Ir para o conteúdo principal

Edição de quinta-feira ,14 de novembro de 2019.

TV Globo diz que não exibirá programa do PT



A TV Globo afirmou ontem (14) que não exibirá as propagandas partidárias do PT previstas para entrar no ar a partir de hoje (15). A decisão põe em risco a estratégia petista para dar visibilidade ao pré-candidato do partido a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, antes do horário eleitoral gratuito, em agosto.

Em nota, a TV diz que seguirá "determinação da Justiça Eleitoral para que os partidos entreguem a documentação dos programas partidários com o prazo de 15 dias de antecedência a sua exibição".

Como, segundo a Globo, o pedido foi feito com seis dias de antecedência, os programas não serão veiculados. "A regulamentação oficial é a mesma para todos, tanto que outros partidos que não cumpriram o prazo não tiveram exibição", afirma a nota.

Mais cedo, o coordenador da campanha, Antonio Donato, disse que a veiculação era "uma questão de bom senso e de a Globo contribuir com a vida democrática do país". Ele comparou que "existe um direito de expressar uma mensagem partidária que foi garantido pela Justiça Eleitoral e por uma formalidade está sendo negado por uma emissora". Segundo ele, só a Globo mostrou resistência, e os programas devem ir ao ar nas demais emissoras abertas.

Nas inserções, Haddad aparecerá ao lado do ex-presidente Lula, em falas intercaladas. A presidente Dilma Rousseff e o presidente do PT, Rui Falcão, também gravaram participações.

A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Cassado o mandato do deputado gaúcho Luis Augusto Lara

Ele perde também a presidência da Assembleia Legislativa do RS. A cassação do mandato foi decidida por 4 x 3 votos. Ele estava sendo processado por favorecimento de uso da máquina pública em Bagé, na eleição de 2018.

Sem Senado, só OAB!

O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, põe fim à indecisão: desiste de concorrer a senador. “Não tenho como deixar a Ordem neste grave momento nacional” – diz.