Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 16 de abril de 2019.
https://www.espacovital.com.br/images/mab_123_15.jpg

Quase oito anos depois do atropelamento, o acórdão do caso das 11 tentativas de homicídio contra ciclistas



Arte de Camila Adamolli sobre foto Google Imagens

Imagem da Matéria

  Oito anos depois

O TJRS publicou, há poucos dias, o acórdão da apelação em ação penal que condenou Ricardo José Neis, servidor do Banco Central, pelo atropelamento coletivo de ciclistas, em 25 de fevereiro de 2011, na Rua José do Patrocínio, em Porto Alegre.

Foi confirmada a sentença, com pena de 12 anos e 9 meses de prisão, em regime inicial fechado, aplicada em 24 de novembro de 2016, pelo juiz Maurício Ramires, da Vara do Júri. Foram reconhecidas 11 tentativas de homicídio, com três qualificadoras, e cinco lesões corporais.

Uma das passagens do acórdão é candente: “O réu pretendia atingir indistintamente toda e qualquer pessoa que estivesse tripulando uma bicicleta à sua frente”.

Não há trânsito em julgado. Em março de 2011, Neis teve a prisão preventiva decretada. Um mês depois, obteve liberdade provisória.

De notória lerdeza, o processo aguarda, agora, novo julgamento, ante os embargos de declaração interpostos pela defesa do réu – o que retarda o início do cumprimento provisório da pena, após a condenação de segundo grau. (Proc. nº 70074012402).

Leia a íntegra do acórdão.

 O longo caminho de Lula

Caso a sentença de anteontem seja confirmada pelo TRF da 4ª Região, Lula terá uma pena de 25 anos, considerando também o julgado no caso do tríplex, pelo qual já está preso desde abril passado. Mas a nova pena só passará a ser somada à que o ex-presidente já cumpre há 306 dias, se nesse segundo caso houver uma condenação de segunda instância.

Antes disso, nenhum efeito prático.

Se os 12 anos e 11 meses (desta semana) forem somados aos 12 anos e 1 mês (de 24 de janeiro de 2018), a perspectiva de que Lula (73 de idade atual) obtenha a progressão de regime (o que é possível após cumprido um sexto da pena) ficará também mais distante.

Só poderia ser requerida depois que o condenado cumprisse quatro anos e um mês de pena, o que acontecerá em maio de 2022.

 Um habeas, por favor...

Lula de novo condenado, o PT está mais isolado, agora bem longe de ver seu líder fora da cadeia. Na Câmara, os petistas foram esnobados por Rodrigo Maia, que preferiu se aliar ao PSL.

No Senado, o PT abraçou Renan Calheiros (ajudado por Toffoli na madrugada) e isso tornou-se uma decisão desastrada, quando - 20 horas depois - o semi-odiado alagoano retirou a candidatura e deixou ao relento os parceiros de última hora.

Mesmo com os 47 milhões de votos da corrida presidencial, o PT não sabe o que fazer com eles. E Fernando Haddad voltou às salas de aulas, resistindo a assumir o comando. Acha mais prático residir no Twitter, acumulando críticas pontuais a Bolsonaro.

A presidência da sigla continua nas mãos (ou pés?) de Gleisi Hoffmann, rebaixada de senadora a deputada, cada vez mais contestada depois da abjeta escala na Venezuela, para apoiar Nicolas Maduro.

Na conjunção, o sonho do partido é um hipotético habeas corpus humanitário para Lula.

 

  O dia D

Mesmo já programado o julgamento das ações que questionam a prisão antecipada – após decisão de segundo grau e antes do trânsito em julgado – Dias Toffoli, pode, em tese, mexer na pauta de 10 de abril.

Em gabinetes, o presidente do Supremo convenceria a maioria dos colegas de que a questão agora está na órbita do Congresso, a quem cabe fazer as leis.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

As supremas especulações sobre dois futuros ministros do STF

  Antecipadas conjeturas para as vagas que se abrirão com as aposentadorias compulsórias de Celso de Mello (1º.11.2020) e Marco Aurélio Mello (12.7.2021).

  O “menino de ouro” de Dilma Rousseff queria ir para Londres, via Odebrecht, mas se conformou com o Avante, na Câmara dos Deputados.

  O MPF atrás da suposta fortuna amealhada por Michel Temer.

  Pagamento da anuidade da OAB com o uso de pontos amealhados em compras no comércio e em operações com cartões de crédito.

No TRF-4 uma eleição, uma futura posse festiva e uma mexida na jurisdição

 O catarinense Victor Luiz dos Santos Laus (foto), oriundo do MPF, foi eleito ontem (11) para presidir a corte. Ele deixa em junho a 8ª Turma que tem jurisdição criminal. Será um alívio para os réus da Lava-Jato?

 Quem se habilitará para completar o trio junto a João Pedro Gebran Neto e Leandro Paulsen?

 Administradora de consórcio deve liberar imediatamente o crédito ao beneficiário, em caso de morte do contratante, quando houver seguro prestamista.

 STJ anuncia para 8 de maio o julgamento de quatro recursos especiais que vão balizar a punição financeira, ou não, das construtoras por demora na entrega de imóveis.

 Reforma da Previdência cria trava para obter remédio por decisão judicial 

  Danilo Gentili novamente condenado: agora por ataques a Marcelo Freixo

 Aumenta a supremacia do gênero feminino na advocacia do Rio de Janeiro: já há 2.360 mulheres mais do que homens.

Condenação da Pepsi à reparação moral por demitir executivo acometido de câncer

· O trabalhador foi empregado da reclamada durante 28 anos, e seria promovido a diretor.

· A tese argentária da Pepsi: “Necessidade de cortar gastos e alcançar mais lucros, procedimento típico no sistema capitalista”.

· “Se o STF mudar o entendimento sobre a prisão após a condenação em segunda instância, o Brasil vai incendiar”.

· Taxista poderá recusar o transporte de clientes, se o local de destino for reconhecimento perigoso (Campo da Tuca, em Porto Alegre).

· Iesa Veículos condenada a fornecer carro reserva, até que Renault Kwid seja completamente consertado. Veículo novo teve dez panes em poucas semanas.

Financeira ingressa com apelação e depois, ela própria, pede que seu recurso seja improvido

· Engano, estresse, distração, ou “tilt” advocatício no antagonismo das duas petições da mesma parte?

· Saiba como foi o primeiro “tilt” forense, nos anos 90, no Foro de Porto Alegre.

· Uma ação judicial de R$ 327 milhões é a maior do ano, até agora. Esta não é “tilt”...

· Com o advento das “fake news”, o Primeiro de Abril está perdendo a sua graça.

Justiça feita com proventos e penduricalhos

· Nos TJs do Pará e da Bahia, generosidade para avaro nenhum botar defeito.

· CF-OAB pede que Supremo adie o julgamento da prisão após segunda instância.

· Política judiciária prepara a desidratação de Marcelo Bretas.

· O milionário Luiz Estevão aceita um salário de R$ 1.800 mensais.

· Ex-senador Edison Lobão vai ficando pelo Senado. Agora é o editorialista da Casa.

· Em nove anos, 1,1 milhão de bacharéis em Direito – saídos das centenas de faculdades brasileiras - não conseguiram aprovação no Exame de Ordem.

American Airlines condenada em R$ 1 milhão por uso abusivo do detector de mentiras

 Ela é a maior empresa aérea do mundo. Segundo o TST, a utilização do polígrafo eletrônico (foto acima) viola a intimidade do empregado principalmente ante sua ausência de confiabilidade científica.

 A mais jovem advogada brasileira tem apenas 19 de idade.

 Mandado de segurança do CF-OAB, no STF, questionando acórdão do TCU sobre a obrigatoriedade de prestar contas para controle e fiscalização.

 Condenado a 31 anos de prisão, ex-senador Luiz Estevão passa para o regime semiaberto

 Espaço Vital passa a ter mais presença nas redes sociais