Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 20 de agosto de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/doispontos.jpg

As crises no Brasil e Geni, boa de apanhar



Arte de Camila Adamoli

Imagem da Matéria

PONTO UM

Nos últimos anos a palavra “crise” vem sendo exaustivamente utilizada: crise política, crise econômica, crise da previdência, crise ética, crise no futebol e assim por diante. Nos altos escalões do governo, não basta a crise presente, mas também a crise futura está sendo valorizada: se tal reforma não passar no segundo turno de votação, o Brasil quebra!...

E para vencer a crise da vez, o caminho escolhido pelos senhores do poder é encontrar um “culpado”, ou, mais precisamente, uma Geni para apanhar, lembrando a música de Chico Buarque:

“Joga pedra na Geni! /
Joga bosta na Geni! /
Ela é feita pra apanhar! /
Ela é boa de cuspir!”

Assim, nas relações trabalhistas, partiu-se recentemente para a reforma trabalhista, ao efeito de vencer a crise de falta de empregos e do alto número de desempregados, recaindo todo o pedágio sobre os ombros dos trabalhadores. Joga pedra nos trabalhadores!

Outra classe, boa de ser cuspida, é a dos servidores públicos, pretensamente os mais responsáveis pela bagunça do Brasil. Mais recentemente, a Geni passou a ser os aposentados ou os futuros aposentados. E viva a reforma da Previdência, que chegou a ganhar foro de extinção da Previdência, passando tudo para o sistema de capitalização, proposta não totalmente afastada.

Joga bosta no aposentado. Mais recentemente, em evento destinado a discutir o tema de investimentos, o ministro da Economia achincalhou os investidores mais conservadores, que depositam suas economias em CDI, CDB, LCI e LCA, rotulando-os de rentistas, como se tais investimentos autorizassem algum investidor/poupador a viver de renda com base em tais investimentos.

Poupador ou rentista? Eles são feitos para apanhar.

PONTO DOIS

Curioso que trabalhadores, servidores públicos, aposentados, poupadores, rentistas são, na sua significativa maioria, integrantes da classe média. Classe média que trabalha, que recolhe impostos, que poupa e que é a principal responsável pela circulação de riquezas.

Mas quando a crise vem, fica fácil, basta jogar pedra na classe média; jogar bosta na classe média; classe média é feita pra apanhar; ela é boa de cuspir...e toda crise estará vencida.

Até porque durante tanta xingação, já se está às vias de nova eleição, quando tudo é esquecido, assim como o povo na música de Chico e o Zeppelin prateado. Pobre Geni!


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Judiciário versus democracia: eleição direta

O exemplo que vem do Tribunal de Justiça de Roraima: “Independentemente da instância em que atuam, todos os juízes votam, com maior comprometimento nos programas de otimização e qualificação da prestação jurisdicional”.

Portal Fiscaliza Manaus

Constituição escrita a lápis

 

Constituição escrita a lápis

“Pela Emenda Constitucional nº 97/2017 alterou-se a Carta Magna para restringir as coligações partidárias exclusivamente às eleições majoritárias, vedando-se sua aplicação às eleições proporcionais. Contudo, já se fala nos corredores (do Congresso e da política) em rever essa reforma que ainda não foi aplicada”.

Chargista Duke

Fake news: o mal do século 21?

 

Fake news: o mal do século 21?

“Desinformação reproduzida e multiplicada em nada agrega nem ao espaço privado, nem ao público. Desinformação não constrói, desconstrói; é um mal e como tal deve ser tratada”.