Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 20 de agosto de 2019.

Quase 200 anos de prisão!



Sentença proferida pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, condenou ontem (3), o ex-governador Sérgio Cabral (MDB) a mais 14 anos e 5 meses de prisão, por lavagem de dinheiro. Agora, a pena total do ex-governador é de 197 anos e 9 meses de prisão. Cabral está preso desde novembro de 2016.

A sentença admitiu provado que Cabral usou empresas de sua ex-mulher, Susana Neves, e de seu irmão Maurício Cabral para lavar dinheiro de propina pago pela empreiteira FW Empreendimentos Imobiliários e Construções em troca da obtenção de contratos com o Governo do Estado do Rio de Janeiro.

A defesa do ex-governador sustentou – sem êxito - que o dinheiro (R$ 5 milhões) que Cabral recebeu da FW era destinado a financiamento de campanha eleitoral via caixa dois. Mas o empresário Flávio Werneck, o pagador da propina, contou que destinou R$ 15 milhões ao então governador.

Outros três réus na mesma ação também foram condenados: Susana Neves, 8 anos e 4 meses de prisão; Maurício Cabral, 4 anos e 6 meses de prisão; Flávio Werneck, 8 anos e 4 meses de reclusão. (Proc. nº 0504466-15.2017.4.02.5101).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Foto Diário da Manhã (Passo Fundo)

Primeira condenação penal de Maurício Dal Agnol é de oito anos e dois meses

 

Primeira condenação penal de Maurício Dal Agnol é de oito anos e dois meses

Decisão da 4ª Câmara Criminal do TJRS confirma, na essência, a pena aplicada na comarca de Passo Fundo. Mas, com o provimento parcial dos recursos do MP estadual e do réu, a pena foi redimensionada para oito anos e dois meses de reclusão, em regime inicial fechado. Quatro fatos envolvem porte ilegal de armas de fogo, munição de uso restrito; um caso trata de receptação.