Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira, 19 de fevereiro de 2019.

Babaquice tupiniquim



Coincidência. No mesmo espírito de registro de hoje, no Espaço Vital, “O temor irônico de advogados: terem que usar gel no cabelo...”, o jornal O Globo, do Rio, publica hoje (8) interessante matéria sobre o insensível uso obrigatório de paletós e gravatas, pelos advogados, em alguns tribunais.

Escreve o colunista sergipano, radicado no Rio:

O Órgão Especial do TRF da 2ª Região gastou, ontem (7) mais de uma hora para decidir, por maioria de votos, que advogados (tan, tan, tan, tan!) terão, sim, de usar terno e gravata durante as sessões, mesmo durante o verão, ao contrário de três outros tribunais regionais (TJ-RJ, TRE-RJ e TRT-1).

De um lado, tinha desembargador defendendo a retirada do adorno em torno do pescoço por causa do imenso calor nesta época do ano. (A OAB tem pesquisa mostrando que, entre os advogados, 46% têm pressão alta, bem acima da média nacional, de 25,7%, e o quadro pode se agravar com o tempo quente).

Do outro lado, havia magistrados defendendo a gravata em nome do “decoro e o respeito” ao Poder Judiciário.

A vice-presidente da OAB-RJ, Ana Tereza Basílio, considerou o debate sobre a gravata uma “babaquice tupiniquim”.

Ela ainda brincou com o fato de o marido, André Ricardo Cruz Fontes, presidir o TRF-2:

— Hoje ele vai dormir na portaria! – arrematou.

Leia nesta edição do Espaço Vital

“O temor irônico de advogados: terem que usar gel no cabelo”...


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Gerson Kauer

Carnaval financeiro antecipado traz dois penduricalhos de volta

 

Carnaval financeiro antecipado traz dois penduricalhos de volta

Liminar concedida pelo corregedor nacional de Justiça Humberto Martins acolhe pedido da AMB. Decisão refere que "não há uma simetria no pagamento de vantagens dentro dos tribunais". Levantamento feito pela imprensa revelou que o TJRS foi, em 2018, o campeão nacional dos gastos com “auxílio-moradia”, pagando R$ 40,3 milhões a 768 magistrados da ativa, incluindo 125 desembargadores.

Ponto eletrônico para magistrados

Advogado, autor de pedido de providências no CNJ, quer solução cidadã contra juízes e desembargadores que adotam o “regime T-Q-Q”. Este compreende trabalho só às terças, quartas e quintas-feiras.

PJe vai incorporar sistema de penhora on-line

Vários procedimentos do Bacenjud - que atualmente são realizados em meio manual e demandam várias etapas - poderão ser sistematizados e acionados por uma plataforma única e de acesso fácil para magistrados e tribunais.