Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 31 de julho de 2020.
https://www.espacovital.com.br/images/smj.jpg

Uber condenada a ressarcir bens esquecidos num veículo



Arte EV sobre fotos Camera Press

Imagem da Matéria

 Ressarcimento por bens esquecidos no Uber

A 4ª Turma Recursal Cível do RS condenou a Uber a pagar indenização à passageira Camila Santos da Cruz que, em 14 de outubro de 2018 – após um percurso em Porto Alegre – deixou uma bolsinha com dois celulares e maquiagem dentro de um veículo interligado ao aplicativo. Após perceber o esquecimento, ela contatou o motorista, que - por mensagem - confirmou a localização dos objetos.

Entretanto, até o ajuizamento da ação (em 13 de novembro) não houvera a devolução. Por isso, foi pedido judicialmente o pagamento de R$ 1.507 (valor dos bens materiais) e uma reparação por dano moral.

O Uber alegou sua ilegitimidade passiva, porque “atua somente conectando pessoas”. A tese foi rechaçada na sentença, “porque a empresa possui finalidade lucrativa, recebendo parcela dos valores relativos aos serviços prestados”.

Mais: “A usuária contratou o serviço com o Uber e não individualmente com o motorista que lhe prestou o transporte”.

O acórdão rechaçou a pretensão da empresa quanto à improcedência e também negou a indenização extrapatrimonial pedida pela passageira. Em relação a esta, “por não haver prova de que tenha ocorrido lesão à dignidade da pessoa humana, violação a direitos da personalidade ou repercussão do fato no meio social capaz de causar situação constrangedora ou vexatória”.

Houve já o trânsito em julgado e o Uber pagou o valor do ressarcimento e da sucumbência. A jovem advogada (OAB-RS nº 110.728) Katerine Beatriz Rotta atua em nome da autora da ação. (Proc. nº 71008562878).

 Cabral, 266 anos sem atenuantes

Definindo as confissões do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) como "fantasiosas", o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, desconsiderou a tese defensiva e o depoimento e condenou o político a mais 33 anos e três meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas.

Com mais essa sentença, as penas de Cabral na “Lava-Jato” chegam a 266 anos de prisão. Ele está preso desde outubro de 2016.

No caso agora julgado, Cabral foi acusado de receber R$ 3 milhões de propina da Odebrecht. Para tentar reduzir a nova pena, o político sustentou que “mandava os operadores Carlos Miranda e Sérgio de Oliveira Castro repassarem valores aos doleiros irmãos Chebar” e que “essas quantias vinham de doações eleitorais, e não atos de corrupção”. O ex-governador assumiu também que não sabia o destino final do dinheiro

O juiz não aplicou a atenuante de confissão, “porque as declarações do ex-governador não foram verdadeiras, mas fantasiosas e inverídicas”. (Proc. nº 0502041-15.2017.4.02.5101).

 Conhecimento de causa

O ex-membro do Comitê Olímpico Internacional e ex-presidente da Federação Internacional de Atletismo, o senegalês Lamine Diack, acusado de ter recebido vantagens indevidas para votar no Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas em 2016, constituiu como seu defensor o advogado Cristiano Zanin Martins. Notório, ele é o responsável primeiro pela defesa de Lula na Lava-Jato.

Lamine é um dos investigados da ação penal que, na 7ª Vara Federal Criminal do Rio, apura a corrupção nos jogos Olímpicos de 2016. Esta semana, Zanin habilitou-se, solicitando cópias integrais do processo

• Poucas palavras

O sargento da Aeronáutica Manuel Silva Rodrigues, preso com 39 quilos de cocaína ao desembarcar de um avião da FAB na Espanha em julho, pouco disse ao prestar o primeiro depoimento a autoridades brasileiras, esta semana.

Rodrigues, que ontem (10) completou 38 anos numa cadeia de Sevilha, respondeu apenas a perguntas feitas por um oficial enviado pela FAB.

"Acerca da pergunta 23, responde que nenhuma pessoa da tripulação está envolvida. Que as pessoas do grupo de transporte especial, outros militares, não tinham conhecimento acerca dos fatos" – refere o termo do depoimento.

Também perguntado sobre objetos de valor apreendidos em sua casa, Rodrigues admitiu que possui um carro e duas motos. A respeito dos relógios encontrados, disse que “são réplicas, compradas em outras viagens ao exterior”.

Ele silenciou diante dos questionamentos feitos pela Polícia Federal brasileira, reservando-se o direito de esclarecer somente em juízo. A PF acredita que ele sabe mais.a


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Visual Hunt - Imagem meramente ilustrativa

Um contrato de R$ 50 milhões para a superior segurança do STJ

 

Um contrato de R$ 50 milhões para a superior segurança do STJ

  • Os agentes - em número não especificado - ficarão lotados em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro.
  • Livro “Humankind” que foi sucesso na Europa será lançado no Brasil: como os humanos prosperam em crises.
  • As gavetas do STF que guardam 12 inquéritos que alcançam ministros, senadores e deputados.
  • Um projeto para a OAB: 30% de conselheiros negros a partir das eleições de 2021.
  • Lago Sul de Brasília é o epicentro da riqueza brasileira.
  • Porto Alegre está entre as três capitais do “home office”.

Arte EV

Um, dois, três, quase 20 mil

 

Um, dois, três, quase 20 mil

Cinco advogados trabalhistas militantes (dois em Porto Alegre; os demais em Canoas, Caxias do Sul e Pelotas) auxiliaram o Espaço Vital na coleta, análise e sintetização de dados sobre o trenzinho do TRT-RS que foi cassado no TST. “Ter pilhas de 800 ou 1.000 processos na Justiça do Trabalho é mais assustador do que ter um acervo de 2.500 na Justiça estadual”.

Marco Aurélio espera que - a partir de setembro - Fux tire o STF da vitrine

  • O ministro que se aposenta em julho de 2021 adverte que “quando se está na vitrine, o estilingue funciona”.
  • Em 30 anos, Fisco tem mais êxito no STF do que contribuintes. E o CREA-RS aparece na lista dos maiores litigantes.
  • Empregada afastada por auxílio-doença não receberá cesta básica. Decisão é do TST.

www.bing.com/images

Gilmar Mendes, o mais falado nas redes

 

Gilmar Mendes, o mais falado nas redes

  • Na segunda-feira foram 92 mil postagens por causa do entrevero dele com as Forças Armadas. No fim-de-semana tinham sido as imagens do ministro sendo apupado num restaurante em Lisboa.
  • Gesto generoso: TJ de Santa Catarina suspende os prazos de advogada que entrou em coma por causa da Covid-19.
  • Já somos 108 milhões de brasileiros com a renda diminuída.
  • Cresce a lista dos substitutos de Celso e Marco Aurélio: são cinco cotados para as duas vagas no STF.
  • Carlos Alberto Decotelli, que ficou ministro da Educação por cinco dias, vai entrar com ação contra a FGV.
  • Comparações: a “nova” Odebrecht e... a Odebrecht de outrora.

A vida nem sempre foi justa com Martha Rocha

  • Eleita a segunda mulher mais bonita do mundo em 1954, antes de completar seu 4º ano de casamento, ela perdeu o marido num acidente aéreo.
  • “Abra a porta, senão vamos arrombar!”. Uma diligência com 20 anos de atraso no apartamento do produtor Daniel Filho, ex-global.
  • Uma raridade: sentença rápida, 60 dias depois do ajuizamento, numa ação monitória em São Francisco de Paula (RS).
  • Entre políticos e empresário, uma reunião para decidir a “sucessão” da propina.

Foto: Visual Hunt

Dilma busca pensão de R$ 10,7 mil mensais: “perseguição durante a ditadura”

 

Dilma busca pensão de R$ 10,7 mil mensais: “perseguição durante a ditadura”

  • A ex-presidente da República recebe atualmente R$ 12.600 mensais da Fundação Perseu Abramo.
  • Pouco dinheiro e muito dinheiro: enquanto a cantora Angela Rorô pede que cada um de seus amigos doe R$ 10 a ela, a CBF perde ação de US$ 3 milhões para a multinacional Procter & Gamble.
  • Uma demanda entre duas empresas pelo uso do sobrenome Dalcin.
  • Chineses retornando para os estudos nos EUA: eles são 369 mil.
  • A garantia fiduciária prestada por devedor convivente, sem a outorga uxória da companheira é parcialmente nula.
  • 52% dos hotéis brasileiros ainda estão fechados.