Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 11 de outubro de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/jus_colorada_5.jpg

A bola fez justiça: conquistamos a Copa América sem o indomável Neymar



Chargista Duke – Tribuna da Internet

Imagem da Matéria

Voltamos à paróquia, deixando de lado a política e seus tropeços. Aliás, cada vez mais a política e as instituições brasileiras tornaram-se um caso de polícia.

A Seleção do Brasil cumpriu o seu papel e, independentemente do jeito de jogar, venceu. Parabéns ao Tite e aos seus atletas. Mais uma vez a bola fez justiça, pois conquistamos o título sem o indomável Neymar Júnior.

A Copa América já é passado, mas ficou o inadequado desabafo do Lionel Messi. Ele deixou a desejar assim como a sua seleção que, salvo raríssimos momentos, não engrenou. A sua postura não combina com a sua dimensão.

O nosso Guerrero, destaque da competição e inegável acerto do Internacional, também foi inadequado na entrevista do-pós jogo Palmeiras X Internacional.

Foi positivo para nós gaúchos ver o Guerrero e o Cebolinha assumirem um qualificado protagonismo. O Gre-Nal terá um ingrediente atrativo a mais.

Parar por si só não muda nada. A semana foi ruim em termos de resultados para Internacional, que enfrentou o Palmeiras chutando em 90 minutos, uma única bola com perigo ao adversário. O que escutei nos comentários, foi de que mais uma vez o time estava acovardado.

Essa é uma redução de algumas evidências: Paolo Guerrero cansado; laterais perdidos e um sistema defensivo desatento. O jogo da volta oferece enorme dificuldade e esse não pode ser mais um título que deixaremos de ganhar.

A parada da Copa América certamente não oportunizou a preparação tática para os jogos fora de casa. Isso não é um estigma ou maldição (perder fora de casa), mas sim a falta de preparo para a situação.

Continuamos torcendo e acreditando, mas as vezes é preciso sacudir o coreto.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Bruno Alencastro / Google Imagems

   Cai Odair, mas Melo fica!...

 

Cai Odair, mas Melo fica!...

“Já transcorreram mais de dois terços do período total da gestão Medeiros e não ganhamos sequer um Gaúchão.  É preciso banir a politicagem que baliza o comportamento dos dirigentes colorados. Ela é uma ameaça perigosa à eficiência e eficácia do futebol”.

Reprodução Globo Esporte

O fenômeno Flamengo

 

O fenômeno Flamengo

“A boa administração do clube tem reflexos no futebol, resultando que a administração colha resultados. Sobre o jogo de  quarta-feira (25), apenas um comentário: foi pênalti no Guerrero e o nosso prejuízo foi grande”.

Charge de Gerson Kauer

O coronelismo de churrasqueira

 

O coronelismo de churrasqueira

“Logo após a debacle de ontem, o comentarista Mauricio Saraiva, defendeu a manutenção de toda a estrutura do futebol, apontada como concebida pelo ´maior dirigente da história do Internacional, Fernando Carvalho´. Eu penso diferente: deixar o Odair até o final do Brasileirão, quando poderá ser reavaliado, mas mudar o departamento de futebol já!

Pro dia nascer feliz...

 

Pro dia nascer feliz...

“Quarta-feira o Internacional fez o que deveria ter feito: ganhar do Nacional no país, na cidade, e no estádio dele” (...) Mas me ocupo também daquele lamentável fato ocorrido no último Gre-Nal. Um fato que revela a estupidez humana. Chama a atenção que ele tenha ocorrido entre duas mulheres. A agressora, segundo sei, é notória defensora dos direitos femininos”...