acabaram de jogar fora 80 milhões de contrato de TV, com o Grêmio na segundona. Há muitas rodadas conspiram para rebaixar o time. Não se é incompetente sem esforço.  

Eis a diferença: um quer ganhar; o outro quer perder e nem se importa. Pobre do nosso profeta Abraão. Esforçou-se.  E foi engolido por uma tempestade perfeita, cujos componentes denunciamos há tanto tempo.

Na verdade, Denis foi a Salvador acompanhado de mais um diretor e o presidente. O restante da direção, antes sempre pródiga em frequência a regabofes e pajelanças, quedou-se em Porto Alegre. O pobre do profeta Abraão ficou no sacrifício. Que feio deixarem um parceiro no limbo.

Voos fretados, melhores hotéis, salários acima da média, 400, 500 mil facinhosfijjjjjgadinhas na panturrilha, forçar cartão para não viajar, chinelinho, reuniões de sindicato, conspirações para derrubar técnico...

Ah: lembremos que os 4 x 0 para o Athletico do Paraná podem ser, ao fim e ao cabo, exatamente o número de pontos que poderia evitar a queda. Os jogadores perderam para derrubar Tiago.

Segunda divisão terá tudo isso? Eis a pergunta de 80 milhões ou mais. Tem uma música horrorosa com o seguinte refrão: “Diz aí fulano o que é que você vai fazer? Vou varrendo, vou varrendo, vou varrendo”...

A torcida pergunta: “Diz aí  ô direção o que vai fazer, agora que a vaca está com os quatro pés atolados? E, pior, o que vai fazer ao ir, definitivamente, para o brejo da segunda divisão? Vai varrendo, vai varrendo...


Mais artigos do autor

Arte EV sobre imagem Camera Press

O Grêmio e a Teoria do Medalhão

 

O Grêmio e a Teoria do Medalhão

Machado de Assis escreveu no Século 19 a Teoria do Medalhão. O Grêmio do Século 21 tem rebaixamentos, goleiros frangueiros que custaram uma fortuna, amigos contratados a peso de ouro, associação de jogadores formando mini sindicatos. Tem Douglas Costa, tem Rafinha, tem simuladores de lesões, tem os que forçam cartão, tem os chapa-brancas, os amigos dos amigos...