Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira ,12 de novembro de 2019.

Indenização para advogado agredido durante culto na Igreja Universal



A 22ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro condenou a Igreja Universal do Reino de Deus a indenizar em R$ 40 mil (valor nominal) um advogado que foi agredido com uma “gravata” e chutes por um segurança durante um culto na Catedral Mundial da Fé, em Del Castilho, zona norte da capital. O caso ocorreu em 2008, a ação teve julgamento antecipado de improcedência, a sentença foi cassada, houve instrução, nova sentença (de procedência) e, agora, o julgamento de segundo grau.

Os desembargadores negaram provimento ao recurso interposto pela igreja, que contestava a agressão, e parcial provimento ao recurso do autor da ação, que, inicialmente, queria R$ 100 mil de indenização por dano moral.

Conforme os autos, o advogado David Conde frequentava a Igreja Universal do Reino de Deus em Brasília e, numa viagem de férias ao Rio com a família, incluiu uma visita a um dos templos “atraído pela sua grandeza”. O fiel tirava fotos, sem a utilização do flash para não incomodar os presentes durante a oração, quando um pastor parou à sua frente. Em seguida, foi atacado pelo segurança, que o arrastou para fora do templo.

Segundo o advogado Conde, sua camisa foi rasgada durante a agressão, além de terem sido inutilizados os registros fotográficos. A cena foi assistida por outros fiéis e pastores, que não intervieram mesmo quando a mulher do advogado pediu por ajuda.

Por isso, ele foi à Justiça. A contestação argumentou que a agressão fora praticada apenas por um fiel, não um funcionário.

Para o relator, desembargador Marcelo Lima Buhatem, a Igreja Universal do Reino de Deus não provou que o autor da agressão foi um fiel. “Ressalte-se que a ré não nega a ocorrência do evento danoso, somente aduz que quem retirou o autor do interior do templo não foi um de seus prepostos, mas sim um dos fiéis que assistia ao culto e se sentiu incomodado com as fotografias.

Assim, a igreja responde objetivamente pelo fato, destacou Buhatem. No entanto, ele negou o pedido para aumentar a indenização para R$ 100 mil. Como os juros (12% ao ano) retroagirão, como marco inicial, à data do evento, já haverá aí um implemento - de mais 120% - chegando a aproximadamente R$ 88 mil. (Proc. nº 0180401-06.2011.8.19.0001 – com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-RJ e da redação do Espaço Vital).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Test drive fatídico

Atropelamento fatal de idoso, no perímetro urbano de Gramado. O TJRS condena um consumidor que testava um automóvel Prisma, duas empresas e uma seguradora. Reparação por dano moral para as duas filhas da vítima será de R$ 445 mil.

Jejum nas alturas

 

Jejum nas alturas

Condenação da American Airlines por não disponibilizar a três brasileiros (um casal e sua filha) – durante voo de 12 horas - alimentos kosher que haviam sido solicitados e pagos. Indenização será de R$ 18 mil.