Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre,sexta-feira, 5 de março de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 9).

Condenação cível de grupo que fraudou benefícios previdenciários



Decisão da 3ª Turma do TRF-4 confirmou a condenação de primeira instância de seis réus - proferida na 1ª Vara Federal de Santa Rosa (RS). Os acusados, via apelação, reiteraram o questionamento sobre as provas apresentadas pelo MPF em ação civil pública.

O processo cível foi embasado em um inquérito civil público em foi apurado que Clair Maria Gluszczak, então servidora do INSS, em atuação conjunta com Elizandra Rigo, Irani Maria Morari, Loni Lucila Biedler, Sandra Guiomar Biedler e Vilson Hilario Rigo, inseriu informações falsas sobre endereço e renda de pretensos beneficiários no sistema da autarquia.

Os dados eram obtidos através de abordagem de idosos brasileiros residentes na Argentina. Os acusados se apropriavam dos valores previdenciários, que eram posteriormente divididos entre eles.

O grupo já foi possui condenação em segunda instância na esfera criminal por esse mesmo caso (Ação Penal nº 5001934-31.2012.404.7115).

As penas na ação civil pública

Os seis réus terão que ressarcir os danos causados ao erário

- Clair Maria Gluszczak: R$ 328.562,78;

- Sandra Guiomar Biedler: R$ 98.519,27;

- Loni Lucila Biedler: R$ 16.836,65;

- Elizandra Rigo: R$ 47.491,39;

- Irani Maria Morari: R$ 8.981,92;

- Vilson Hilario Rigo: R$ 41.549,26.

Os réus também foram condenados às seguintes penas: perda do cargo público, suspensão dos direitos políticos, proibição de contratar com o Poder Público e pagamento de multa civil em valor correspondente até o dobro do acréscimo patrimonial indevido.

Não há trânsito em jugado.(Proc. nº 5003446-15.2013.4.04.7115 - com informações do TRF-4).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Gratificação por desempenho pode variar também para aposentados

O TRF da 4ª Região uniformizou jurisprudência. A gratificação por desempenho - recebida por servidores da ativa e incorporada por aqueles servidores aposentados pela 3ª Emenda Constitucional nº 47/2005 - não se confunde com a integralidade do salário destes, e sua redução não viola direito.

TRF-4 nega desaposentação para filiados de associação gaúcha

A ATAPPAF/RS, sediada em Passo Fundo (RS), havia ajuizado ação civil pública contra o INSS, em outubro de 2014, obtendo sentença de procedência. Mas o tribunal regional aplicou decisão do STF proferida em caso com repercussão geral.

Homem ‘muda’ de sexo para se aposentar cinco anos antes

Sergio - que passou a se chamar Sergia - é acusado de usar a Lei de Identidade de Gênero em benefício próprio. O caso que ocupa muitos espaços na mídia da Argentina abre, também, uma discussão no Brasil, depois do recente julgamento do STF: com que idade se aposentarão aqui os transexuais?