Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira ,06 de dezembro de 2019.

O inédito e imparcial sorteio



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Numa das mais retiradas comarcas de entrância inicial, o juiz chega ao fórum para o expediente da tarde e verifica que há muitas audiências na pauta. Após a terceira, aí pelas 16h30, a escrivã informa sobre a presença, no corredor, de um casal – eram dois irmãos, soube-se mais tarde – que queriam falar “um assunto particular, urgente”.

O magistrado informa que os atenderá, mas pede que esperem “um pouco mais”, pois ainda há duas audiências a realizar. Os irmãos resolvem aguardar. Já por volta das 18h, os visitantes são autorizados a adentrar ao gabinete. O juiz convida para que sentem. O senhor visitante, de nome Pedro - uma pessoa de jeito simples, mas de feições que denotam o bem – explica:

- Doutor, não temos mais pai. Só está viva nossa mãe, muito enferma no hospital. Ela só tem nós dois de filhos. Talvez, não chegue viva até amanhã.

Procurando abreviar o rumo da conversa, o juiz – já pensando que viria alguma pretensão de medicamentos a serem providos pelo Estado - retruca:

- Não sou médico, mas digam em que posso ajudar, dentro do que esteja ao alcance do Judiciário.

Ato contínuo, é a senhora – chamaremos de Maria, de cândida aparência - quem fala:

- Doutor, meu irmão e eu nos damos bem, temos nossas casas independentes, moramos bem distantes no interior. O impasse é que eu desejo que o velório de minha mãe ocorra na minha residência. Mas o meu irmão Pedro também quer que seja na casa dele. Viemos aqui, para que o senhor resolva.”

Não há processo em andamento, mas um problema esperando por uma decisão humana. O juiz fica perplexo, mas, propõe:

- A mãe de vocês ainda vive. O detalhe pode ser deixado para resolver depois do óbito...

Os dois respondem a um tempo só:

- Não, doutor, tem que ser agora!

Diante da situação, o magistrado pondera que só há uma solução possível: “Fazer um sorteio”.

Os dois aceitam. A escrivã é chamada. Escreve os papeluchos com os dois nomes, busca uma caixa de papelão e chama o estagiário para o sorteio imparcial.

Final da tarde do dia seguinte, a escrivã informalmente cientifica o juiz sobre o falecimento da provecta genitora dos dois visitantes. “Os atos fúnebres estão sendo realizados na casa de Maria - tal como decidido no inédito e imparcial sorteio” – arremata a servidora.

>>>>>

(Sintetizado a partir de um relato do juiz Onaldo Rocha de Queiroz, publicado em “Justiça Além dos Autos”, livro editado pelo Conselho Nacional de Justiça).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

Generosidade de mãe

 

Generosidade de mãe

O advogado gaúcho jubilado, já setentão, e sua esposa, pouco mais de 60 de idade, viajam ao Rio de Janeiro para visitar o filho (que se prepara a concurso para ingresso no MP), a nora e o neto. E na confusa capital carioca passam três noites no apertado apartamento.

Charge de Gerson Kauer

O amor é cego?

 

O amor é cego?

A primeira audiência você nunca esquece! A surpresa do novel juiz, na tarde inaugural de suas audiências na comarca. Por que, afinal, o homem de 45 de idade, trocou a esposa de 43 por uma idosa muito feia, 17 anos a mais de idade. A escrivã contou o importante detalhe que não estava nos autos.

Charge de Gerson Kauer

Serviços (in) eficientes de cama

 

Serviços (in) eficientes de cama

Depois do ajuste verbal, a extensão do programa sexual combinado não atende à expectativa do fazendeiro. Ele resolve então sustar o cheque que, antecipadamente, fora entregue à percanta. A questão foi parar no Juizado Especial Cível. Acompanhe a evolução e conheça o desfecho.

Charge de Gerson Kauer

A piscada do juiz

 

A piscada do juiz

A surpresa durante a audiência de uma ação de usucapião. Ao final do depoimento pessoal do réu, o magistrado piscou-lhe o olho e disse: “O senhor pode sair”. O texto é do advogado Carlos Alberto Bencke.