Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira ,03 de dezembro de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/mab_123_17.jpg

A demorada ação penal que está no “balcão da janela”



Imagens: DepositPhotos/Freepik - Montagem: Gerson Kauer

Imagem da Matéria

 Organização” na janela

Lembram da ação penal - já com seis anos de tramitação, e zero sentença - que na 9ª Vara Criminal de Porto Alegre, vagarosamente e com segredo de justiça, trata, de uma fraude milionária envolvendo precatórios?

Pois desde o dia 7 de outubro, os 18 volumes aguardam impulsionamento oficial. A atual posição, segundo o sistema informatizado do TJRS, é a seguinte: “Situação do Processo: com cartório. Local dos autos: certificar – balcão janela – ML”.

Ignora-se o quê/quem seja M.L.

O chargista Gerson Kauer, na concepção para desenhar a situação, sugere que com uma excelente teleobjetiva – a partir de um prédio vizinho – um exímio fotógrafo e um bom auxiliar, possam retratar as páginas que contêm a denúncia, quando alguém estiver folheando os autos.

A tramitação da ação está sob a responsabilidade da juíza Cristina Lohmann. Entre os 12 cacifados réus estão uma ex-detentora de cargo de confiança do tribunal, três advogados, um bacharel em Direito e uma artista. (Proc. nº 21300711955).

  Leilão judicial

O Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região está anuncia o leilão de um terreno na Estrada da Ponta Grossa, bairro Belém Novo, em Porto Alegre. A alienação decorre de uma execução ajuizada por Sara Susiane Machado de Oliveira e de outras 18 ações trabalhistas com créditos já habilitados.

O executado é o CEJUS - Centro dos Funcionários do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Tal entidade era uma associação que mantinha uma creche para atendimento dos filhos de servidores, em parceria com o TJRS. Este cedia o prédio para funcionamento da escolinha. Como o TJRS não renovou a cessão do prédio para o CEJUS, a associação encerrou as suas atividades em novembro de 2016.

O imóvel que está sendo vendido possui área superficial de 151.384,40 metros quadrados. O primeiro leilão ocorrerá no dia 19 de novembro, às 10h. O segundo está marcado para 10 de dezembro, no mesmo horário. Ambos serão realizados na Rua Otávio Schemes, nº 3745, Bairro Passo do Hilário, em Gravataí.

O imóvel foi avaliado em R$ 5 milhões, porém, para fins de arrematação, será vendido pelo maior lance, tendo a exequente preferência para a adjudicação, sendo inadmitido preço vil. Atento à informação do saite oficial do TRT-RS de que “mais informações sobre a alienação judicial podem ser obtidas em www.xavierleiloes.com.br” – o Espaço Vital fez, ontem (21), ao longo do dia, várias tentativas. No link indicado havia apenas ofertas de leilões de cavalos.(Proc. nº 0020520-78.2015.5.04.0014)

 Promoção recusada

Coordenador da força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba, o procurador Deltan Dallagnol decidiu não concorrer à promoção a uma vaga de procurador regional da República, responsável pela atuação na segunda instância da Justiça Federal. Ele apresentou ontem (21) carta ao Conselho Superior do Ministério Público Federal em que recusa a hipótese de promoção para poder continuar à frente da coordenação da força-tarefa Lava-Jato em Curitiba (PR). Ele exerce tal função há cinco anos.

Se não tivesse formalizado a recusa, o procurador estaria apto a ser escolhido para umas das dez vagas em aberto — nove delas em Brasília (DF) e uma em Porto Alegre (RS) —, e com isso seria obrigado a deixar a força-tarefa no Paraná.

A escolha de nomes se dá por critérios de merecimento e antiguidade, analisados em reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal, marcada para o próximo dia 5 de novembro.

  Boca do Lobo

O ministro Alexandre de Moraes suspendeu ontem (21) uma ação penal contra dois empresários presos na Operação Boca do Lobo — a que levou o então governador carioca Luiz Fernando Pezão para a cadeia — por entender que a denúncia utilizou dados fornecidos pelo Coaf sem autorização judicial.

Moraes acolheu pedido da defesa dos empresários Cláudio Fernandes Vidal e Luiz Alberto Gomes Gonçalves, proprietários da JRO Pavimentações, suspeitos de terem lavado dinheiro para Pezão. Ambos já tinham sido postos em liberdade em maio.

A ação penal tramita na 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. Em agosto, o juiz Marcelo Bretas havia negado o mesmo pedido da dupla, sob a justificativa de que "nenhuma das decisões proferidas, mormente na ação penal, teve como fundamento exclusivo o relatório do COAF”.

Pela decisão do ministro, o processo ficará suspenso até que o plenário do STF aprecie a decisão de Dias Toffoli, que mandou suspender todas as investigações baseadas em relatórios do Coaf, produzidos sem autorização judicial.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Arte EV sobre foto Visual Hunt

As duas espécies de prescrição penal e a esperança dos condenados na Lava-Jato

 

As duas espécies de prescrição penal e a esperança dos condenados na Lava-Jato

• Há um prazo para condenar e outro para fazer o réu cumprir a pena. A proposta de Dias Toffoli sugere suspender apenas a primeira delas, que é a prescrição da pretensão condenatória.

 O que acontece (ou não) quando um juiz vai a um motel durante o horário de expediente forense?...

 Lembra das campanhas de “O Patrão Enlouqueceu?”. Pois Rodrigo Maia aderiu.

 Comissão mista do Congresso aprova: empregadores assumirão as despesas com o afastamento dos funcionários por motivo de doença, antes mesmo da realização da perícia do INSS.

Ilustração de Gerson Kauer para capa de edição da Revista Espaço Imóvel/SECOVI/RS - Editada.

Caso gaúcho pode ser paradigmático para chancelar ou restringir o Airbnb

 

Caso gaúcho pode ser paradigmático para chancelar ou restringir o Airbnb

  Criado em 2008 nos EUA, o aplicativo oferece, sempre, em média, 500 mil imóveis residenciais, em 35 mil cidades, em 192 países.

  Decisão do TJRS – que teve recurso especial admitido pelo STJ – proibiu que, em prédio residencial de Porto Alegre, mãe e filho possam alugar dois apartamentos a terceiros via Airbnb.

  Possíveis mudanças no Exame de Ordem.

  Uma página exclusiva da Presidência do STF na internet.

O caso do prefeito gaúcho que nomeou a namorada como chefe da divisão de licitações e contratos no município

•  Decisão do TJRS determina a exoneração da auxiliar: “Transgressão dos princípios constitucionais da impessoalidade e da moralidade”.

•  Tem também o caso do titio gentil como prefeito que nomeou duas jovens sobrinhas advogadas para o secretariado.

•  Juíza estabelece norma para saias e vestidos das advogadas: limite de 5 cm acima do joelho.

•  Vem aí a biografia não autorizada de Eduardo Cunha (MDB-RJ): “Deus tenha misericórdia dessa Nação”...

Como Alemanha, Argentina, Estados Unidos, França, Itália e Portugal decidem sobre a execução antecipada da condenação criminal

  As regras que determinam qual grau de jurisdição pode levar um réu à prisão variam de acordo com o sistema jurídico de cada país.

  Rodrigo Maia não vai pautar a PEC sobre a prisão em segunda instância: “É necessário esperar o caminho do Supremo”.

  Contestação entregue quatro minutos depois do fechamento do cartório é intempestiva.

  Mercedes Benz condenada por impor ócio forçado a uma trabalhadora.

  As desigualdades no Brasil seguem crescendo.

Imagem Camera Press

Impasse entre Ajuris e TJRS será decidido pelo Conselho Nacional da Justiça

 

Impasse entre Ajuris e TJRS será decidido pelo Conselho Nacional da Justiça

 A entidade dos juízes e a presidência da Corte gaúcha divergem sobre a regulamentação da assistência à saúde suplementar dos magistrados e servidores do Poder Judiciário do RS.

 Rapidez e urgência: CNJ dá cinco dias para o TJRS se manifestar.

 Julgamento, pelo STF na quinta-feira, de três ADCs definirá a prisão, ou não, após os julgamentos de segunda instância.

• Modulação da tese referente à ordem de apresentação de alegações finais de réus delatores e delatados fica sem data.

Montagem de Gerson Kauer (Divulgação)

A primeira vez de Matheus Henrique

 

A primeira vez de Matheus Henrique

•  Estreante em primeira classe de voos internacionais, o já festejado volante do Grêmio confunde a versão brasileira de uma toalhinha ´oshibori´ com uma tapioca dura e pegajosa.

• Veja o vídeo de como o próprio atleta - durante o almoço no hotel em Singapura – detalhou o acontecido.

•  Nascido em Paradas de Taipas (SP), Matheusinho começou no futebol com sete de idade. De família humilde, seu pai não conseguia levá-lo para a escolinha. Nos campos de uma favela e na várzea aprimorou o talento.