Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 21 de dezembro de 2018.
https://www.espacovital.com.br/images/smj.jpg

Bolsonaro convida Moro para o Ministério da Justiça



  Moro no STF

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou ontem (29), na primeira rodada de entrevistas após a vitória, que vai convidar o juiz Sérgio Moro para ser ministro da Justiça, ou ocupar uma vaga que venha a ser aberta no STF.

Textualmente, Bolsonaro disse que “se houver interesse dele, com toda certeza será uma pessoa de extrema importância num governo como o nosso” – disse.

Ontem mesmo (29) início da noite a notícia repercutiu na “rádio-corredor” do TRF da 4ª Região, com a informação de que “Moro não aceitará o convite para o Ministério da Justiça, por se tratar de cargo político instável, que implicaria em renúncia à carreira da magistratura”.

A mesma “rádio-corredor” – repercutindo altas vozes da corte regional – especulou que “o juiz Moro afirmará - se, oportunamente, quando de abertura de vaga no Supremo, o convite for renovado - poderá aceitar o ingresso na Corte suprema”.

Enquanto assessores do TRF-4 esquadrinhavam dados biográficos de Celso de Mello (aposentadoria em 2020)

e Marco Aurélio (aposentadoria em 2021), um chefe de gabinete de um dos magistrado do tribunal regional especulou: “E que tal se, ante as circunstâncias, Gilmar Mendes pedir aposentadoria nas próximas semanas para ir desfrutar das maravilhas de Lisboa – cidade de que tanto gosta?...

Entrementes, a “rádio-corredor” do CF-OAB já dizia ontem, em Brasília, que “também Michel Temer está de olho numa vaga que possa se abrir no Supremo ainda este ano para indicar um jurista político de sua confiança”.

  Alternativas para o MJ

O vice-presidente eleito, general Mourão, prefere outras alternativas para o MJ a partir de janeiro: os ex-ministros do STF Carlos Ayres Britto e Carlos Velloso.

E crava que Sérgio Moro será o nome ideal para mudar-se diretamente da 13ª Vara Federal de Curitiba, quando se abrir a vaga a primeira vaga – que Mourão espera que seja nos primeiros dias de janeiro.

 O temor que o TSE viveu

O jornalista Lauro Jardim, de O Globo, contou ontem (29), em seu blog, que os ministros do TSE se reuniram isolados no domingo, a partir das 17h, numa sala do tribunal para acompanhar o resultado da eleição. “O clima era de velório” – segundo um dos próprios ministros confidenciou no final.

Um deles disse vaticinou que "sobreviveremos", quando as urnas fossem abertas.

Mais uma informação de Jardim: “O TSE havia planejado uma saída alternativa, mantida em sigilo, para Rosa Weber conseguir sair do tribunal no domingo, em caso de emergência”.

Havia medo de que manifestantes obstruíssem as saídas convencionais do tribunal.

 Saída para os brasileiros?

Houve aumento, este ano, de 50% dos processos de brasileiros pedindo cidadania portuguesa. Entre as consultas, o salto foi de 100%. Os números são do Nabas International Lawyers, em Londres.

Em setembro, por causa da grande procura de pedidos de nacionalidade, o consulado de Portugal, em São Paulo, chegou a suspender os atendimentos. Mas já voltou à normalidade.


Comentários

Paulo Alves - Advogado 30.10.18 | 20:05:14

Seria ótimo se o Min. Gilmar Mendes cumprisse a propalada promessa de que se o Bolsonaro fosse eleito iria embora para Portugal. Poderia levar o Min. Lewandowski e o Min. Marco Aurélio com ele.  E o Decano poderia também já encerrar, não esperar 2020, coitado, está cansado.... Seria muito bom para o Brasil, renovar também o STF. E o juiz Sérgio Moro será ótimo no elenco.

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Diferenças e semelhanças entre os nojentos Abdelmassih e João de Deus

• Por enquanto, o ex-médico leva vantagem sobre o ex-medium. Graças a uma decisão do notório Ricardo Lewandowski, a pena de 278 anos de prisão, do primeiro, está sendo cumprida em casa.

 O que Machado de Assis escreveu sobre o diabo em 1906: “Se tu podes vender a tua casa, o teu boi, o teu sapato, coisas que estão fora de ti, como é que não podes vender a tua opinião, o teu voto, a tua palavra, a tua fé, coisas que são mais do que tuas?

 Tartaruga trintenária: a solução no STJ de uma das mais de 50 ações sobre o naufrágio do “Bateau Mouche”.

• Ri Happy: brinquedos para crianças, mas desconsideração aos avós.

Lasier Martins confundiu o público com o privado

 Senador gaúcho foi ao Rio, para a formatura da filha, com passagens e diárias de hotel pagas pelos cofres públicos. Que feio!

• Fernando Haddad condenado a indenizar Edir Macedo, chamado de “charlatão”.

 Cuidado para não emprestar seu nome!

 Um trenzinho de alegria apita para anunciar sua chegada na Câmara Federal.

• Jornalista Liziane Lima despede-se da Comunicação Social da OAB-RS.

Uma maneira expedita de responder as apelações: carimbar, carimbar...

 Ministro Carlos Marun vai passar o Dia do Marinheiro no Líbano...

 Michel Temer também vai viajar.

 Seu notebook pifou? Faça como a global Andréa Beltrão!

 Senado aprova o projeto que garante, aos advogados, o acesso a atos e documentos de processos judiciais eletrônicos, mesmo sem procuração específica.

 Chega ao STJ a primeira das ações cíveis que trata da queda do avião em que morreu Eduardo Campos.

 A OAS vai ser despejada em São Paulo.

Antes que o governo Temer acabe, o gaúcho Carlos Marun vai fazer uma “inspeção” no Líbano

 E na mesma linha das “viagens do adeus”, duas representantes do moribundo Ministério dos Direitos Humanos vão a Lisboa e Viena, para uma “visita técnica de prospecção”.

 Um projeto da deputada Clarissa Garotinho para salvar papai Garotinho.

 Lembram do mensalão do PT? Pois Marcos Valério é o único que ainda está preso.

 Uma estátua gremista para o zagueiro Bressan. Só que...

 Uma vaga no Presépio de Natal para Magno Malta.

 Justiça celestial recebe - afinal e definitivamente - executivo da Petrobras condenado a 24 anos de prisão e a devolver US$ 8 milhões.

Adivinhem a causa do fechamento de duas lojas de trajes finos masculinos

 Caiu o faturamento delas, porque 92% de seus clientes estão enrolados na Laja Jato.

 O borracheiro baiano que criou uma holding de R$ 580 milhões em sociedade com uma advogada

• Das redes sociais para o Brasil inteiro: “Sérgio Moro não saiu da justiça para fazer política; mas entrou na política para fazer justiça”.

• Os novos tempos de Toffoli no Encontro Nacional do Poder Judiciário: as cataratas de Foz do Iguaçu como panorama de fundo.

 O outono europeu é lindo: antes que Bolsonaro liquide com o Ministério dos Direitos Humanos, emissárias de Temer fazem “visitas técnicas de prospecção” em Lisboa e Viena.

 Um potim do livro “Jardim das Aflições”.