Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de dezembro de 2018.

A íntima revelação da advogada



Charge de Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Sessão de uma câmara cível do TJ, sala abarrotada, uma chamativa advogada, trintona, faz uma sustentação oral veemente, em favor da alteração do registro civil de sua cliente. Esta se tinha por mulher mas fora registrada com nome e sexo masculinos. Em função de algumas controvérsias físicas e factuais, a sentença de primeiro grau negara o pedido.

À medida em que vai relatando peculiaridades do caso, a advogada constata que colegas de profissão que esperam os julgamentos seguintes se alvoroçam nas cadeiras e cochicham entre si. Ela, então, interrompe a sustentação e gesticulando pede ao presidente:

- Excelência, requeiro que a sessão prossiga a portas fechadas, em função de uma reveladora e íntima informação que quero fazer.

Os desembargadores olham-se entre si, maneiam a cabeça afirmativamente e o presidente defere:

- Embora seu pedido devesse ter sido feito antes de iniciado o julgamento, ainda assim vou atendê-lo. E desde logo, em nome da câmara, desculpo-me ante os presentes, ao solicitar que deixem a sala por alguns minutos. A sessão prosseguirá sob o manto do segredo de justiça.

Algumas feições surpresas, outras contrariadas etc., a determinação é atendida. A sala de julgamentos fica sem “intrusos”. A porta é chaveada por dentro e, dois minutos depois, a sessão continua.

Certificando-se que o segredo de justiça está sacramentado, a advogada prossegue e revela:

- Senhores desembargadores, eu própria sou uma transgênero!

E põe-se a revelar algumas peculiaridades dela e de sua cliente, até arrematar:

- Estou convicta de que os senhores magistrados, profundos conhecedores dessas páginas e experiências de vida de variadas opções e variações sexuais, bem entenderão a extensão do drama que se retrata no processo.

A apelação afinal é provida. O presidente proclama o resultado, mas diz que, extra autos, precisa fazer um reparo. E olhos fixos na advogada, arremata:

- Doutora, um detalhe. Destas variações sexuais a que a senhora se refere, eu e meus dois colegas de câmara não entendemos nada!


Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Charge de Gerson Kauer

  O enterro da sogra que não morreu

 

O enterro da sogra que não morreu

A inusitada abordagem no plantão judicial forense. Como autorizar o funeral de uma provecta idosa, de aparência taciturna, que – como manifestação de última vontade - deseja ser sepultada no sítio em que reside? O texto é de Dirnei Bock Hendler, servidor judicial estadual (RS)

Charge de Gerson Kauer

A fama do João Grande

 

A fama do João Grande

Era uma ação penal contra um homem que estaria ofendendo e ameaçando a ex-esposa. As desavenças ocorriam porque ela postava, nas redes sociais, que o ex-marido vivia sempre na casa do João Grande, famoso na cidade gaúcha por ser bem-dotado.

Charge de Gerson Kauer

O gaúcho caloteiro

 

O gaúcho caloteiro

A difícil intimação de um fazendeiro, já conhecido no meio forense, como o Senhor Caloteiro. O êxito da diligência só acontece porque, no esconderijo, o devedor é acometido de coceira causada por urtiga.

Charge de Gerson Kauer

   A experiência dos velhinhos

 

A experiência dos velhinhos

Segundo a cartilha do banco, os saques mínimos no atendimento presencial seriam de R$ 200. Saiba como a idosa senhora - mãe de um advogado e avó de um estagiário do tribunal - convenceu o caixa de que ela tinha direito líquido e certo a sacar apenas R$ 50.

Charge de Gerson Kauer

Quando o suposto amor vira negócio

 

Quando o suposto amor vira negócio

O cliente, à hora da saída do motel, acelera o carro, derruba a cancela e se vai em desabalada fuga. Saiba porque, em Juízo, o tresloucado gesto do homem comove o juiz e obtém simpatia do dono do estabelecimento de hospedagem.

Gerson Kauer

Perfume de segunda categoria

 

Perfume de segunda categoria

Após presidir a audiência de ação penal relativa a roubo à mão armada ocorrido em uma loja de perfumes, o elegante juiz é surpreendido com a pergunta desferida pela vítima: “Doutor, o senhor tem compromisso para hoje à noite?