Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de dezembro de 2018.
https://www.espacovital.com.br/images/mab_123_11.jpg

A aritmética da oposição às eleições da OAB-RS: chapa com 71 homens e 71 mulheres



Arte de Camila Adamoli sobre imagem VIX

Imagem da Matéria

 Paridade oposicionista

O movimento de oposição às eleições de final de novembro para a OAB-RS definiu, no fim de semana, a efetiva paridade entre os gêneros masculino e feminino para a formação na chapa que terá um interessante apelo: “Mulher não vota em quem veta”. Os 142 cargos disponíveis serão divididos paritariamente: 71 para homens, 71 para mulheres.

Como candidatos a titulares no Conselho Seccional serão inscritos 33 homens e 33 mulheres; outro tanto, numericamente, como pretendentes à suplência no mesmo órgão.

Os dez cargos de diretoria da OAB-RS e da Caixa de Assistência dos Advogados serão preenchidos por cinco postulantes homens e cinco mulheres.

E para as seis vagas no Conselho Federal serão inscritos três advogados e três advogadas. “É a paridade que pregamos” – diz o pré-candidato à presidência Paulo Petri.

A propósito: o publicitário Alfredo Fedrizzi é quem está cuidando da imagem e da publicidade da chapa de oposição.

Depois de 30 anos comandando a Agência Escala, Fedrizzi – que dela se desligou em maio de 2017 - agora trabalha com gestões de imagem e reputação.

  Realidade situacionista

A seu turno, o que a situação na Ordem gaúcha tem definido é que Ricardo Breier concorrerá à reeleição, faltando escolher quem será, do gênero feminino, sua companheira de chapa.

O movimento OAB Mais, que está no poder desde 1º de janeiro de 2007, tem um problema de composição, entre grupos, na divisão de cargos. Os atuais vice-presidente Luiz Amaro Pellizzer e 1º secretário Rafael Braude Canterji tinham pertinentes aspirações presidenciais.

Porém estas, ao que tudo indica, não serão atendidas.

 Para açucarar

Interessado no desfecho de um possível segundo turno, o ex-ministro da Fazenda (governo Sarney) Luiz Carlos Bresser-Pereira tem procurado aproximar grandes empresários, entre eles Abílio Diniz (81 anos), do petista Fernando Haddad.

Economista e bacharel em Direito, Luiz foi o criador do Plano Bresser (1987) que aumentou impostos e congelou salários, preços e câmbio por 90 dias, na expectativa de combater a inflação. Esta, que antes do “plano” era de 23% anuais, atingiu 366% seis meses depois. Bresser então foi substituído por Maílson da Nóbrega.

Fora da política, Bresser foi exitoso participante das negociações para a libertação de Abílio Diniz, capturado em 11 de dezembro de 1989, por dez sequestradores, de vários países sul-americanos ligados a um pretenso movimento de esquerda, com a suposta participação de petistas.

Detalhes argentários: Diniz foi eleito pela revista Forbes, em 2016, a 477ª pessoa mais rica do mundo, 14º lugar entre os brasileiros. Ex-controlador do Grupo Pão de Açúcar, Diniz atualmente está cacifado como presidente do Conselho de Administração da Península Participações, presidente do Conselho de Administração da BR Foods, membro do Conselho de Administração do Grupo Carrefour e sócio majoritário das Casas Bahia.

 Trabalhadores do Brasil

Uma pesquisa qualitativa realizada por uma empresa de Curitiba pediu a 3.000 eleitores, em tosos os Estados brasileiros, que definissem, independentemente da verdadeira ocupação ou formação profissional, cada candidato citando uma profissão. O resultado produziu surpresas. É assim:

Jair Bolsonaro, militar;
Fernando Haddad, professor;
Ciro Gomes, motorista de táxi;
Geraldo Alckmin, funcionário público;
Marina Silva, enfermeira; Álvaro Dias, advogado;
Henrique Meirelles: professor de matemática.

No sonho de ser presidente da República, Henrique Meirelles gastou R$ 45 milhões até aqui, da própria riqueza. Ele está com 2% das intenções de votos. Considerando os (estimados) 147 milhões de brasileiros que irão às urnas, o ex-banqueiro e ex-ministro tem 2,9 milhões de simpatizantes.

Assim, o “professor de matemática” Meirelles já deve ter concluído que cada voto lhe “custou” R$ 15,52. Como precisa do apoio de 75 milhões de pessoas (50% do colégio eleitoral), no mesmo raciocínio Meirelles precisaria colocar mais R$ 1 bilhão e 140 milhões no projeto.


Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Maioria do TRF-2 considera inconstitucional a sucumbência para a AGU

• Nove votos já afirmaram que advogados públicos não podem receber honorários de sucumbência, caso a administração saia vencedora de uma disputa judicial.

 Bye, bye Brasil: 29% dos brasileiros gostariam de deixar nosso país.

 Curso de Direito continuará tendo cinco anos.

 STJ decide a restrição do foro privilegiado também para procuradores da República.

A disputa, por três filhas, sobre a destinação do cadáver do pai falecido há seis anos

  Em vida, o falecido teria manifestado, verbalmente, sua disposição de que, após a morte, seu corpo fosse submetido a um processo de congelamento (criogenia – foto acima), nos EUA, para que com a evolução da Ciência, fosse possível descobrir a causa de sua doença.

  A mina da Votorantim próxima ao rio Camaquã e o atropelamento múltiplo de ciclistas: dois “riscos vermelhos” do RS estão no Atlas Global de Justiça Ambiental.

 Unesco certifica a decisão do STF de equiparar a união estável entre pessoas do mesmo sexo à entre casais heterossexuais como “patrimônio documental da humanidade

Delatores premiados devem R$ 422 milhões às contas da Lava Jato

 A PGR lança uma ferramenta para tentar cobrar de notórios caloteiros que se livraram da cadeia.

• Nenhuma advogada conseguiu se eleger presidente de seccional da OAB. Eram oito candidatas, mas nenhuma teve sucesso.

 TJRS decide que a paternidade socioafetiva - declarada ou não em registro público - não impede o reconhecimento de filiação baseado na origem biológica.

 As atuais diferenças entre Lula e José Dirceu (este, ainda, um homem de supremo poder).

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos diz que homens e mulheres “não são iguais”

 Damares Alves (foto), anunciada como titular da pasta que será criada em janeiro, é advogada e pastora evangélica. Ela contou ter sofrido violência sexual aos 6 anos. É mãe adotiva de uma filha indígena.

 Um sutil puxão de orelhas dado pelo ministro Paulo de Tarso Sanseverino em dois advogados gaúchos.

 Políticos, esses grandes devedores da Fazenda Nacional...

 Férias pagas parcialmente antes do início do descanso motivam pagamento em dobro. Decisão é do TST.

Julgamento disciplinar de magistrados por suposto envolvimento em política partidária

  CNJ decide, no dia 11, os pedidos de providências contra o gaúcho Luiz Alberto de Vargas (TRT-RS) e outros nove magistrados.

  Vitória da situação advocatícia no RS consagrou uma frase: “A OAB não é partido político”.

  Supremos jeitinhos jurídicos para amenizar a corrupção: “É caixa 2”.

Moro prepara pacote de medidas de combate ao crime organizado

 Entre os pontos que serão analisados pelo Legislativo está a proibição da progressão de regime a presos que mantêm vínculos com organizações criminosas.

 Com o efeito cascata em todo o país, o aumento para o STF traz um impacto financeiro de 1 bilhão e 400 milhões de reais, ao ano.

 O supremo séquito e os balangandans: Toffoli levou seis assessores a encontro dos juízes federais em Buenos Aires.