Ir para o conteúdo principal

Edição Extra, interrompendo, em 11.1.2020, as férias da Equipe Espaço Vital
https://www.espacovital.com.br/images/romance_forense.jpg

Doces amores grenalizados



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Por Carlos Alberto Bencke, advogado (OAB/RS nº 7.968)

Advogado, bem apessoado, cinquentão, sem preocupações com as contas no fim do mês, pai amoroso de um casal de adolescentes e coloradíssimo resolve consultar um saite especializado em buscar doces relacionamentos sem compromisso. A “agência” - digamos assim - garante.

As adocicadas meninas gostam deste tipo de homens: eles têm vida estável, amam seus filhos, querem manter o lar doce lar com a esposa comportada. Mais: tais homens têm contas bancárias ´PJ´  que permitem manter um açucarado relacionamento mais jovem. Bom negócio para ele e para ela, selecionada por suas fotos no saite: loira, alta, cabelos em cachos, olhos profundamente verdes e o corpo... bem, o corpo nem se fala. Parecia saído da academia há dois minutos. Linda, seu nome, e linda ela era.

Acertado o preço mensal, alugado o apart-hotel, os encontros eram frequentes, manhã, tarde ou noite de qualquer dia e até sábados ou domingos quando tinha jogo do Inter. Ele estava satisfeitíssimo com os serviços prestados por ela. E pagava tudo religiosamente, como aconselhava o acordo entre eles.

Uma quarta-feira à noite, após o jantar à luz de velas, sentaram-se na frente do televisor para assistir o Gre-Nal. De repente, a dócil e melosa Linda deixa escapar um huuuuu quando um jogador do Grêmio perde um gol; ele desconfia. Em seguida, também escapa um q... m... quando o jogador do Inter quase faz o gol. E ele mais desconfiado ainda.

E quando o gol do Grêmio acontece, ela salta do sofá e vibra intensamente. Até sapeca um beijo no companheiro, mas ele está quieto, sem reação. Nem espera o fim do jogo e vai embora.

Nunca mais apareceu no apart-hotel, nem pagou as contas, nem o aluguel, nem o salário de Linda, sua linda companhia contratual que bons serviços lhe prestara. Daí para a cobrança no Juizado Especial Cível foi um passo.

Na audiência, ele - em causa própria - não diz uma palavra. Ela, exuberante, pernas sedosas cruzadas. O juiz leigo olha para aquele monumento de mulher e pergunta:

- Doutor, posso saber qual a razão para o senhor deixar de pagá-la pelos serviços prestados?

- Não tem problema lhe contar: esta moça é gre-mis-ta - diz separando as sílabas para enfatizar. Não posso conviver com uma gremista, mesmo que faça jus ao nome e seja linda, muito linda. Quanto eu tenho que pagar?”

E pagou ali mesmo, na hora. O processo foi arquivado.

Uns dias depois a rádio-corredor da OAB analisou sobriamente: “A rivalidade Gre-Nal atrapalha, às vezes, até mesmo os mais doces casos de amores clandestinos”.

E não se fala mais nisso.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Ilustração de Gerson Kauer

Imprevistos, intimidades e extravagâncias

 

Imprevistos, intimidades e extravagâncias

O casal havia se separado e, depois disso, o ex-marido teria ameaçado a esposa, o que os leva ao fórum para a resolução da pendenga. De repente surge sobre a mesa da sala de audiências. De repente, surge na cena um sugestivo artefato erótico de silicone. É o maranhão...

Ilustração de Gerson Kauer

Jogo de palavras

 

Jogo de palavras

O sucesso do famoso advogado Doutor Oidivo, que muito agradou aos integrantes da câmara julgadora do Tribunal de Justiça. Mas, até hoje, seu abonado cliente está em dúvidas se venceu a causa, ou se perdeu. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.

Ilustração de Gerson Kauer

O Benedito que não existia

 

O Benedito que não existia

Sabe onde o diabo perdeu as botas? Pois é... Benedito nasceu ali pertinho. O pai, mal conheceu. Da mãe, tinha lembrança nenhuma. Não foi registrado, também não foi batizado e nunca estudou em escola. Mas tinha o permanente sorriso de um dente só. Como sanfoneiro, alegrava as noites escuras e serenas do longínquo distrito onde morava.

Ilustração de Gerson Kauer

“Faz-quase-tudo”

 

“Faz-quase-tudo”

Nas duas empresas coligadas - uma produtora de vídeo & uma corretora de seguros - a secretária era obrigada a assistir e palpitar sobre cenas previamente gravadas em motéis e montagens de vídeos pornôs. “Era um abuso, doutor!” - desabafou a trabalhadora, em seu depoimento na audiência da ação trabalhista.

Imagens: Freepik - Montagem: Gerson Kauer

Confusões no gravador

 

Confusões no gravador

O estupro de Mariana Ferrer - que virou celeuma pelos atropelos verbais durante a audiência em Florianópolis  - trouxe à baila um anterior acontecimento envolvendo outro jovem magistrado. Este - recém concursado e chegado na comarca interiorana - deparou-se com a ação penal de um suposto estupro. Envolvia o filho de rico empresário da cidade e uma linda modelo. Aproveite para ver e ouvir “Anos Dourados”, versos de Jobim, na voz de Gal Costa.