Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 18 de fevereiro de 2020.
https://www.espacovital.com.br/images/jus_azul_caricatura_2.jpg

Aimoré deu uma coçadinha e Grêmio arrumou sarna



Arte EV sobre caricatura de Mendes /NDMais

Imagem da Matéria

Era para ser um jogo fácil. Não seria bom – e nem se cogitava – um resultado que pudesse levar a um Gre-Nal prematuro. Neste momento, avalio que a própria direção e jogadores pensam que não é bom negócio enfrentar o maior rival. E suponho que também o rival pensa assim.

Mas, se isso é assim, por que o Grêmio jogou tão preguiçosamente contra o Aimoré, cuja folha de pagamento não dá a do jogador mais bem pago do Grêmio?

Renato deu uma de professor pardal. Inventor. Ele e lampadinha pensaram tanto e conseguiram escalar o novo André (quer dizer, Luciano) atrás de Diego Souza. Dois centroavantes? E dois volantes? Contra o temível Aimoré?

Contra o Inter vamos de três volantes? A ver. Mas algo há. Pode ter sido apenas uma escorregada. Mas que a coçadinha do Aimoré virou uma sarna, ah, isso virou.

O Grêmio procurou sarna. Gre-Nal, neste momento, é sarna. Na prática, vale o primeiro turno. Imaginem uma eliminação.

Enfim, sabemos que é início de temporada. Porém, é inadmissível que um time, com reforços caros, jogue desse modo contra um time formado às pressas como o Aimoré, que, aliás, não ganhou por mais por muito pouco. Fez dois e podia ter feito quatro. Facinho...

A única coisa que se tira dessa patacoada é aquilo que o Ricardo Wortmann vem dizendo: o que mata o time são os elogios. O incenso. Isso sempre dá errado. Goleada no Esportivo. A IVI ajuda a afundar a gente, inflando a malta tricolor. Pior: os jogadores acreditam. Resultado: derrotas como a contra o Atlético e perda da vaga na Copa do Brasil; perder de goleada para o Flamengo e perder a Libertadores... Saltinho alto.

Portanto, com o fiasco contra o Aimoré tem-se que, mantendo a mística, na próxima – o Gre-Nal – jogaremos bem.

Moral da história: desconfiemos, sempre, dos elogios da imprensa vermelha isenta. E, logicamente, façamos sempre o contrário do que dizem. Se falam em volantes, coloquemos atacantes. Se falam em atacantes, coloquemos defensores. É da essência da IVI. São como o escorpião. Pega carona com o sapo. No meio do rio, ferram. Morrem junto. Mas, e daí? Há quanto tempo não ganham nada?


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação, clicando aqui.

Comentários

Banner publicitário

Mais artigos do autor

Deposit Photos

Pedidos do Jus Azul ao Papai Noel

 

Pedidos do Jus Azul ao Papai Noel

“Que o Grêmio dispute todas as competições. Se o jogador fizer ´mimimi´, faça-o ajoelhar no milho. E que Renato seja presenteado com uma faixa natalina: ´Jogador joga – jogador não folga´”!

Arte EV por Marco Antonio Birnfeld e Ana Paula Saldanha

O Grêmio, o Mano e as ´Côôpass´!

 

O Grêmio, o Mano e as ´Côôpass´!

“O Grêmio é maior abandonador de Brasileirões. É uma lenda urbana essa história de que a Copa do Brasil é o melhor atalho. Há uma crise no futebol: o velho não morre (o modelo Felipão, Mano, Argel – Renato está no limbo) e o novo não consegue se impor por causa da resistência do velho, mormente porque este é apoiado pela imprensa que não quer dar o braço a torcer”.