Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira ,06 de dezembro de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/jus_azul_caricatura_2.jpg

Delação premiada a favor do Flamengo



ARTE EV SOBRE FOTO DE MATT JEPPSON/SHUTTERSTOCK

Imagem da Matéria

1. Síndrome do Rabo Regenerativo

Ter o rabo preso só não será um problema se você tiver rabo de lagartixa. É o caso da IVI – Imprensa Vermelha Isenta. Ela é algo que não ec-xiste. Nem os chapa-brancas gremistas admitem que ela ec-xista. Porque chapa-branca sempre está de butuca para ganhar alguma coisa... Logo, sempre é oficialista.

Mas não quero falar dos CBs. Quero falar de outra sigla, a IVI. Domingo ela se entregou. Fez delação premiada. Não leu, o pau comeu. Disseram que foi pênalti. E se entregaram.

Explico. O juiz Raphael Claus marcou pênalti claramente contra a nova regra. Decisão ´contra legem´. Tanto é que Sandro Meira Ricci e Sálvio Espíndola disseram na hora: “Não foi pênalti”. Mas o preclaro rábula do ludopedismo, Claus, negou-se a consultar o VAR. Depois teve lance parecido a favor do Grêmio e...”esse-lentíssimo” juiz de novo não consultou o VAR-À M...!

Onde está o busílis, professor Lenio? Respondo. Simples: a imprensa daqui (leia-se, por toda ela, a da Rádio Gaúcha) disse que foi pênalti. Eis aí a prova de que IVI existe, sim. Entregaram-se. Delação premiada! Das duas, uma: ou não leram ou de fato torciam pelo Fla. ´Tertius non datur´.

Sorte da IVI é que ela tem o Gene do Rabo Generativo. Amanhã cresce um novo. E assim por diante. E você, gremista NCB (não chapa-branca) ainda vai recitar o mantra “isso de IVI não ec-xiste”? Cartas para a redação.

2. Jogo deve ser anulado – juridicamente falando

Um jogo de futebol só pode ser anulado quando há erro de direito. Isto é: quando o juiz desconhece a lei. É isso que se chama de erro de direito, não só no futebol como na própria área jurídica. Qualquer advogado formado na UNINada ou UNIZero sabe disso.

No caso do pênalti a favor do Flamengo, nitidamente o rábula ludopédico Claus não sabia da nova instrução. Ou se leu, não entendeu.

Burrice? Os narradores e comentaristas gaúchos também não. Só que esses não necessitam saber. Quem deveria saber da alteração da regra era o tal de Claus. Como ele não consultou o VAR, presume-se (presunção aqui é ´jure et jure´ e não ´juris tantum´) que desconhece.

Consequência: anulação do jogo. Por erro de direito. Simplinho assim. Não há erro de direito mais claro do que esse. E talvez não haja mais explicitação do que seja a IVI do que isso. De novo: a IVI fez delação e se entregou.

3. A manchete “portuguesa”

Manchete do saite do Grêmio dá tese de doutorado: “Com um único gol, Grêmio é superado”. Depois: “Com o resultado, o Grêmio não soma pontos”. Não! Não me diga!

Perdeu e não somou pontos? As palavras são terríveis, pois não?

A linguagem é um pharmacon, diz Platão. Remédio ou veneno. Renato escalou um time ofensivo. Correto. Ofensivo. Eu, particularmente, senti-me muito o-fen-di-do com André (para dizer pouco). Parole, parole!

Em tempo - Sigam meu twitter: @streckgrêmio

 


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Charge de Gerson Kauer

Vândalos impunes e a IVI sob nova direção

 

Vândalos impunes e a IVI sob nova direção

(1) “Por que os bagunceiros que vão aos estádios para esculhambar, agredir, e até atirar contra o helicóptero da BM, têm seus nomes mantidos em sigilo?” (2) “O novo comandante da IVI da Avenida Ipiranga é Thiago Cerqueira, que se notabilizou por ironizar o Grêmio”.