Ir para o conteúdo principal

Edição Extra, interrompendo, em 11.1.2020, as férias da Equipe Espaço Vital
https://www.espacovital.com.br/images/smj.jpg

Léo Pinheiro chegou a fazer as malas, porque iria sair “naquele dia” ...



Montagem de Gerson Kauer fotos Google

Imagem da Matéria

Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, passou a cumprir prisão domiciliar a partir de terça-feira (17). Ele estava preso desde setembro de 2016 e já foi condenado em cinco ações na Justiça do Paraná relacionadas à Operação Lava Jato. Ultimamente encontrava-se recluso na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba.

O regime do empreiteiro progrediu devido à homologação da delação premiada. O acordo – que tem 109 anexos - foi fechado em janeiro pela Procuradoria Geral da República e enviado, em setembro, para o STF. O conteúdo ainda está sob sigilo.

A partir da homologação pelo Supremo, a PGR vai analisar os anexos da delação e poderá pedir a abertura de novas investigações ou a inclusão de depoimentos em inquéritos já abertos.

Veterano da prisão de Curitiba, Pinheiro levou para a cela o mesmo estilo conciliador que tinha quando era o poderoso líder da OAS. Quando um problema acontecia nas três celas que abrigam os presos da Lava-Jato em Curitiba, ele era o responsável por melhorar o clima. Foi o que ocorreu quando Antonio Palocci se desentendeu com a maioria dos reclusos, por manter sempre ligada uma extensão que poderia comprometer a energia de toda a área.

Leo interveio, Palocci ouviu em silêncio e desligou a gambiarra.

Pinheiro gostava da função assumida de contador de histórias. Em determinado dia, após combinação prévia com o doleiro Adir Assad, também recluso, os dois mostraram-se bem humorados e passaram a arrumar as malas porque naquele dia “deixariam a prisão, depois de uma liminar concedida pelo Supremo”.

As horas foram passando, ninguém se deu conta do blefe até que – na hora da suposta despedida – Pinheiro pilheriou: “Enganamos vocês, hoje é primeiro de abril de 2018, dia da mentira, e também dia dos bobos”.

Até os policiais federais ficaram sem jeito, por terem acreditado na pilheria – só então se dando conta de que ordem de soltura nenhuma chegara à carceragem.

Pinheiro costumava também comparar os presos como os galináceos que vão para o forno giratórios das lanchonestes nos fins-de-semana. “A única galinha que escapa do inferno é a que fez delação premiada” – costumava repetir, notadamente quando novos presos chegavam.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Imagens: Freepik - Arte: Gerson Kauer

Testamento mundano

 

Testamento mundano

As originais disposições deixadas por cidadão septuagenário, falecido há poucos dias. Além de repartir a parte disponível de seus bens, ele pediu que - após a cremação - as cinzas fossem levadas a “uma acolhedora casa de prazeres onde a rotina seja a boa companhia de mulheres bonitas”.

Imagem: Freepik - Arte EV

Mãe biológica e avó paterna

 

Mãe biológica e avó paterna

Aos vinte e poucos anos de idade - com a mudança dos costumes e a alteração de conceitos - Jônathas e Alfredo (nomes fictícios) resolveram viver a parceria de uma relação homossexual, sem cirurgia de redesignação sexual ou transgenitalização. E conseguiram ter um filho.

Imagens: Freepik - Arte EV

A autoridade 51

 

A autoridade 51

No município interiorano comemora-se o cinquentenário de sua fundação. O ponto alto dos festejos é um baile. Chegam da capital e participam os filhos ilustres da região, bem como as autoridades locais: o juiz, o prefeito, o padre e o delegado. De repente, um tipo estranho tenta entrar...

Um calhamaço de 56 páginas do DJE para intimar várias centenas de advogados

  • Nota de expediente disponibilizada no dia 26 contém intimação para dezenas de advogados já falecidos. Também para ex-profissionais da advocacia que hoje são desembargadores do TJRS.
  • Dois mil carros, aeronaves, ouro e até ração canina: os itens - que eram de criminosos - leiloados pelo MJ.
  • A maior derrota do PT desde 1980.

Chargista Duke - www.DomTotal.com

Algumas coisas do que se viu, ouviu e leu sobre o assassinato no Carrefour

 

Algumas coisas do que se viu, ouviu e leu sobre o assassinato no Carrefour

  • Matriz francesa referiu que foi o “dia mais triste da história da empresa”....
  • O brasileiro Abilio Diniz, o terceiro maior acionista da rede, disse que ficou “triste e indignado”.
  • A empresa de segurança (?) Vector anuncia, em seu portal, seu “comprometimento, seriedade, profissionalismo, companheirismo, honestidade, idoneidade, perfeccionismo, confiabilidade e superação constante”. Onde?...
  • A queda, ontem (23) das ações da empresa no Brasil.