Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira ,03 de dezembro de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/jus_colorada_5.jpg

A bola fez justiça: conquistamos a Copa América sem o indomável Neymar



Chargista Duke – Tribuna da Internet

Imagem da Matéria

Voltamos à paróquia, deixando de lado a política e seus tropeços. Aliás, cada vez mais a política e as instituições brasileiras tornaram-se um caso de polícia.

A Seleção do Brasil cumpriu o seu papel e, independentemente do jeito de jogar, venceu. Parabéns ao Tite e aos seus atletas. Mais uma vez a bola fez justiça, pois conquistamos o título sem o indomável Neymar Júnior.

A Copa América já é passado, mas ficou o inadequado desabafo do Lionel Messi. Ele deixou a desejar assim como a sua seleção que, salvo raríssimos momentos, não engrenou. A sua postura não combina com a sua dimensão.

O nosso Guerrero, destaque da competição e inegável acerto do Internacional, também foi inadequado na entrevista do-pós jogo Palmeiras X Internacional.

Foi positivo para nós gaúchos ver o Guerrero e o Cebolinha assumirem um qualificado protagonismo. O Gre-Nal terá um ingrediente atrativo a mais.

Parar por si só não muda nada. A semana foi ruim em termos de resultados para Internacional, que enfrentou o Palmeiras chutando em 90 minutos, uma única bola com perigo ao adversário. O que escutei nos comentários, foi de que mais uma vez o time estava acovardado.

Essa é uma redução de algumas evidências: Paolo Guerrero cansado; laterais perdidos e um sistema defensivo desatento. O jogo da volta oferece enorme dificuldade e esse não pode ser mais um título que deixaremos de ganhar.

A parada da Copa América certamente não oportunizou a preparação tática para os jogos fora de casa. Isso não é um estigma ou maldição (perder fora de casa), mas sim a falta de preparo para a situação.

Continuamos torcendo e acreditando, mas as vezes é preciso sacudir o coreto.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Aos pedaços e com pouco tempo

“Não desejo empregar a lógica do Marcelo Medeiros. Na semana passada ele afirmou em uma espécie de defesa prévia: ´Peguei o Inter na segunda divisão e se entregar na primeira e disputando a Sul Americana já seria melhor´”.

Bruno Alencastro / Google Imagens

   Vai tarde!

 

Vai tarde!

“Afinal, Roberto Melo caiu! Resgatado o vestiário, espero que rapidamente ele se refaça. Não há dúvida de que havia descontrole e crise. A postura confusa dos jogadores na partida com o Goiás foi prova disso”.

Arte EV sobre foto Ripleys.com

A múmia colorada

 

A múmia colorada

“De Tutancâmon a Evita Perón, a mumificação é uma prática que visa a perenização de um indivíduo, até mesmo diante da inevitável morte. Atrevo-me a dizer que o nosso vice-presidente de futebol foi mumificado em vida no vestiário colorado”.

O Gre-Nal dos desesperados

Na quarta-feira, um motorista de táxi lançou uma proposta curiosa: “Doutor, pela situação dos dois não seria do Medeiros sentar com o Romildo e assinarem um 0x0?”.