Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 18 de outubro de 2019.

Presidente do STF suspende a decisão de Lewandowski que autorizava entrevistas de Lula



Chargista Alpino

Imagem da Matéria

O jornal Folha de S. Paulo voltou a ser proibido de entrevistar o ex-presidente Lula. O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, suspendeu ontem (1º) a decisão do ministro Ricardo Lewandowski que suspendia a proibição e garantia a entrevista.

Toffoli afirma, na decisão, ter sido consultado pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, sobre qual decisão a Polícia Federal deveria cumprir: a de Ricardo Lewandowski que permitia as entrevistas; ou a de Luiz Fux (vice-presidente do STF) que proibia as entrevistas).

Toffoli respondeu que o acatamento deverá ser o aquele definido por Fux e destacou, com negrito e sublinhado, o trecho "até posterior deliberação do Plenário". Ele ainda não disse publicamente se pretende levar logo o caso à deliberação do colegiado.

A situação é original: a decisão de Toffoli cassa a decisão de Lewandowski, que cassava a proibição de Fux, que cassava a primeira decisão de Lewandowski.

Nesta segunda-feira Lewandowski adjetivou a decisão de Fux de "questionável" e disse que ela "não possui forma ou figura jurídica admissível no direito vigente, cumprindo-se salientar que o seu conteúdo é absolutamente inapto a produzir qualquer efeito no ordenamento legal".

O pronunciamento do referido ministro [Fux], na suposta qualidade de “presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal”, incorreu em vícios gravíssimos” – escreveu Lewandowski. (SL nº 1.178).

Leia a decisão de Dias Toffoli


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Sem Senado, só OAB!

O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, põe fim à indecisão: desiste de concorrer a senador. “Não tenho como deixar a Ordem neste grave momento nacional” – diz.