Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 21 de maio de 2019.

O Incrível Hulk é azul, ou vermelho?



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Por Carlos Alberto Bencke, advogado (OAB-RS nº 7.969
bencke@benckesirangelo.com.br

Conta-se que na cidade marciana de Forno Alegre existiam dois grandes times de futebol. Um azul, o outro vermelho - como eram as cores dos habitantes da cidade. Ambos disputavam o campeonato intergaláctico, mas a disputa maior, pau a pau, ocorria mesmo na cidade de origem.

Quando disputavam o clássico Zul-Ver era comum um admirador de um, ou outro, servir de árbitro. Os vermelhos eram isentos, imparciais, assim vistos pela imprensa local. Os azuis costumavam admirar os vermelhos e faziam questão de mostrar que não eram azuis.

Para apitar, seguidamente convocavam um rapaz alto, forte, espadaúdo, loiro e de olhos claros que era muito considerado, tanto que arbitrava outros grandes jogos do campeonato intergaláctico.

Nascera azul, mas quando pegava o apito para trabalhar no clássico Zul-Ver transformava-se - tal qual o ator Bruce Banner - no Incrível Hulk: o azul, sua cor natural, virava um vermelho vivo, só para mostrar que não torcia para o azul.

Contam os mais antigos marcianos forno-alegrenses que conheciam uma história idêntica em que o famoso ex-craque Fogo Azul, que arrastava os erres das palavras, se transformava em Fogo Vermelho quando apitava o clássico.

Até que, um dia, os azulistas foram na sede do clube e queimaram sua foto de ídolo. Com fogo vermelho.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

A caminho do brejo

“Há sinais constantes de perigo no Brasil, há abundantes evidências de crime por toda a parte, mas a sociedade dá de ombros, vencida pela inércia e pela audácia dos canalhas”. Artigo da jornalista Cora Ronái, publicado em 8 de dezembro de 2016 e atualizado em 17 de maio de 2019.

Enfim… o precatório eletrônico no TJRS já é realidade

“A evolução migratória do sistema já arcaico e até medieval do processamento de ações judiciais do formato papel para o ambiente virtual traz inegáveis benefícios a todos os atores envolvidos no cenário jurídico-processual”. Artigo do advogado Telmo Schorr.

http://dukechargista.com.br/

Quanta heresia!

 

Quanta heresia!

“Em senso realizado pelo IBGE, em 2016, foi apurado que 24,8 milhões de brasileiros viviam na miséria e não tinham condições sequer de uma refeição diária, minimamente. Ora, o que isso tem a ver com o bufê de lagostas e vinhos caros, pretendido pelo areópago STF do Brasil ?”. Artigo do advogado Luiz Mário Seganfreddo Padão.