Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 27 de novembro de 2020.

Ministro do STJ aparece sem as calças durante julgamento



Reprodução YouTube

Imagem da Matéria

Uma imagem surpreendeu quem acompanhava a sessão de julgamentos da 6ª Turma do STJ, na última terça-feira (20). Em dado momento, o ministro Néfi Cordeiro apareceu sem as calças durante a transmissão.

As imagens teriam sido gravadas por um advogado mato-grossense, que assistia a sessão. Mais tarde, elas foram postadas no Youtube sem alarde inicial, começando a viralizar a partir da tarde desta quinta-feira (22).

O flagrante só foi possível porque Néfi Cordeiro levanta da cadeira e põe-se a mexer no celular. As imagens não são muito nítidas - estão com baixa resolução - mas percebe-se que o ministro está de toga; sob esta, ele veste uma camisa social branca e gravata listrada em dois tons de cinza.  (A cueca seria bege, ou cinza claro).

Rapidamente, ao perceber que estava ao vivo, o ministro senta novamente. E a normalidade é retomada.

Na transmissão, os contornos da toga do ministro aparecem borrados não por uma edição, mas porque se tratava de um plano de fundo virtual (estante de livros do aplicativo Zoom). Quando há movimento, essa imagem fica alterada.

Com um celular nas mãos, escrevendo mensagens, Cordeiro parece não prestar atenção no que dizia o colega de Turma.

Alguns órgãos de imprensa de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro pediram, via assessoria de comunicação do STJ, que o ministro se manifestasse. A resposta foi a de que o ministro “tem ciência de que esse vídeo está circulando por redes sociais, mas não irá se manifestar a respeito”.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Foto: Nelson Jr./STF

Nunes Marques toma posse como novo ministro do STF

 

Nunes Marques toma posse como novo ministro do STF

Primeiro indicado por Jair Bolsonaro, o ex-desembargador do TRF-1 substitui Celso de Mello, que se aposentou após 31 anos no Supremo. Com 48 anos de idade, o recém empossado pode ficar no Supremo até 2047. E - mantida a normalidade - será presidente da Corte em setembro de 2030.