Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira ,12 de novembro de 2019.

Copia, cola & não confere



* "Considerando os pedidos de diligências formulados pelo MP, defiro a prova pericial requerida pelo Estado. Intime-se as partes para a formulação de quesitos e indicação de assistentes técnicos, no prazo de cinco dias. Após, remetam-se os autos ao Departamento Médico Judiciário para realização da perícia. Intime-se. Dil. legais".  

* O texto é de de uma decisão judicial na afamada 3ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre (proc. nº 10802063822). Como a ação trata de uma licitação publicitária - impugnada pelo MP - fica difícil adivinhar de que maneira (clínica?) os médicos vão avaliar papéis, propostas, lay-outs e artes finais. Etcetera.

A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

O “jus sperniandi

Expressão de falso latinismo alude ao espernear de uma criança, inconformada com uma ordem de seus pais. E juiz gaúcho não manda tarjar palavras inconvenientes em petição porque , “no processo eletrônico é inviável riscar uma expressão dos autos”.

A importância da caneta

Ao cumprir diligência citatória, oficial de justiça deixa de colher a assinatura do réu porque “ninguém tinha caneta na hora”.

"In tontum"

Equívoco advocatício. Petição para que a ação seja julgada procedente"IN TONTUM"...