Ir para o conteúdo principal

EV de férias! > Os 15 Romances Mais Lidos de 2019

Pena menor para o autor de facada que quase matou Bolsonaro



Camera Press

Imagem da Matéria

O Ministério Público Federal em Juiz de Fora (MG) concluiu que Adélio Bispo de Oliveira, réu confesso da tentativa de assassinato de Jair Bolsonaro em 8 de setembro do ano passado, é semi-imputável. De acordo com o parecer, Bispo pode ser enquadrado criminalmente, mas com redução de pena devido aos transtornos mentais apontados em laudos médicos.

O procurador Marcelo Medina entregou, esta semana, o seu parecer. Levou em conta laudos e pareceres sobre a saúde mental de Adélio.

Segundo o MPF, “todos os documentos médicos são importantes porque podem explicar como o problema mental reduz ou anula a capacidade de entendimento sobre o crime”. Em outubro de 2018, uma primeira avaliação particular atestou “transtorno delirante grave” em Adélio.

Em fevereiro deste ano, dois novos laudos apresentados em cumprimento a uma decisão judicial, apontaram problemas mentais. Um deles indicou “transtorno delirante permanente paranoide”, que – em tese – pode impedir a punição criminal.

A decisão sobre a semi-imputabilidade caberá à 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, onde tramita um procedimento aberto a pedido da defesa para apurar se Adélio realmente tem problemas mentais. O mesmo juiz que decidirá o incidente é o que julgará o mérito da ação penal aberta contra Adélio, que está denunciado com base na lei de segurança nacional.

_______________________________________________________
Siga o Espaço Vital no Facebook !

Estamos com perfil novo no Facebook, mais atuante e sempre levando as notícias do meio jurídico, humor e crítica. Aquele anterior perfil a que o leitor se acostumou até 2018, não mais está ativo. Interaja conosco no novo local certo. Siga-nos!

Este é o novo perfil do Espaço Vital no Facebook: clique aqui


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Negado recurso de Lula que questionava legalidade de provas

A defesa queria a nulidade do material entregue ao MPF por autoridades suíças. A alegação – rechaçada pelo TRF-4 - foi de que “houve vícios nos procedimentos de cooperação internacional para a transmissão das provas”.

Acórdão com 80 laudas descreve o roteiro das fraudes com os alvarás

O servidor Gilmar Antônio Camargo de Oliveira – que chegou a estar preso preventivamente e, após, foi exonerado, contou que “no Juizado Especial Cível onde trabalhava estava uma confusão no arquivo”. O computador dele possuía um mecanismo para despachos avulsos, os quais não eram introduzidos no sistema. Três advogados foram peças essenciais ao plano delitivo. Dois deles são casados entre si.

Cadeia para advogado condenado por abusar sexualmente de duas crianças

Crimes ocorreram durante mais de dez anos. Cinco dias depois da decisão (6x5) do STF de permitir a prisão de criminosos só após o trânsito em julgado, o TJ de Santa Catarina decide na linha dos reclamos da sociedade. Ao estabelecer pena de 38 anos e 9 meses, na própria sessão de julgamento a 3ª Turma Criminal determinou a prisão preventiva do abusador, que tem 48 de idade. Ele já está preso.