Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de outubro de 2019.

Infraestrutura antiga e muitas instabilidades



Montagem EV sobre charge Google Imagens

Imagem da Matéria

Pelotas, 7 de novembro de 2018.

Ref.: Obsoletismo consentido

Prezados editor e leitores do Espaço Vital.

Tendo em vista a flagrante descontinuidade do portal PEC, fiz uma consulta formal ao TJRS.

Vejam o que me responderam:

“Prezado Dr. Marcos. Segue a manifestação de nossa área técnica: ´O Portal de Consulta aos Processos de Execução Criminal – Portal PEC, não se encontra descontinuado ou fora de utilização. Ocorre, no entanto, que a infraestrutura que mantém o serviço ativo é muito antiga, necessita de tecnologias e componentes antigos que estão apresentando problemas, causando muitas instabilidades.

Temos equipe observando os servidores e restaurando os serviços tão logo estas instabilidades sejam percebidas, mas mesmo assim podemos ter um intervalo de tempo entre uma instabilidade e um retorno do portal. Também estamos trabalhando na migração deste portal para tecnologias mais atuais, que irão trazer a disponibilidade desejada.

Estimamos que até o verão de 2019 teremos o novo Portal PEC totalmente disponível para os usuários, sendo possível atendê-los com mais estabilidade.

(Ass.) Bel. Antônio Paulo Machado Campos, auxiliar judiciário, da Direção de Tecnologia da Informação e Comunicação, do TJRS”.

Talvez o TJRS ainda não tenha percebido que a falha constante na prestação do serviço atrapalha sobremaneira a advocacia e os apenados, prejudicando-lhes o acesso ao Judiciário.

Causa-me perplexidade que a corte não tenha emitido qualquer nota oficial ou notícia sobre a instabilidade do serviço, nem orientado como devem agir advogados e partes, mas apenas respondido com o palavrório que acima reproduzi.

Uma lástima, pois pelo que entendi o serviço somente vai funcionar em 2019, embora a falta de clareza quanto à expressão “verão de 2019” – afinal, o próximo começa em 21 de dezembro e termina em 20 de março.

Estarei sendo pessimista ao imaginar que o obsoletismo cinzento possa ingressar, em 2019, outono a dentro?

Atenciosamente,
Marcos Barcelos Neves, advogado (OAB-RS nº 68.877)
E-mail: kinho744@hotmail.com


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli com caricaturas de Frank Maia (Humor Político)

O “direito” do Banco do Brasil, de "analisar" um  ato judicial

 

O “direito” do Banco do Brasil, de "analisar" um ato judicial

Demora no pagamento de um alvará judicial encaminhado para “apreciação e controle do núcleo jurídico do BB”. E a concordância da juíza da causa:“Deverá o autor aguardar os trâmites internos do banco depositário para liberação do valor”. Leia os detalhes em “Carta de Leitor”, enviada pelo advogado Gastão Bertim Ponsi.

Divulgação

A Deusa Gaúcha da Justiça

 

A Deusa Gaúcha da Justiça

“Uma mulher cabelo indígena, com folha de trevo de quatro pétalas ao cabelo; rosto sem venda (símbolo da clareza e do conhecimento); busto da índia guarani missioneira, vestida de prenda”. A proposta é do advogado Eliseu Holz.