Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de outubro de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/on_off_2.jpg

Privacidade custa caro!



Imagem Inmetrics.com.br

Imagem da Matéria

Privacidade custa caro, o Facebook que o diga! Acabou de selar um acordo de US$ 5 bilhões com o governo americano pelos dados vazados pela consultoria política Cambridge Analytica e mais US$ 100 milhões ao órgão regulador de mercado e capitais americano, por vazamento de dados.

E isto realmente importa a nós, aqui no Brasil?

Sim, e muito! O mercado mundial tem dado exemplos claros que os dados custam muito as empresas.

Tivemos na Europa multas de mais de 100 milhões contra o Google por falta de consentimento específico (o que quer dizer que havia consentimento de uso do usuário final, mas não específico a um serviço; por exemplo, era o mesmo termo de consentimento para Gmail e Google Agenda e deveria ser um termo para cada serviço). E agora o Facebook fecha um acordo de mais de 5 bilhões de dólares focado no mesmo termo: Dados - Privacidade dos Dados.

Infelizmente não temos cultura de dados no Brasil. Fornecemos nosso CPF, RG, endereço e telefone a qualquer pesquisa de rua ou ligação telefônica e por esta razão - além do risco de malfeitores usarem nossos dados para fins escusos - devemos estar atentos à Lei Geral de Proteção de Dados que entra em vigor em agosto de 2020.

Dirão alguns que “falta mais de um ano para a lei entrar em vigor, temos tempo” etc...

Ledo engano! Basta ler a lei para perceber que as adequações necessárias a empresas, incluindo escritórios de advocacia, será grande, e urge começar o quanto antes.

Algumas perguntas básicas para nivelar conhecimento:

+ O que é DPIA?
+ Qual a função do controlador e encarregado de dados?
+ Com que tipo de dados o seu negócio lida?
+ Quais os termos de consentimento que sua empresa usa?
+ Como cuidam os dados e temporalidade dos mesmos?
+ Trabalham com dados sensíveis?
+ Como o ´compliance´ da empresa está se adequando à realidade da Lei Geral de Proteção de Dados?

Parece grego tudo isto? Pois é… Está mais do que na hora de começar a estudar a lei e com ela verificar este gigante mercado que a advocacia tem em 2020!

Quem antes se torna autoridade no assunto, antes tem resultados.

Mãos à obra!

Em tempo – Nesta mesma edição, o Espaço Vital disponibiliza link de acesso, para leitura (e impressão, se for o caso), da Lei Geral de Proteção de Dados. Clique aqui.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

O uso da Inteligência Artificial no Brasil

“Tramita no Senado Federal o Projeto de Lei nº 5051/2019. A ideia é interessante, embora legislar sobre este tema seja mais complexo do que dar palavras a um texto. Basta analisar o texto sugerido, e percebemos situações teratológicas destoantes da realidade fática”.

   E o cartório, como fica?

 

E o cartório, como fica?

“Vêm aí os robôs que automatizam funções cartorárias. Eles mandarão e desmandarão, 24 horas por dia, sete dias por semana”.

Chargista Amarildo

Não existe almoço grátis!

 

Não existe almoço grátis!

“Há advogados que postam suas próprias feições de agora, dizendo ´Protocolada a petição inicial´. Depois, a foto – bem mais velho - gerada pelo aplicativo, comemorando ´Alvará recebido´... Será que os profissionais da advocacia sabem o que estão autorizando o FaceApp a fazer com seus dados pessoais?"

Imagem YouTube

O que é verdade?

 

O que é verdade?

“Temos acompanhado os debates sobre supostas conversas de juízes e procuradores. O foco aqui é debater a respeito de como obter a verdade em tempos de redes sociais, saites, internet e fake news”.

A regra é estar em constante movimento!

“A França proíbe a divulgação de informações estatísticas sobre as decisões de juízes, numa lei que prevê até cinco anos de prisão. No Brasil, o aplicativo ´Supremo em Ação´ mostra, na palma da mão, como votam os 11 ministros do STF”.