Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira, 19 de fevereiro de 2019.

Distribuição de chupeta (s)



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Há um tititi na comarca de entrância final: um magistrado – em vias de ser promovido a desembargador – tem frequentes confrontos com advogados, nas audiências.

A “rádio-corredor” irradia, complementarmente, que tal juiz costuma “oferecer chupetas a advogados, a quem chama de chorões”. Mas, numa entrevista ao “Diarinho” – o principal jornal local - o juiz limita a abrangência dos “chorões” a “um choroso” só.

Textualmente, o magistrado confirma que houve uma representação contra ele no Tribunal de Justiça. “Mas o problema não era exatamente a chupeta. O que ocorreu foi que, numa audiência, eu disse: ´O senhor está chorando tanto…´ . E ofereci o bico. Mas foi para a parte” – diz ele.

O juiz ofertante prossegue na entrevista: “A justiça não tem amigos, ela tem interessados. Muitas vezes, a relação entre juiz e advogado não é das melhores. Porque o juiz fica dizendo ´não´ - e dizer ´não‘ não é fácil”.

Afinal, o magistrado admite ter havido uma representação de iniciativa da OAB, relatando que ele oferecera um bico a um advogado. “Mas foi provado que isso não era verdade e o processo foi arquivado” – diz ele.

O juiz detalha, sobre o caso confirmado, que se tratava de uma audiência sobre Direito de Família:

Então eu disse pra parte: ´O senhor tá chorando, pega esse bico´. Era um bico que uma criança tinha me dado de presente. Eu falei: ´Quem sabe o senhor pega esse bico e vai chupar, porque aqui o senhor tem que pagar pensão´. Era um médico que não queria pagar pensão alimentícia”.

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>
Os fatos foram revividos ontem (18) por advogados catarinenses, numa busca ao baú forense da comarca de Itajaí (SC). O caso dos bicos – ou, pelo menos de um bico só – envolve o porto-alegrense de nascimento Eduardo Mattos Gallo Júnior, 50 de idade.

Magistrado de carreira, mais de 20 anos na profissão, desembargador do TJ de Santa Catarina desde 2017, ele foi defenestrado pelo Órgão Especial da corte, na última sexta-feira (15) por diversas infrações: Violência doméstica contra a esposa e assessoria jurídica de partes - que, no conjunto, foram considerados comportamentos antiéticos e violadores dos princípios do decoro.

Após punir Gallo com a “pena máxima” (???) de aposentadoria, o TJ de Santa Catarina foi prosaico numa publicação: “A matéria, no âmbito do tribunal está encerrada”. Mas o palavrório oficial tem ainda uma frase promissora: “O Ministério Público, se entender que tais fatos constituem mais que infrações administrativas, poderá promover ação para apurar eventual cometimento de ilícitos penais, com a possibilidade de o magistrado inclusive perder seu cargo público”.

Há controvérsias.


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Gerson Kauer

Mulher em caução!

 

Mulher em caução!

Astucioso, o homem sai do motel sem pagar a conta. Surge depois a inusitada ação contra uma mulher, 30 de idade, tentando “receber o valor de uma diária, jantar e bebidas e, cumulativamente, uma reparação financeira, mesmo que pequena, para punir a ré pela trapaça civil cometida”

Gerson Kauer

De grosso calibre

 

De grosso calibre

No prédio com vista para o Guaíba, em que atuam lidadores do direito, chega uma caixa com “uma coisa estranha” endereçada a uma das doutoras da casa. Seria um “bilau” de brinquedo? O decano deu a solução na reunião em que participaram as cabeças mais lúcidas da Casa: “Temos que rever nossos conceitos”.

Charge de Gerson Kauer

O namorado do juiz

 

O namorado do juiz

Na comarca de entrância intermediária, um dos juízes é gay. Seu então parceiro é um técnico em informática de uma grande empresa agro comercial. Afinados, os dois homossexuais têm apenas uma única grande diferença: a questão salarial. De repente, há um tombo financeiro.

Chargista Kauer

A “Menina Veneno”

 

A “Menina Veneno”

Bem vivido, bom de bolso graças à consistente aposentadoria recheada de interessantes penduricalhos, o destacado ex-operador jurídico, viúvo, boa pinta -  se é que isso é possível para um cidadão com 70 de idade -  afinal sai com uma moça escultural, bem malhada, 24 anos.  De comum, entre eles, só o Direito.

Charge de Gerson Kauer

  O enterro da sogra que não morreu

 

O enterro da sogra que não morreu

A inusitada abordagem no plantão judicial forense. Como autorizar o funeral de uma provecta idosa, de aparência taciturna, que – como manifestação de última vontade - deseja ser sepultada no sítio em que reside? O texto é de Dirnei Bock Hendler, servidor judicial estadual (RS)

Charge de Gerson Kauer

A fama do João Grande

 

A fama do João Grande

Era uma ação penal contra um homem que estaria ofendendo e ameaçando a ex-esposa. As desavenças ocorriam porque ela postava, nas redes sociais, que o ex-marido vivia sempre na casa do João Grande, famoso na cidade gaúcha por ser bem-dotado.