Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
https://www.espacovital.com.br/images/escreva_direito_2.jpg

Palavras e expressões perigosas (4)



Imagens: Freepik - Montagem: Gerson Kauer

Imagem da Matéria

Seguem mais casos de palavras e expressões cujo uso requer atenção especial à forma e ao significado:

Dar a luz / Dar à luz: A primeira tem o sentido de fornecer luz, esclarecimento: a fala do especialista deu a luz que faltava. Para informar que a mulher teve o filho, a expressão correta é a segunda: Maria acaba de dar à luz uma menina. O que se informa é que Maria trouxe a menina para a luz, e não que ela forneceu a luz para a menina.

Desapercebido / Despercebido: Em despercebido se informa que não foi percebido: Sua presença passou despercebida. Desapercebido tem o sentido de desguarnecido, desprevenido: A situação o pegou desapercebido. 

Descriminar / Descriminalizar / Discriminar: Na formação do significado das palavras, é importante atentar para a presença e o significado dos prefixos: o prefixo des-, por exemplo, pode introduzir, entre outros, os sentidos de afastar, livrar, deixar de considerar: Descriminar significa livrar do crime, inocentar, enquanto descriminalizar tem o sentido de deixar de considerar crime. O prefixo dis- introduz, entre outros, os sentidos de separar, distinguir, detalhar: discriminar as contas, discriminação racial, religiosa... 

Despejar / Pejar: O pouco usado verbo pejar significa encher, ocupar; isso leva a entender que despejar tem o sentido de desencher, desocupar. Portanto, a ação de despejo visa à desocupação do bem, do prédio, e não do inquilino. Em outras palavras, a ação de despejo é contra o inquilino, mas o despejo não é dele, e sim do bem.

Dessarte / Destarte: Em que pese o uso estar consagrando destarte e os dicionários admitirem as duas formas, inclusive o VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), em função do significado, que remete a algo já mencionado, dessarte é a forma que está em consonância com a norma gramatical, tanto é verdade que, quando substituída por expressão de sentido igual (dessa maneira, dessa forma), usa-se com SS (dessarte), e não com ST (destarte). A consagração do erro chegou ao ponto de o meu Word sublinhar com traço vermelho a forma correta, como se ela não existisse.

Quando não se escreve direito...

“Prezadas senhoras, não esqueçam a próxima venda para beneficência. É uma boa ocasião para se livrar das coisas inúteis que há na sua casa. Tragam seus maridos.”

Era um dos avisos encontrados no mural da igreja. Mas, algum erro? Qual a norma gramatical ferida? Não há qualquer ofensa à gramática, erro algum. O único, mas trágico, problema é que não se levou em conta o contexto, pois os maridos acabaram sendo incluídos entre as coisas inúteis. Isso não está dito, nem estava nas intenções do autor do texto, mas é o que se infere. Esse sentido não está nas palavras, na semântica, mas no contexto, na pragmática. Sempre é bom lembrar: comunicação não é o que se pretende dizer, nem mesmo o que se diz, mas, sim, o que é entendido. 


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor