Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira ,13 de dezembro de 2019.

Google deverá remover pilhérias contra deputada federal



Decisão judicial determinou que o Google remova quatro links contendo sátiras e paródias sobre a deputada e quase ministra do Trabalho Cristiane Brasil (PTB/RJ). Ela entrou, na semana passada, com uma ação no 23ª Juizado Especial Cível do Rio para que o Google removesse dezenas de URLs com notícias e pilhérias e gozações em relação ao tragicômico episódio de sua indicação para o Ministério do Trabalho. Entre elas, especialmente o viralizado vídeo em que aparecia de biquíni ao lado de amigos musculosos.

O juiz Antonio Carlos Pereira deferiu em parte o pedido de Cristiane e ordenou que o Google remova quatro links de conteúdo humorístico - por considerar que esse eles ultrapassaram "o mero intuito informativo". Um dos links proclama: "Temer anuncia a criação do Big Brother Cristiane Brasil".

Em outro, o jornalista José Simão diz que "o vídeo parece abertura de filme pornô: ela de biquíni numa lancha com quatro gogô boys que arrumou no Tinder”!

O Google não tirou os links do ar e anunciou que vai recorrer da decisão.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Camera Press

Estudo de Harvard associa YouTube a impulso à pedofilia

 

Estudo de Harvard associa YouTube a impulso à pedofilia

Uma pesquisa recém concluída diz que um algoritmo da plataforma da empresa subsidiária do Google recomendou um vídeo inocente de menina brasileira, de dez anos de idade, a usuários de conteúdo sexual. “Fiquei assustada com os milhares de visualizações” – diz a mãe da criança. As informações são do jornal New York Times.

CNJ sofre ataque de hacker

A invasão foi feita por uma pessoa que se intitula “Aline 1”.  Dados (nomes completos, números de contas bancárias, telefones, CPFs e senhas) de milhares de pessoas foram vazados.

Multa de R$ 2.4 milhões ao Facebook

Informações de, no mínimo, 1 milhão de britânicos foram vazadas. A empresa falhou em lidar com a questão, mesmo após ter sido alertada.