Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 16 de julho de 2019.

Herdeiro da OAS sofre infarto durante depoimento judicial em Curitiba



Herdeiro da empreiteira OAS , o empresário Cesar Mata Pires Filho, 41 de idade, sofreu um infarto durante depoimento à 13ª Vara Federal de Curitiba na tarde de ontem (8). Ele estava sendo questionado pelo juiz federal Luiz Antonio Bonat, sobre um caso, apurado pela operação Lava-Jato, em que é acusado de pagar propinas ao PT (como partido) e a agentes públicos na construção de um prédio da Petrobras em Salvador.

Durante o depoimento, o empresário começou a se sentir mal, desmaiou e bateu com a cabeça na mesa da audiência. Funcionários da Justiça Federal acionaram uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para prestar atendimento médico. A audiência foi suspensa diante do incidente.

Após o atendimento de urgência, o empresário foi encaminhado para o Hospital Santa Cruz, em Curitiba. Por volta das 19h, foi submetido a procedimento cirúrgico. A assessoria de comunicação do hospital afirmou que “não comenta sobre o estado de saúde de seus pacientes”. A continuação da audiência será em setembro, em data a ser fixada pelo juiz, dependendo da evolução da recuperação de Cesar Mata Pires Filho.

O empresário chegou a ser preso no fim do ano passado e foi solto após pagar uma fiança de R$ 28 milhões. Em dezembro, ele se tornou réu de ação penal derivada de investigações da Lava-Jato, por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro.

O pai dele, Cesar Mata Pires, fundador da OAS, morreu em 2017, aos 67 de idade, vítima de um infarto.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Foto Diário da Manhã (Passo Fundo)

Primeira condenação penal de Maurício Dal Agnol é de oito anos e dois meses

 

Primeira condenação penal de Maurício Dal Agnol é de oito anos e dois meses

Decisão da 4ª Câmara Criminal do TJRS confirma, na essência, a pena aplicada na comarca de Passo Fundo. Mas, com o provimento parcial dos recursos do MP estadual e do réu, a pena foi redimensionada para oito anos e dois meses de reclusão, em regime inicial fechado. Quatro fatos envolvem porte ilegal de armas de fogo, munição de uso restrito; um caso trata de receptação.

Arte de Camila Adamoli sobre fotos do Hotel Renaissance (divulgação), Senado Federal e Camera Press

As férias frustradas do político condenado

 

As férias frustradas do político condenado

O paranaense Acir Gurgacz, senador (PDT) por Rondônia - eleito em 2014, com posse em 2015 e mandato por oito anos – está preso desde outubro de 2018. Cumpre, agora em regime domiciliar, pena de 4 anos e 6 meses por crime contra o sistema financeiro. O político – que o Senado não cassou - chegou a ter, esta semana, autorização judicial para passar 18 dias em Aruba.

Chargista Alpino

A “caçada” contra Lula e a apelação de 1.386 páginas

 

A “caçada” contra Lula e a apelação de 1.386 páginas

Razões de apelação da defesa do ex-presidente contra a sentença (12 anos e 11 meses) referente ao sítio de Atibaia diz que não reconhece legalidade, legitimidade, validade ou higidez nos atos praticados por Sérgio Moro. E também evoca o ministro Marco Aurélio: “O populismo judicial é superpernicioso”.