Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
https://www.espacovital.com.br/images/jusazul.jpg

Extra! Macedônio diz que vem para o Grêmio... mas só com cláusula específica!



Montagem de Gerson Kauer sobre foto A.N.A.

Imagem da Matéria

Quando se vê um jogo ruim como Grêmio X Vasco é de pensar: qual é o propósito do time de Renato? Fazer esse papel medíocre quem vem apresentando, sem tesão, burocrático?

Quatro empates até agora. Perda de 8 pontos. Perda, mesmo, de oito! Viva! Estamos invictos. Como Pirro, às portas de Roma: mais um empate desses e estaremos lascados. É a  “vitória” de Pirro!

O que dizer de um ex-jogador em campo? Qual é a intenção de Renato insistindo com um jogador bichado como Tiago Neves? Só uma cláusula específica (apud Alex Bagé) que explica esse Tiago no banco e, pasmem, em campo também.

Jogo tão ruim que o árbitro deu só três minutos de acréscimos ao final e...ninguém reclamou. O time do Grêmio estava louco para que o jogo acabasse.

Inegavelmente vivemos de comparações. E o Inter está bem melhor. Objetiva e subjetivamente. Tem a vontade de jogar. E a vontade de vencer.

Um exemplo da preguiça ludopédica é o pênalti que Diego Souza bateu contra o Corinthians.  Tomou um passo de distância. Ora, falei com treinadores de goleiros que disseram: simples. Quando um jogador não toma distancia, é porque baterá colocado. Isto quer dizer que o goleiro não arriscará o canto. Esperará. E se for um goleiro grandão e pegador de pênaltis, uma batida como a de Diego Souza é a crônica de um erro anunciado.

O pênalti de Diego Souza é sintoma. De um time broxante.

Não sei qual será o discurso dos chapabranquistas para justificarem a perda de oito pontos.

O ruim também foi assistir alguns jogadores que esqueceram de comparecer ao jogo. Além de Tiago Neves, Pepê não foi ao jogo e Jean Pierre passeou em campo, de forma leniente.

E por pouco não perdemos para Felipe Bastos. Bah. Seria a inglória.

E parece que o Grêmio empilha contratações duvidosas. Repetições de erros. É o fator Kleber-André-Tiago Neves, a turma do chinelinho e quejandos. E desde 1996 que não ganhamos um campeonato nacional.

De todo modo, sugiro a contratação de um jogador que despontou no campeonato argentino, Macedônio Fernandez. Um poeta! 

Como Matheuzinho também estava irreconhecível, lembrei-me de (novo de) Macedônio Fernandez em carta ao seu amigo Jorge Luís: “Desculpe-me por não ter ido ontem à noite à sua casa. Eu estava indo, mas sou tão distraído que, no caminho, lembrei-me de que havia ficado em casa”.

O Grêmio estava indo aos jogos - esses em que empatou - só que, no caminho, os jogadores e seu treinador lembraram que tinham ficado em casa!

Ah: o craque Macedônio, baita meia-armador, mandou dizer que vem, mas tem de ter a mesma cláusula de Tiago Neves.

Com a palavra, o Grêmio!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Gre-Nal, desconfortos, dois gols e o espelhamento da IVI

“Visível o desconforto do capitão Reche comentando o Gre-Nal no SBT. Seu time perdeu de novo. Reinava no estúdio um mal-estar da modernidade (...) E aproveitem para ouvir dois gols na voz vermelha de Ítalo Gall.”