Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 20 de agosto de 2019.

Sensacionalismo punido, críticas toleráveis



Rede Globo/ Divulgação

Imagem da Matéria

A atriz e apresentadora Fernanda Lima, gaúcha, 42 anos, será indenizada com R$ 50 mil por danos morais, após uma publicação do saite R7 referir uma suposta traição conjugal de seu marido, o ator Rodrigo Hilbert. A condenação alcança solidariamente o Grupo Record e a colunista Fabíola Reipert. Não há trânsito em julgado.

A ação traz transcrições de colunas de Fabíola, publicadas no saite R7, incluindo uma que afirma que Rodrigo estaria "pulando a cerca". O texto faz um pretenso alerta ao ator: "Chumbo trocado não dói".

Na decisão, o desembargador Fernando Cerqueira Chagas, da 11ª Câmara Cível do TJ do Rio, afirma que "a publicação com informações maliciosas quanto ao comportamento do marido da autora extrapola o dever de informar, em clara intenção de sensacionalismo, é capaz, sem dúvida, de atingir a honra da autora". Tais registros deverão ser apagados da internet.

Mas o acórdão acolheu parte do recurso da Record e da jornalista, cassando a parte da sentença que havia determinado também a eliminação, na internet, de críticas pontuais à artista: “Sem sal, sempre com aquele ar de superioridade, fama de puxadora de tapete, meio chatinha e azedinha”.

Conforme o julgado, “tais expressões são críticas, ainda que mordazes, mas que não podem ser consideradas caracterizadoras de dano moral”.

E o arremate: “Uma pessoa pública não pode pretender que só se fale bem de si, buscando silenciar quem lhe contrarie, o que se assemelharia à censura”. (Proc. nº 0257121-72.2015.8.19.0001).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Foto de Stefano Pollio – Edição de Gerson Kauer

Madrugada de pavor em residência de casal gaúcho

 

Madrugada de pavor em residência de casal gaúcho

Montador de móveis que estivera equipando a moradia ingressou na casa e, armado com faca, estuprou a mulher grávida de gêmeos. O marido foi imobilizado por outro comparsa (menor de idade). Condenação penal do facínora tem trânsito em julgado e ele está preso. Responsabilidade civil da empresa Todeschini que fabricou os móveis, e da franqueada TDM Móveis Planejados que efetuou a venda e era a responsável pela instalação, que acabou terceirizando. Indenização total de R$ 419 mil destina-se também a reparar os bebês que estavam em gestação.

STJ anuncia 11 teses sobre responsabilidade civil por dano moral

Entre elas, a que estabelece que, embora a violação moral atinja apenas os direitos subjetivos do morto, o espólio e os herdeiros têm legitimidade ativa para pleitear a reparação dos danos morais suportados por ele. Conheça todos os novos verbetes.