Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de outubro de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/smj.jpg

Vínculo empregatício de sete anos entre vocalista e banda gaúcha



Google Imagens

Imagem da Matéria

 Vocalista empregado

O TRT-4 (RS) confirmou sentença oriunda da Vara do Trabalho de Soledade (RS), reconhecendo o vínculo trabalhista entre o vocalista Dalmir Cella Guimarães e a Banda Reni & Dimensão. Os reflexos abrangem o período de janeiro de 2010 a outubro de 2017.

Conforme o reclamante, ao longo de mais de sete anos ele atuou como vocalista, recebendo salário mensal por participar de bailes em finais de semana e feriados, além de ensaios obrigatórios durante a semana.

A banda admitiu o trabalho, mas argumentou que “a prestação de serviços era autônoma e de parceria musical”, sem relação de emprego, porque as atividades musicais eram um "hobby", pois todos os integrantes do grupo musical exerciam outras atividades, inclusive o vocalista, este em uma academia de ginástica.

O juiz José Renato Stangler considerou procedentes as alegações do vocalista. Segundo o magistrado, ao admitir a prestação de serviços, a banda atraiu para si o dever de comprovar que o trabalho não era subordinado, já que essa é uma presunção favorável ao empregado.

Além disso, "inequívoco que a prestação de serviços do autor era essencial à reclamada, atendendo uma necessidade sua, já que participava ativamente das apresentações musicais, objeto principal da atividade da banda".

Segundo o julgado do TRT-4, “ao admitir a prestação de serviços, a banda atraiu para si o dever de comprovar que o trabalho não era subordinado, já que essa é uma presunção favorável ao empregado”. (Proc. nº 0020786-72.2017.5.04.0571).

 Outro$ tempo$

Passou a ser dura a vida atual de algumas empreiteiras. A Petrobras alugou quatro plataformas de extração de petróleo: três da Queiroz Galvão e uma da Odebrecht. A locação é por valores que variam de US$ 135 mil a US$ 160 mil, por mês.

Mas só o custo de manutenção de cada plataforma – que é encargo das empreiteiras - é de cerca de US$ 170 mil mensais.

O detalhe: agora não há mais o jeitinho de aditivo$ contratuai$...

 Gravação ilegal

Uma conversa gravada que não envolva o autor da ação trabalhista não pode ser utilizada como prova no processo. Assim decidindo, o juiz Luiz Fernando Bonn Henzel, da 3ª Vara do Trabalho de Canoas (RS), condenou por litigância de má-fé um ex-empregado da Reiter Transportes e Logística Ltda.

Para o magistrado, “a ilegalidade da gravação decorre de ter sido ela feita por terceiro”.

A sentença – contra a qual ainda cabe recurso - considerou "inusual a situação em que um preposto, que está fazendo processo seletivo para admitir um empregado, autorize não só que ele presencie ligação para seu ex-empregador, como que também a grave".

Para o juiz, a prova apresentada pela empresa reclamada, quanto à postagem nas redes sociais demonstra a proximidade entre o reclamante e a testemunha, “a situação narrada se equipara a um flagrante forjado, havendo a preparação de uma situação que oportunizasse o autor de buscar em juízo reparação por danos morais”.

O trabalhador foi multado por litigância de má-fé: 10% sobre o valor da causa (R$ 50 mil), a ser corrigido. Não há trânsito em julgado. (Proc. nº 0021662-92.2016.5.04.0205).

 Flautas nas redes...

De colorados – e gremistas também... – sobre o fracassado goleador André, que o Grêmio, com alto custo, trouxe do Sport (PE) e que Renato Portaluppi ainda promete “recuperar”.

Segundo a ficção das redes sociais, o Juventus da Itália está fazendo proposta de contrato de risco, para que André substitua Cristiano Ronaldo: 50 mil euros por cada gol marcado...

O tesoureiro do clube italiano teria certeza de que os desembolsos salariais serão “uguales a zero”.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Contra, ou a favor?

Relembre como cada um dos onze ministros do STF já se posicionaram sobre a prisão após a condenação em segunda instância.

Arte EV sobre fotos Camera Press

Uber condenada a ressarcir bens esquecidos num veículo

 

Uber condenada a ressarcir bens esquecidos num veículo

• O motorista confirmou ter encontrado dois celulares e objetos de maquiagem, mas a devolução não ocorreu.

 Nova condenação de Sérgio Cabral eleva as penas a 266 anos.

 Advogado de Lula defenderá senegalês acusado de corrupção nas Olimpíadas de 2014.

• Sargento da FAB preso com cocaína isenta os demais tripulantes.

Pintura de Nick Mancini

Ironia das redes sociais: anulação do julgamento de Tiradentes, porque o delator falou por último

 

Ironia das redes sociais: anulação do julgamento de Tiradentes, porque o delator falou por último

 Ao ser enforcado em 1972, o herói brasileiro não tinha desfrutado do pleno direito de defesa...

 Como a morte é irreversível, a reparação moral seria uma Medalha Suprema, a ser entregue aos herdeiros vivos.

 Gretchen vai ajudar estudantes nos preparativos para o ENEM.

 Doleira Nelma Kodama já está sem tornozeleira.

 Lembrete: a história dos 200 mil euros levados na calcinha.

  Wesley e Joesley Batista também livres das tornozeleiras.