Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
https://www.espacovital.com.br/images/201811081626490.jpg

Drury´s: zero a dois



Arte EV sobre imagem do Google

Imagem da Matéria

  Zero a dois

Um potim inicial, antes de adentrar na importância do Gre-Nal.

Ouvi e li muitas vezes nos locais onde passei ao longo da minha vida, a seguinte frase: “FALSIFICAR PASSAPORTE PARAGUAIO É COMO FALSIFICAR DRURY´S.

Lembrei disso ao tomar conhecimento ontem (5) do rolo - tal qual tabuleiro de xadrez - em que se meteram um ex-craque do futebol brasileiro e seu irmão-empresário.

 Um Gre-Nal histórico

Não bastasse o fato de ser o primeiro Gre-Nal na história das disputas da Libertadores, temos as circunstâncias que antecedem o jogo, tornando-o ainda mais especial.

O Internacional vinha se apresentado “travado”, sem desenvolver um bom futebol. Passamos pela Pré-libertadores em jogos nervosos e com resultados apenas suficientes para avançar. O nosso treinador havia avisado que caso classificado, o time se apresentaria mais solto e mais ofensivo.

Pareceu-me muito promissoras a garra e a aplicação demonstradas pelos jogadores nas duas oportunidades anteriores, quando completamos as partidas com um jogador a menos. Compreendi que o grupo estava se consolidando e o treinador detinha o protagonismo diretivo.

Pois veio o primeiro confronto, com a Universidad Católica e que me perdoem os mais pessimistas: foi uma outra equipe.

Não apenas o resultado de 3 x 0 foi exuberante como fundamentalmente a forma de jogar. Finalmente não vi o time do Internacional renunciar de atacar o adversário. Os números da partida falam por si. Tivemos aproximadamente 70% de posse de bola, com nove chutes a gol, contra 0 do adversário.

Guerrero, a nossa maior esperança de gols, voltou com tudo. Depois da parada, ele havia apresentado um déficit de capacidade no momento da conclusão. Parece que voltou calibrou o chute, daí os dois importantes gols que fez. E Marcos Guilherme fez o que todos desejávamos: marcou o dele.

Não há dúvidas de que a equipe, como um todo evoluiu e que Coudet hoje conhece muito mais o plantel e as suas possibilidades. Firmou a sua convicção tática e possui uma ideia de escalação. Gostei dela.

As vezes o imponderável, as circunstâncias, abrem espaço para o novo. Esse parece o fato mais importante da partida, depois do resultado.

Mas e o Gre-Nal? Hoje já é possível sentir o clima em Porto Alegre. Há incontáveis torcedores vestindo a camiseta de um e de outro. Nas ruas, nos bares e nos shoppings já é Gre-Nal!

Sabem o que é preciso para ganhar o Gre-Nal? Muito foco e aplicação. Quem errar menos ganhará o clássico e o resultado poderá ser amplo em desfavor do derrotado.

O resultado do Gre-Nal passado não foi justo, pois no momento do gol sofrido o Internacional com um homem a menos, atacava volumosamente o adversário. Não há dúvidas de que quem ganhar o Gre-Nal encaminhará muito bem o seguinte, também pela Libertadores e o próximo pelo Gaúchão.

Será uma overdose de emoções, nos próximos três confrontos. Depois, no Brasileirão, mais dois Gre-Nais. Muita calma, muita paz e alguns tranquilizantes. Vamos lá!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Eu olho e não vejo nada!

“No lado vermelho um time de baixa qualidade e com forma enigmática de jogar. Coudet já teve tempo suficiente para trabalhar, mas os resultados não aparecem. No lado azul brilha a rescisão de Thiago NevesR$ 1,9 milhão por dano moral por ter sido mandado embora”...

Imagem EV propositalmente invertida.

O Gre-Nal dos desesperados

 

O Gre-Nal dos desesperados

“A água está batendo no nariz dos dois técnicos. A direção, o treinador e os jogadores do Inter porque não têm o direito de não tentar  ganhar. E o treinador do rival porque insiste em não reconhecer a realidade de que o seu time não é mais o que foi”.