Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 11 de outubro de 2019.

Carência de ação de Jair Bolsonaro contra o PCdoB



Lembram do massacre que, em 12 de junho de 2016, deixou 50 mortos na boate Gay Pulse LGBT, em Orlando (EUA)? Poucos dias depois o Facebook do Partido Comunista do Brasil, num tentado aproveitamento político, postou que “se Omar Mir Seddique Mateen, o autor do atentado homofóbico, fosse brasileiro seguramente seria eleitor de Jair Bolsonaro”.

O então deputado federal logo ingressou com ação contra o PCdoB, buscando reparação por dano moral. A sentença acolheu o pedido, deferindo indenização de R$ 30 mil.

Mas na semana passada a 21ª Câmara Cível do TJ do Rio, julgando apelação, acolheu a preliminar que o diretório nacional do PCdoB já suscitara em contestação: a sua ilegitimidade passiva, porque a publicação fora reconhecidamente de iniciativa do Diretório Regional (RJ) do PCdoB.

Conforme o julgado, “de acordo com o artigo 15-A, da Lei dos Partidos Políticos (nº 9.096/95), inexiste solidariedade entre os diretórios municipais, estaduais e nacional, devendo cada um responder pelos danos causados a terceiros” – decidiu o colegiado.

O acórdão reformou a sentença, para julgar extinta a ação, sem exame do mérito (art. 485, VI, do CPC).

Bolsonaro pagará as custas processuais e a honorária sucumbencial de R$ 3.000. (Proc. nº 0241210-83.2016.8.19.0001).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Jejum nas alturas

 

Jejum nas alturas

Condenação da American Airlines por não disponibilizar a três brasileiros (um casal e sua filha) – durante voo de 12 horas - alimentos kosher que haviam sido solicitados e pagos. Indenização será de R$ 18 mil.

Divulgação / Tv Record

Produtora de filmes condenada a indenizar Xuxa

 

Produtora de filmes condenada a indenizar Xuxa

Deplorável vídeo ofensivo postado no Youtube – e já retirado via antecipação de tutela - propagava que a artista teria firmado um pacto com o diabo até 2099, teria mantido um relacionamento amoroso homossexual e que sua filha seria fruto de inseminação artificial. 

Rede Globo/ Divulgação

Sensacionalismo punido, críticas toleráveis

 

Sensacionalismo punido, críticas toleráveis

Condenação da Record e de uma jornalista a pagar R$ 50 mil por publicação ofensiva à apresentadora Fernanda Lima (foto), envolvendo adultério que teria sido cometido pelo marido dela. Mas o acórdão diz que expressões mordazes como “Sem sal, Sempre com aquele ar de superioridade, Fama de puxadora de tapete, Meio chatinha e azedinha” devem ser toleradas por pessoas de fama.

Foto de Stefano Pollio – Edição de Gerson Kauer

Madrugada de pavor em residência de casal gaúcho

 

Madrugada de pavor em residência de casal gaúcho

Montador de móveis que estivera equipando a moradia ingressou na casa e, armado com faca, estuprou a mulher grávida de gêmeos. O marido foi imobilizado por outro comparsa (menor de idade). Condenação penal do facínora tem trânsito em julgado e ele está preso. Responsabilidade civil da empresa Todeschini que fabricou os móveis, e da franqueada TDM Móveis Planejados que efetuou a venda e era a responsável pela instalação, que acabou terceirizando. Indenização total de R$ 419 mil destina-se também a reparar os bebês que estavam em gestação.