Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
https://www.espacovital.com.br/images/jusazul.jpg

Um acepipe e um constrangimento



Edição EV sobre foto Camera Press

Imagem da Matéria

O campeonato gaúcho é um acepipe. Ou um cafezinho. Pode ser grande coisa ganhar o Gauchão. Mas é ruim pra burro perder o Gauchão.

O Caxias foi bravo. Ganhou três vezes do Grêmio no campeonato. O Grêmio ganhou três vezes do Inter.

Qual é o busílis? É o seguinte: o Grêmio, ganhando seguidamente do Inter, esconde suas contradições e suas falhas. Exatamente isso. A sobrevivência do Grêmio se deve, paradoxalmente, às vitórias contra seu rival maior, mas isso mascara seus defeitos. Onde está a solução, está o problema, parafraseando Heidegger.

Por isso, agora, os focos são o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Libertadores. Sem mimimi de que vai poupar no Brasileirão. Jogadores tiveram cinco meses de férias. E ao que se viu, estão fora de forma. Cansados...

O Inter – e a comparação é inevitável – está lá na frente. Talvez o time vermelho, se estiver bem na frente, poupe jogadores onde o Grêmio jogará suas fichas. A ver.

Sempre se diz que Gauchão é engana trouxa. Pode ser. A favor do Grêmio é que é a única taça em 2020. Só ele ganhou. Contra: o perigo em achar que isso é uma coisa que possa justificar “coisas” mais à frente.

Nós, gremistas, devemos ficar de olho. Não podemos admitir folga de jogadores. Se Renato ameaçar poupar, teremos que constranger. Fazer constrangimentos ludopédicos. E para isso, esperamos contar com o apoio dos chapabranquistas.

Como não temos a imprensa a nos ajudar – e isso é fato, porque a IVI já acha que Inter será campeão – temos de nos unir, gremistas. Mas não unir no apoio cego tipo Coreia do Norte, dizendo amém a tudo o que Renato disser e fizer. Unir para impedir tomada de estratégias erradas.

Post scriptum 1: Diori se supera

O comissário Diori, da CIA-Comentaristas Isentos de Arbitragem, deveria escrever logo o livro “Pensamentos de Diori”. Será um sucesso. É muita “ludo epistemologia”. Nem sempre ele aparece na ZH para falar da arbitragem. Só escreve quando está “inspirado”.

Para iluminar o mundo esportivo comparece com pérolas como “o árbitro acertou nas duas anulações, mas errou em uma”. Algo assim. É que é tão complexo que é difícil reproduzir. Na verdade, se eu conseguisse reproduzir o que diz Diori eu seria genial como ele. Depois daquela “O Musto não deveria ser expulso” e da pérola “Segurou mas não segurou” (Veranópolis), o que mais se pode dizer?

Post scriptum 2 - Homenagem

Em louvor à memória de Beto Campos, técnico campeão gaúcho pelo Noia e seu filho William, hoje técnico do F.C. Santa Cruz, estou me engajando na luta pela realização dos campeonatos do acesso e demais divisões.

Estou absolutamente solidário com os times da divisão de acesso e outras divisões. É discriminatório o que estão fazendo. Além de desumano. A FGF deveria se envergonhar de ser assim seletiva. Gauche-elitista.

 

Comente esta matéria

O Espaço Vital terá satisfação em receber seus comentários. Use o formulário A PALAVRA DO LEITOR, logo abaixo,  e dê sua opinião.

 


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Gre-Nal, desconfortos, dois gols e o espelhamento da IVI

“Visível o desconforto do capitão Reche comentando o Gre-Nal no SBT. Seu time perdeu de novo. Reinava no estúdio um mal-estar da modernidade (...) E aproveitem para ouvir dois gols na voz vermelha de Ítalo Gall.”