Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 16 de abril de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/mab_123_15.jpg

Vem aí a nova versão do BacenJud



Arte de Camila Adamoli sobre imagens Camera Press e Banco Central do Brasil

Imagem da Matéria

 Aperfeiçoamento do BacenJud

O juiz federal da Lava-Jato no Rio, Marcelo Bretas, acolheu pedido do Banco Central, para – do dinheiro recuperado da roubalheira – destinar R$ 2 milhões “para o desenvolvimento da nova versão do BacenJud”.

Trata-se do sistema de comunicação entre o Judiciário e as instituições financeiras, para recuperar valores mal havidos e, também, penhorar grana de pessoas inadimplentes.

O sistema atual, criado em 2005, é usado para o bloqueio de valores dos investigados e caloteiros. A nova versão “possibilitará também a ágil quebra do sigilo bancário”.

 

 Taquaraço trienal

Aplausos à iniciativa e à decisão acima. Mas o sucesso dependerá também de outras posturas: disposição, capacidade de agir e outros sinônimos jurisdicionais.

Na semana passada, o juiz Frederico Menegaz Conrado, da 1ª Vara da comarca de Taquara (RS), produziu uma pérola jurídica, revelada pelo advogado Fábio Kwasniewswki de Almeida (OAB-RS nº 39.391).

O magistrado Conrado, numa ação de cobrança (R$ 15 mil) que dura mais de nove anos, observou que já fora realizada constrição parcial, via BacenJud, há menos de três anos. Também considerou “o elevado número de processos que tramitam na 1ª Vara Judicial de Taquara (RS) e o diminuto aparelhamento humano para dar conta de tamanha demanda”.

E limitou as novas tentativas de penhora pelo BacenJud: “Indefiro por ora o pedido, determinando seja arquivado administrativamente o feito, com nova conclusão quando expirado o prazo de três anos da última tentativa de BacenJud, para nova investida”. (Proc. nº 070/1.09.0003410-1).

Na contramão da agilidade, tal taquaraço judicial é candidato a entrar no rol dos “piores do ano”.

Madame Tartaruga Jurisdicional está comemorando antecipadamente.

  Casamentos controlados

Foi publicada no Diário Oficial da União, na quarta-feira (13), a Lei nº 13.811, que altera o Código Civil para proibir o casamento de menores de 16 anos. O artigo 1.520 do Código Civil passou a ter nova redação: "Não será permitido, em qualquer caso, o casamento de quem não atingiu a idade núbil, observado o disposto no art. 1.517 deste Código".

A mudança foi aprovada em dezembro pelo Senado. No caso de jovens com 16 ou 17 anos, foi mantida a possibilidade de se casarem, desde que autorizados pelos pais ou responsáveis.

O projeto que resultou na lei é de autoria da ex-deputada Laura Carneiro (DEM-RJ). Na justificativa, ela referiu estudo da ONG Promundo, publicado em 2015: “O Brasil é o quarto país em números absolutos com mais casamentos infantis no mundo. Três milhões de mulheres afirmaram ter casado antes dos 18 anos”.

O estudo também indica que 877 mil mulheres brasileiras casaram-se com até 15 anos de idade. Mais: atualmente existiriam cerca de 88 mil meninos e meninas - com idades entre 10 e 14 anos - em uniões consensuais, civis e/ou religiosas no Brasil.

 Pernoite diferenciado

O ministro Rogerio Schietti Cruz, do STJ, garantiu liminarmente a uma travesti presa e condenada – por sucessão de furtos - em regime semiaberto, o direito de pernoitar na ala feminina do Presídio Estadual de Cruz Alta (RS). Foi a primeira vez que a corte analisou o tema.

Na decisão, o ministro entendeu que a permanência da travesti no presídio masculino é imprópria para uma pessoa que se identifica e se comporta como gênero feminino, "dada a característica ainda patriarcal e preconceituosa de boa parte de nossa sociedade, agravada pela promiscuidade que caracteriza ambientes carcerários masculinos".

A defesa da travesti, no caso acima relatado, foi feita pela Defensoria Pública do RS. Segundo a tese da impetração, a separação das penitenciárias apenas entre homens e mulheres gera violação ao princípio da dignidade da pessoa humana.

O habeas sustentou que a atuação estatal vem “desconsiderando as identificações de gêneros das pessoas recolhidas que não se enquadram nem como homens, nem como mulheres, em virtude das peculiaridades de transgeneridade”. (HC nº 497.226).

 Romildo tri?

Ativas forças tricolores decidiram apoiar a tentativa de segunda reeleição de Romildo Bolzan às próximas eleições, em outubro, do Grêmio Porto-Alegrense. O próximo passo exige a alteração dos estatutos – a ser buscada mediante substanciosa fundamentação jurídica.

Ontem pela manhã, o procurador de justiça aposentado e jurista Lenio Streck, notório gremista e combatente contra a “Imprensa Vermelha Isenta” aceitou ser o artífice do parecer e da fórmula das mudanças normativas necessárias à possibilidade do terceiro mandato.

O baú do Espaço Vital registra que a era Bolzan no Grêmio começou em 18 de outubro de 2014. Com 6.398 votos (71,4%), ele foi eleito presidente do Tricolor, para mandato de dois anos, após votação dos sócios em segundo turno. Candidato da oposição, Homero Bellini Júnior ficou com 2.557 votos (28,6%).

A reeleição de Bolzan foi em 12 de novembro de 2016, para mandato de três anos, com 5.605 votos (85,3% do total). O adversário Raul Mendes, ex-atleta tricolor, obteve apenas 963 votos (14,7%).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

As supremas especulações sobre dois futuros ministros do STF

  Antecipadas conjeturas para as vagas que se abrirão com as aposentadorias compulsórias de Celso de Mello (1º.11.2020) e Marco Aurélio Mello (12.7.2021).

  O “menino de ouro” de Dilma Rousseff queria ir para Londres, via Odebrecht, mas se conformou com o Avante, na Câmara dos Deputados.

  O MPF atrás da suposta fortuna amealhada por Michel Temer.

  Pagamento da anuidade da OAB com o uso de pontos amealhados em compras no comércio e em operações com cartões de crédito.

No TRF-4 uma eleição, uma futura posse festiva e uma mexida na jurisdição

 O catarinense Victor Luiz dos Santos Laus (foto), oriundo do MPF, foi eleito ontem (11) para presidir a corte. Ele deixa em junho a 8ª Turma que tem jurisdição criminal. Será um alívio para os réus da Lava-Jato?

 Quem se habilitará para completar o trio junto a João Pedro Gebran Neto e Leandro Paulsen?

 Administradora de consórcio deve liberar imediatamente o crédito ao beneficiário, em caso de morte do contratante, quando houver seguro prestamista.

 STJ anuncia para 8 de maio o julgamento de quatro recursos especiais que vão balizar a punição financeira, ou não, das construtoras por demora na entrega de imóveis.

 Reforma da Previdência cria trava para obter remédio por decisão judicial 

  Danilo Gentili novamente condenado: agora por ataques a Marcelo Freixo

 Aumenta a supremacia do gênero feminino na advocacia do Rio de Janeiro: já há 2.360 mulheres mais do que homens.

Condenação da Pepsi à reparação moral por demitir executivo acometido de câncer

· O trabalhador foi empregado da reclamada durante 28 anos, e seria promovido a diretor.

· A tese argentária da Pepsi: “Necessidade de cortar gastos e alcançar mais lucros, procedimento típico no sistema capitalista”.

· “Se o STF mudar o entendimento sobre a prisão após a condenação em segunda instância, o Brasil vai incendiar”.

· Taxista poderá recusar o transporte de clientes, se o local de destino for reconhecimento perigoso (Campo da Tuca, em Porto Alegre).

· Iesa Veículos condenada a fornecer carro reserva, até que Renault Kwid seja completamente consertado. Veículo novo teve dez panes em poucas semanas.

Financeira ingressa com apelação e depois, ela própria, pede que seu recurso seja improvido

· Engano, estresse, distração, ou “tilt” advocatício no antagonismo das duas petições da mesma parte?

· Saiba como foi o primeiro “tilt” forense, nos anos 90, no Foro de Porto Alegre.

· Uma ação judicial de R$ 327 milhões é a maior do ano, até agora. Esta não é “tilt”...

· Com o advento das “fake news”, o Primeiro de Abril está perdendo a sua graça.

Justiça feita com proventos e penduricalhos

· Nos TJs do Pará e da Bahia, generosidade para avaro nenhum botar defeito.

· CF-OAB pede que Supremo adie o julgamento da prisão após segunda instância.

· Política judiciária prepara a desidratação de Marcelo Bretas.

· O milionário Luiz Estevão aceita um salário de R$ 1.800 mensais.

· Ex-senador Edison Lobão vai ficando pelo Senado. Agora é o editorialista da Casa.

· Em nove anos, 1,1 milhão de bacharéis em Direito – saídos das centenas de faculdades brasileiras - não conseguiram aprovação no Exame de Ordem.

American Airlines condenada em R$ 1 milhão por uso abusivo do detector de mentiras

 Ela é a maior empresa aérea do mundo. Segundo o TST, a utilização do polígrafo eletrônico (foto acima) viola a intimidade do empregado principalmente ante sua ausência de confiabilidade científica.

 A mais jovem advogada brasileira tem apenas 19 de idade.

 Mandado de segurança do CF-OAB, no STF, questionando acórdão do TCU sobre a obrigatoriedade de prestar contas para controle e fiscalização.

 Condenado a 31 anos de prisão, ex-senador Luiz Estevão passa para o regime semiaberto

 Espaço Vital passa a ter mais presença nas redes sociais