Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 25 de setembro de 2020.

Band RS critica o prefeito de POA por dar informações em primeira mão à RBS



Conversa Cult - Charge de Claudio Munoz

Imagem da Matéria

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior anunciou, na quarta-feira (22), a retomada das atividades da construção civil para o dia seguinte (quinta, 23). O chefe do Executivo municipal, no entanto, revelou as informação a uma empresa de comunicação específica, o Grupo RBS, durante uma entrevista ao jornalista Daniel Scola, da Rádio Gaúcha. O episódio desagradou aos profissionais da Band RS, que se posicionaram durante o Band Cidade da última quarta-feira.

As informações são do saite Coletiva - especializado em cobertura dos meios de comunicação social.

No Band Cidade, após o apresentador Sergio Stock noticiar as medidas de flexibilização adotadas pela Prefeitura, a sua colega de bancada, Lúcia Mattos, falou, ao vivo:

"Ao contrário do que manda a seriedade e a isonomia - que um bom gestor público tem que ter - o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan, decidiu fazer um anúncio desta importância a um veículo de comunicação específico".

Na sequência, a jornalista afirmou que o correto seria que o prefeito Marchezan tivesse convocado uma entrevista coletiva, com todos os veículos de imprensa da cidade.

"Ele decidiu dar essa informação, primeiro, para um veículo, desrespeitando todos os outros e todos os outros jornalistas", continuou Lúcia.

Ela relembrou, também, que Marchezan dera uma entrevista de 10 minutos, no dia anterior, para o Band Cidade: "Mas, veja bem, prefeito, nós não queríamos que o senhor tivesse dado essa informação antes para nós, porque nós não compactuamos com esse tipo de privilégio para ninguém" - disse Lúcia.

Para finalizar, a profissional da Band RS afirmou que todos os profissionais da empresa são a favor da isonomia. "Todos, absolutamente todos, os veículos de imprensa e todos os jornalistas merecem respeito, o que não ocorreu neste episódio", finalizou.

O diretor-geral da Band RS, Leonardo Meneghetti, também enviou - ao saite Coletiva - o seguinte posicionamento:

"O prefeito Marchezan, que é um bom gestor público e tem se esforçado pelo melhor para Porto Alegre, cometeu um erro. O episódio feriu a isonomia de tratamento aos veículos. Mas acontece, ainda mais numa época como esta que vivemos. Tenho certeza que a Prefeitura irá rever estas situações para que não se repita este tipo de privilégio. O episódio não significará nenhuma interferência na nossa linha editorial. Marcamos nossa posição e o episódio está superado".

Contrapontos

O Grupo RBS, ao ser procurado pelo portal Coletiva, confirmou, através de sua assessoria de comunicação, que a entrevista foi concedida, mas que ela poderia ter sido realizada em qualquer espaço.

"Nessa quarta-feira (22), o prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan fez uma ´live´ no YouTube com o comunicador do Grupo RBS Daniel Scola (em formato de entrevista) e anunciou algumas medidas para a cidade relacionadas à crise do coronavírus" - posicionou-se a empresa.

A Prefeitura de Porto Alegre não aproveitou a oportunidade de contraponto que lhe foi oferecida.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Reprodução - OABPR.org.br

Moro tem nova inscrição na OAB, mas continua impedido de advogar

 

Moro tem nova inscrição na OAB, mas continua impedido de advogar

 

  • Ex-juiz cumprirá "quarentena" até 25 de outubro, antes de assumir atividade advocatícia ou emprego no qual possa se valer de informação privilegiada.
  • TRF-2 pune juiz Marcelo Bretas por participar de ato com Bolsonaro.
  • Castigo na Indonésia para quem não usa máscaras: 12 horas cavando túmulos.
  • TRT-RS alerta sobre e-mails falsos.
  •  Condenação de motorista que ameaçou auditor da Receita Federal

14 milhões de pessoas deixaram o grupo dos mais pobres no Brasil

  • Estudo da FGV Social traz uma explicação para o aumento da popularidade de Bolsonaro entre os mais pobres.
  • TRF-1 extingue a punibilidade de Genoíno, Delúbio e Valério por falsidade ideológica.
  • TRT-RS retoma processo seletivo de estagiários. Vagas para estudantes de 16 cursos.
  • Contribuição previdenciária patronal não deve incidir sobre salário-maternidade.
  • STF decide ser inexigível cobrança antecipada de ICMS, via decreto. Caso é oriundo de Porto Alegre.

STF vai adquirir 45 pistolas automáticas para segurança dos ministros e da corte

  • Armas são de fabricação austríaca e são preferidas por policiais por sua confiabilidade, simplicidade, velocidade de disparos, discrição e pequeno porte.
  • Sindicato pode atuar como substituto processual de apenas um trabalhador.
  • Procon multa iFood em R$ 2,5 milhões. Cuidado ao passar o cartão de crédito a entregadores.
  • Doleiro Dario Messer é condenado a 13 anos de prisão.
  • Tribunal autoriza serviço externo a motorista do Uber condenado por adulteração e receptação.

Datafolha: Bolsonaro tem a melhor avaliação desde o início do mandato

  • Presidente chegou a 37% de aprovação, número que estava em 32% há dois meses. E sua rejeição teve queda de dez pontos no período, de 44% para 34%. Maior crescimento relativo foi no Nordeste.
  • Ministro do STJ revoga prisão domiciliar de Queiroz e esposa.
  • Operadora não é obrigada a fornecer plano de saúde individual.
  • Flamengo obtém liminar que impede a CBF de entregar a 'Taça das Bolinhas' ao São Paulo.