Ir para o conteúdo principal

Edição de terça-feira , 16 de abril de 2019.

Au revoir...



Esta se deve à argúcia informativa do jornalista sergipano Ancelmo Gois, da equipe de O Globo. Pois ele conta que o juiz estadual Rubens Roberto Rebello Casara conseguiu uma licença de dois anos no TJ do Rio e prepara-se para uma temporada distante do Brasil. Até março de 2021 ele estará em... Paris!

O magistrado licenciado vai acompanhar a esposa, a gaúcha e filósofa Márcia Tiburi, candidata derrotada (fez 447.376 votos > 5,85% do total de votos válidos) nas eleições para governador do Estado do Rio. Ela contou ao saite Uol “ter recebido ameaças de morte” e, por isso, já se auto exilou em Paris.

Rebello Casara, o cônjuge, foi um dos quatro juízes cariocas que participaram de um ato em 2017, em favor de Dilma Rousseff, que enfrentava o processo de impeachment.

A auto exilada Márcia Angelita Tiburi, natural de Vacaria (RS), 48 de idade, é uma artista plástica, professora de filosofia, escritora e política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores.

Graduada em Filosofia, pela PUC-RS (1990), e em artes plásticas, pela UFRGS (1996); mestre em Filosofia pela PUC-RS (1994) e doutora em Filosofia também pela UFRGS (1999) com ênfase em Filosofia Contemporânea.

Seus principais temas são ética, estética, filosofia do conhecimento e feminismo.

Durante cinco anos, ela foi uma das participantes do programa semanal “Saia Justa”, no canal por assinatura GNT, da Rede Globo.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli / Visual Hunt

Quatro decretos legislativos para suspender aumento automático dos salários das carreiras jurídicas

 

Quatro decretos legislativos para suspender aumento automático dos salários das carreiras jurídicas

Sem a aprovação de leis, o Poder Judiciário, o Ministério Público, a Defensoria Pública e o Tribunal de Contas – todos do Rio Grande do Sul - concederam aumento de 16,38% para todos os seus membros. O impacto anual é de R$ 250 milhões, suficiente para – durante um ano – pagar 5.000 policiais militares e 6.000 professores.