Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira ,06 de dezembro de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/smj.jpg

Devedor do Banrisul por sete anos



Arte de Camila Adamoli - Foto Jornal Visão Regional

Imagem da Matéria

• Devedor do Banrisul

Uma raridade jurisdicional: o juiz Ralph de Moraes Langanke, da Vara Judicial única da comarca de Ibirubá (RS), está se dando por suspeito nas ações – que ali tramitam – e que tenha o Banrisul como uma das partes. Ele invoca o inciso III do artigo 145 do CPC que trata da suspeição do magistrado quando qualquer dos litigantes for seu credor.

Textualmente, numa única e longa frase, dispõe o juiz:

“Considerando que no corrente ano de 2019, em razão da redução real dos salários da magistratura gaúcha provocada pela cessação do pagamento do auxílio-moradia (no meu caso, a redução nominal do salário foi de quase R$ 2 mil), tornei-me devedor do Banrisul, visto que, para recuperar o limite do cheque especial, tive que contrair dois empréstimos consignados no Banrisul, cujo pagamento será feito em 84 prestações mensais e sucessivas, declaro-me suspeito para continuar processando e julgando a presente ação, devendo os autos ser encaminhados ao juiz-substituto de tabela”. (Proc. nº 5000026-63.2019.8.21.0105).

A decisão repercutiu intensamente nas redes sociais e no meio advocatício.

A “rádio-corredor forense ibirubaense” transmitiu ontem (24) que idêntica decisão foi proferida em mais duas dezenas de processos. Mas como o sistema processual do TJRS estava – em relação àquela comarca – desde ontem (24) e também na manhã desta sexta-feira (25) - lento e inconstante, não foi possível conferir a quantidade.

Mas sob o aspecto cronogramático há uma constatação exata: ao longo de sete anos – isto é, 2.555 dias – o magistrado ficará distante de processos judiciais do banco dos gaúchos.

 Uma comarca, um só juiz, 9.477 processos

O Espaço Vital pediu à equipe de imprensa do TJRS alguns dados sobre a comarca de Ibirubá. Todas as solicitações foram prontamente respondidas:

* Conforme tabela, os substitutos do juiz da comarca de Ibirubá são: 1)Espumoso; 2) Tapera; 3) Não-Me-Toque.

* Tramitam na comarca de Ibirubá, atualmente:

A) Processos criminais: 2.134;

B) Processos de execução criminal: 150 (o número é aproximado em razão da implantação do SEEU);

C) Processos não criminais (cível, JIJ, juizado especial cível e fazendário): 6.983;

D) Cartas precatórias: 210.

• Deu no Diário da Justiça

Lembram da notícia, aqui publicada na terça-feira (22), sobre a nomeação do advogado Fernando Marcel Genro Robaina para ser assessor de juiz no Foro de Porto Alegre?

Pois o TJRS enviou nota lembrando que “cabe aos magistrados a escolha de seus assessores pessoais e, no caso, a indicação como assessor foi efetuada pela magistrada titular da vara, Sonáli da Cruz Zluhan”.

Mais, segundo o tribunal: “Importante informar que houve parecer jurídico prévio da assessoria administrativa do TJRS, que concluiu não configurar nepotismo a nomeação do referido assessor”.

Detalhe é que, aqui no Espaço Vital, não se falou em nepotismo. Escreveu-se que o boletim estava “nos trinques” e que o nomeado Genro Robaina é oriundo de uma família de notórios políticos do RS: filho da deputada estadual Luciana Genro e do vereador Roberto Robaina (ambos do PSOL); e neto do ex-governador Tarso Genro (PT).

• Dos melhores dicionários

Ø Nos trinques: “Correto, perfeito, no figurino, isento de falha, erro ou defeito”.

Ø Nepotismo:Favorecimento de amigos e parentes por parte de quem ocupa cargos públicos”.

Ø O termo nepotismo tem origem no idioma italiano, onde a palavra ´nepote´ significa sobrinho. A expressão nepotismo foi criada como reação popular contra favores excessivos dentro da estrutura administrativa da Igreja Católica, concedidos pelos papas aos seus sobrinhos.

É bom saber!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Foto Getty Images

   Barulho na madrugada cria rota de choque de artista famosa com vizinhos endinheirados

 

Barulho na madrugada cria rota de choque de artista famosa com vizinhos endinheirados

  O Condomínio Mansões, no Rio, notifica a rica proprietária Larissa de Macedo Machado, 26 de idade, “para que tal fato não se repita, a fim de evitarmos multas e ações judiciais”.

 Quatro perguntas sobre o mercado jurídico brasileiro

  Revista Exame sai da Editora Abril e fica sob o comando do banqueiro André Esteves.

  Veja quem será o representante do Partido Podemos para debater e votar sobre a PEC da prisão em segunda instância.

  Há 25 deputados que mandam na Câmara Federal. Os outros só apertam os botões de votações...

Charge de Jota A / Portal O Dia

Compensação financeira para Dilma pela prisão e tortura sofridas durante a ditadura

 

Compensação financeira para Dilma pela prisão e tortura sofridas durante a ditadura

 Ela busca perante a Comissão de Anistia uma reparação de R$ 11 mil mensais.

 O lodo no Judiciário baiano: afastamento do presidente do tribunal e prisões são apenas o começo do “pepino apimentado”.

 Os dois momentos diferentes de Adriana Ancelmo.

 Ação do Diadema contra o Grêmio tem julgamento antecipado para amanhã: “reserva mental”.

 Porque os mais bem pagos executivos brasileiros estão desistindo do Natal em New York

Ilustração Felipe Franco Rodrigues

Está chegando a hora de o Grêmio se despedir de Renato

 

Está chegando a hora de o Grêmio se despedir de Renato

 Só o “chapabranquismo” gremista sustenta o favorecimento a Galhardo, Tardelli, André e Luciano – todos contas do treinador gremista.

 Aumenta a expectativa de vida para as crianças brasileiras nascidas em 2017 e 2018.

 As seguradoras se unem para tentar derrubar a medida provisória que acaba com o DPVAT.

 Hoje (29) lançamento de livro em homenagem ao professor Alexandre Wunderlich.

 Como os desembargadores do Trabalho reagiriram se a União começasse a atrasar seus salários?

Blog E Viva a Farofa - Reprodução

O Brasil dos “juridiqueístas”

 

O Brasil dos “juridiqueístas”

 Os servidores do Poder Judiciário brasileiro, em todos os Estados e níveis, ganharam em média, no ano passado, um salário mensal de R$ 12.774,02.

 Contraste: a média recebida pelos trabalhadores do setor privado do país, mensalmente em 2018, foi de R$ 2.456,65.

 Nos últimos 18 trimestres seguidos, a renda só cresceu para os que estão no topo da pirâmide brasileira.

 O voto acrobático (em idioma javanês) de Dias Toffoli envergonhou alguns de seus colegas.

Arte EV sobre fotos de Lucas Pfeuffer

Dois anos antes da eleição de 2021, os primeiros movimentos para a sucessão na OAB-RS

 

Dois anos antes da eleição de 2021, os primeiros movimentos para a sucessão na OAB-RS

• A procuradora do Estado Fabiana Azevedo da Cunha Barth vai somando pontos para ser a candidata da situação.

• Mensalmente aumenta a predominância feminina na advocacia gaúcha; elas são 43.004; eles, 42.487.

• A oposição ainda não se articulou, mas o advogado criminalista Aury Lopes Júnior começa a ser lembrado.

 A ressaca das pilhas, depois dos 52 dias de greve no Judiciário estadual.

No Rio, dos 204 que foram presos pela Lava-Jato, 196 já estão soltos

 Vem aí a segunda edição de “A Verdade Vencerá”, o livro de Lula.

 A obra que exalta o ex-presidente não se reporta à frase épica de janeiro de 2016: “Não existe uma viva alma mais honesta do que eu”.

• Prefeito de Cuiabá (MT) só recebe visitas femininas se houver um assessor na sala.

 Em loja de grife, cliente vai ao provador e tem a camisa... furtada