Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 20 de setembro de 2019.

Ministério Público do Trabalho processa a TAM numa ação de R$ 50 milhões



O Ministério Público do Trabalho (MPT), em São Paulo, confirmou o ingresso de uma ação civil pública contra a TAM Linhas Aéreas S/A por "não fornecer condições de revezamento adequadas ao repouso de pilotos e copilotos de revezamento”. Alguns estariam passando até 15 horas sem descanso adequado.

Sob a alegação de que a prática gera danos morais coletivos pelos riscos que representa "à saúde mental da tripulação, com consequente risco de catástrofe aérea", o MPT-SP pede que a empresa seja condenada a pagar R$ 50 milhões por dano moral coletivo.

De acordo com o MPT-SP as investigações começaram a após denúncias anônimas informando sobre as condições de repouso de trabalhadores nos intervalos que fazem durante voos de longa distância nas aeronaves Airbus A-330.

"Durante o inquérito civil, um laudo técnico comprovou que os pilotos e copilotos são obrigados a realizar o turno de descanso em poltronas com desníveis e que não reclinam totalmente, como exigido por lei. Outro problema encontrado foi que apenas uma cortina separa os trabalhadores em descanso da área dos passageiros, trazendo barulho e luminosidade constantes, acima dos valores recomendados para condição de descanso no trabalho, de acordo com o laudo" - diz o MPT-SP.

Conforme o Sindicato dos Aeronautas, que também foi ouvido, as aeronaves do modelo A-330 são vendidas pelo fabricante com opção de "compartimentos próprios para descanso horizontal". A suspeita, segundo os procuradores, é de que a empresa tenha tentado ganhar espaço nas aeronaves ao encomendá-las sem esses compartimentos.

Para o MPT-SP, “a negligência da TAM não é ocasional, e sim reiterada e contínua, colocando em risco não só a saúde mental dos pilotos e copilotos como também todas as pessoas a bordo da aeronave”. Os promotores dizem ainda que a TAM teria se recusado a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta para “corrigir as irregularidades”, e por isso a decisão de abrir o processo.

Procurada pelo Espaço Vital, a TAM informou que irá se manifestar apenas por meio dos autos do processo.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Demanda judicial entre irmãos pelo uso e posse de um moletom de R$ 79,99

Na sentença, em que dá ganho de causa à mulher, o juiz escreve que “os Juizados Especiais também são destinados a tentar ajudar as pessoas a resolver pequenas pendências cotidianas e atritos de menor importância”. Mas reconhece que “sempre é possível se surpreender com o que aparece".