Ir para o conteúdo principal

Espaço Vital, sexta-feira, 26.11.
(Próxima edição: terça-feira, 30.11)
https://www.espacovital.com.br/images/jus_azul_especial_cigarra_2.jpg

Descobrimos a fórmula de atribuição das notas de Zero Hora!



Foto: Divulgação/PNG Tree/ArteEV

Imagem da Matéria

O título deste J.A. também podia ser “MANCHETE DA IVI: Novo esquema do Inter é encantador!”.  Ou “O Novo Esquema Goleiro-Linha”!

New Line Goalkeeper! Por que ninguém pensou antes isso? Jogar com goleiro-linha. Senti um nítido desconforto do goleiro Lomba. A bola estava já no ataque e, como em um passe (sic) de mágica, voltava para ele.

Gostei demais do novo esquema do Inter. Que dure muito. Senti firmeza. É algo como um 5+3+2+1-10=1=zero.

By the way: falei ontem com dois cientistas da Universidad Matocagao IV que vêm a Porto Alegre. Dizem eles que seus informantes já estão dizendo que o próximo passo é Lomba jogar de centroavante fincado. É o retro-ludopedismo-epistêmico-avançado.

Também o pessoal da faculdade de jornalismo esportivo da famosa Scheisswald Universität (Alemanha) vem a Porto Alegre. Missão: estudar a nova teoria futebolística implementada pelos jornalistas da Zero Hora que avaliam os jogadores do Inter e do Grêmio.

Sabe-se que a epistemologia é uma criação moderna (quer dizer, do século XV para cá). Trata-se da discussão das condições de possibilidade pelas quais um sujeito (intérprete-jornalista) atribui sentidos (Sinngebung) ao mundo (quer dizer, ao desempenho de atletas). Ludo-epistemologia III, essa é a disciplina que já sendo ministrada na Alemanha.

É a “teoria das equivalências confortantes abjurantes elevada(s) ao paradigma do bayesianismo: a probabilidade total” (aqui uma dúvida: é a teoria que é abjurante ou as equivalências confortantes que são abjurantes?). Hum, hum.

De todo modo, vejam como funciona (haverá um intensivo ministrado pelos dois jornalistas da Zero Hora que atribuem as notas; mas o líder será Felipe, que avaliou o Gre-Nal).  Eis a fórmula: 

formula

E essa fórmula explica como Lomba (o line goalkeeper) recebeu a mesma nota que Breno no jogo da Páscoa. A fórmula explica.

Vejam, agora, a fórmula utilizada pelo jornalista Felipe Duarte para explicar a equivalência das notas para Leo Pereira (quem deu o passe para o outro Leo fazer o “goal” e Guerreiro, que fez nada em campo. Vejam a teoria das equivalências condicionantes aplicada:

G (Z-JN) = LP + G2 x IVI + JI.~^: 5,0 = SN

G: Guerreiro – Jogou 0 = Jogar Nada
LP (Leo Pereira) + Passe para o Golaço
IVI (Imprensa Vermelha Isenta) + Jornalismo Isento (o ponto em lógica=conjunção) (~ = com amor) pelo Vermelho (na lógica, o v fica invertido)
Resultado: nota 5 para Guerreiro e SEM NOTA para Leo Pereira.

Pulitzer! Pulitzer! Pulitzer!

No mais, a dialética (não vou mostrar aqui a epistemologia que me levou a dizer essa palavra) demonstra que o Grêmio estava errado em não apostar em jogadores como Ferreirinha. Não sou profeta do passado. Os gremistas não-chapa brancas falávamos disso de há muito.

Querem que eu demonstre, com uma fórmula, por que é bom apostar em jovens? Se quiserem, mandem cartas. Eu faço.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Arte EV sobre imagem Camera Press

O Grêmio e a Teoria do Medalhão

 

O Grêmio e a Teoria do Medalhão

Machado de Assis escreveu no Século 19 a Teoria do Medalhão. O Grêmio do Século 21 tem rebaixamentos, goleiros frangueiros que custaram uma fortuna, amigos contratados a peso de ouro, associação de jogadores formando mini sindicatos. Tem Douglas Costa, tem Rafinha, tem simuladores de lesões, tem os que forçam cartão, tem os chapa-brancas, os amigos dos amigos...

Foto de Mourão Panda

Grêmio fez o primeiro banho de descarrego!

 

Grêmio fez o primeiro banho de descarrego!

“Veio o bispo Mancini e começou a exorcizar o retranquismo felipenho. Muita água benzida e uma coisa simples: jogar futebol. Sem chutão e balão para a área” (...) Entrementes, surge o Movimento Grêmio é de Todos/1903. E uma psiquiatra me alerta sobre “a sociedade secreta dos treinadores de futebol´”.