Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, sexta-feira, 16 de abril de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 20).
https://www.espacovital.com.br/images/leitores.jpg

Há advogados que estão de joelhos, ante a crise que acomete a classe



Imagem capitalsearch.com.br

Imagem da Matéria

Sobre “Advogado/a versão 2021”

  • “Eu concordo com o que a colega Simone escreveu. Realmente estamos à  mercê sabe-se lá do que. Parece que tudo gira em torno da letargia, imoralidade, tirania de gestores públicos. E lamento O que poderá ser o extermínio profissional de muitos colegas, mas tenho fé que isso não acontecerá, até mesmo porque a advocacia é minha única fonte de sustento. A luta é diária. Entendo também que a OAB está olhando para quem está de pé neste momento, fechando os olhos a aqueles colegas que estão de joelhos”.

(ass.) Juliano Spall Portela, advogado.

  • “Decorrência do longo tempo em que não podemos exercer nossa profissão de forma plena, nada mais justo - e necessário - que a OAB atue em prol de seus advogados, reduzindo o valor da anuidade”.

(ass). Marinês Fronza Morbini, advogada.

  • “Sensacional seu texto, Dra. Simone! A OAB não está auxiliando os advogados. O correto seria que, durante a pandemia, a anuidade fosse suspensa. Mas...”

(ass.) Marcelo Vilani, advogado.

  • “Dra. Simone, assim como a sua decisão, muitos de nós teremos que adotá-la, agindo da mesma forma em relação à anuidade”.

(ass.) Luiz Carlos T. Bones, advogado.

Sobre “A ministra Rosa, o personagem de Cervantes e o Colorado”

  • “Perfeito o texto de Roberto Siegmann. É o exato perfil da Rosa que eu conheço - e admiro - desde os tempos da faculdade, duas turmas depois da minha; ela laureada e casada com o Telmo, meu colega de turma”.

(ass.) Walter Jobim Neto, advogado.

  • “Creio que o articulista tem razão quando afirma que a Dra. Rosa não impediria o acesso aos processos. Todavia, quem não facilitou o acesso não andou bem: criou um manto de desconfiança, de uma atitude protetora à autoridade judicial. Se os processos são públicos, a atitude de funcionários do TRT-4 que atenderam à ocorrência representou desrespeito à Constituição Federal (publicidade, em regra, de qualquer processo seja de que natureza for) e ao CPC que também segue a mesma diretriz”.

(ass.) Marco Aurélio Moreira Bortowski, advogado. 

Sobre “As ações trabalhistas contra a ministra Rosa”

  • “É a aquela máxima da ´Pimenta no ... dos outros é refresco´. A ministra certamente está sentindo o que é ser vítima da justiça que ela mesma sempre defendeu. Enquanto continuar esta quantidade de conflitos trabalhistas no Brasil , a decorrência será cada vez menos empregos e menos empreendedores. É o Brasil andando para trás”.

(ass.) Antônio Carlos Kerber Pinho, empresário hipossuficiente.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Camera Press

  As ações trabalhistas contra a ministra Rosa

 

As ações trabalhistas contra a ministra Rosa

  • Considerando que a magistrada é oriunda da Justiça do Trabalho, deve agora estar sentindo aquilo que afeta os empregadores alvo de reclamatórias absurdas”.
  • Participação dos leitores Lúcia Maia, Gelmir Reche, Carlos Alberto Janotti, Cristiano Nygaard Becker, Eliza Nunes, Alini Noal, Luiz Mário Seganfreddo, Rosa Maria Frapporti, Rejane de Souza, Claudio Pinheiro, Luizinho Miguel Balen e Cristian D´Ávila Assmann.

Montagem EV sobre foto Dreamstime

O que virá depois do "auxílio-saúde"?

 

O que virá depois do "auxílio-saúde"?

  • Breve estaremos pagando à elite do funcionalismo público do RS o "auxílio psiquiatra" para a superação do excesso de trabalho...
  • Vem aí a cura para derrotar o vírus "Immobilis 19/20/21: descoberta a vacina "Vergonha na Cara".
  • Participação dos leitores José Mário De Boni, Flávio Luís Lemos da Silva, Matilde Duarte de Gonçalves, César Augusto Hülsendeger, Rogério Teixeira  Brodbeck, Wolmir Roberto Bee, Simone Serafini, Martaisa Correa da Silva, Dorvalino João Uez e Helenilton Nonato.

nissin.com.br

    Sobre “Uma receita de miojo picante que não comoveu Alexandre de Moraes”, etc.

 

Sobre “Uma receita de miojo picante que não comoveu Alexandre de Moraes”, etc.

  •  Desde quando juízes leem petições?
  • A banalização de posturas injuriosas que afeta a credibilidade da justiça é causada por juízes.
  • A baixa qualidade de
  • Onde está nossa amada, idolatrada e feroz cobradora de anualidades, a OAB?
  • Participação da jornalista Jurema Josefa e dos advogados Juarez Onofre Venning, Eliel Karkles, Simone Maria Serafini, Gustavo Davila, Paulo Ortega, Maurício Antonacci Krieger, Audi Marli Antunes, Alex Jung e Ciro Castilho Machado e do auditor César Augusto Hülsendeger.
  • A juíza do Trabalho que chegou às 11h para a audiência das 9h, na Quarta-Feira de Cinzas.

Imagem: Google - Edição EV

A pomba que “acertou” cabeça e paletó da autoridade...

 

A pomba que “acertou” cabeça e paletó da autoridade...

  • Jornalista Jurema Josefa revela curioso incidente ambiental, quando desembargador foi visitar a Cia. Jornalística Caldas Júnior.
  • Os cuidados com o “home office”.
  • A coragem da advogada Bernadete Kurtz, ao verberar que o TRT-RS está “brincando com a advocacia”.
  • A absurda aposentadoria de R$ 17 mil para um ex-funcionário do CF-OAB.
  • Elogios ao artigo “A incidência da proteção do CDC sobre as seguradoras”.
  • Participação dos leitores César Augusto Hülsendeger, Maria Elisa Dexheimer Pereira da Silva, Karlla Patricia, Silvia Lopes Burmeister, Virginia Barbagli, Caroline Mandracio Pereira e Franklin J. M. Cunha.