Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 20 de agosto de 2019.

Filas marcaram votação para presidência da OAB-RS



LÍVIA ROSSA/ESPECIAL/JC

Imagem da Matéria

A votação para a presidência da seccional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Rio Grande do Sul e para a diretoria das 106 subseções nesta sexta-feira (30) foi marcada, em alguns momentos, por longas filas. Desde às 9h, grande número de profissionais compareceu ao Ginásio Gigantinho, ao lado do estádio Beira-Rio para votar.

O local concentrou as urnas na Capital. Mais de 22 mil dos 58 mil advogados aptos a votar estão em Porto Alegre. No fim da manhã, a fila contornava o ginásio e percorria até o estacionamento ao lado.

Devido ao calor, muitos advogados levaram até sombrinha para aliviar o impacto do sol. Os eleitores, no início da manhã, sofreram com a chuva. A espera para votar, em alguns momentos, foi de mais de uma hora.


A grande presença de advogados com mais de 60 anos idosos, que possuem atendimento prioritário, ainda pela manhã foi considerada atípica pela organização da eleição. A sessão eleitoral da faixa etária foi a mais disputada. No total, são 70 seções para votar, usando urna eletrônica.

Até às 12h30min, nenhum dos candidatos tinha ido votar. Três chapas concorrem à sucessão. A votação vai até as 17h. A eleição ocorre a cada três anos e define a gestão que vai de 2019 a 2021.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Diário da Manhã (Passo Fundo)

Por 85 votos x zero, declarada a inidoneidade de Mauricio Dal Agnol para a advocacia

 

Por 85 votos x zero, declarada a inidoneidade de Mauricio Dal Agnol para a advocacia

Decisão unânime do Conselho Pleno da OAB-RS, tomada na sexta-feira (28), resulta na exclusão do advogado acusado de lesar cerca de 30 mil clientes. Mas ele ainda pode recorrer ao Conselho Federal. Caso já tem cinco anos e quatro meses de duração. Réu em diversas ações penais, Mauricio Dal Agnol (foto) está em liberdade desde 23 de fevereiro de 2015, graças a uma liminar em habeas corpus, concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello.

Foto: Reprodução/RBS TV

Declarada a inidoneidade de Mauricio Dal Agnol para o exercício da profissão

 

Declarada a inidoneidade de Mauricio Dal Agnol para o exercício da profissão

Decisão do Conselho Pleno da OAB-RS, tomada nesta sexta-feira (28), resulta na exclusão do advogado acusado de lesar cerca de 30 mil clientes. Mas ele ainda pode recorrer ao Conselho Federal. Caso já tem cinco anos e quatro meses de duração. Réu em diversas ações penais, Mauricio Dal Agnol (foto) está em liberdade desde 23 de fevereiro de 2015, graças a uma decisão do STF.