Ir para o conteúdo principal

Edição de sexta-feira , 14 de junho de 2019.

Au revoir...



Esta se deve à argúcia informativa do jornalista sergipano Ancelmo Gois, da equipe de O Globo. Pois ele conta que o juiz estadual Rubens Roberto Rebello Casara conseguiu uma licença de dois anos no TJ do Rio e prepara-se para uma temporada distante do Brasil. Até março de 2021 ele estará em... Paris!

O magistrado licenciado vai acompanhar a esposa, a gaúcha e filósofa Márcia Tiburi, candidata derrotada (fez 447.376 votos > 5,85% do total de votos válidos) nas eleições para governador do Estado do Rio. Ela contou ao saite Uol “ter recebido ameaças de morte” e, por isso, já se auto exilou em Paris.

Rebello Casara, o cônjuge, foi um dos quatro juízes cariocas que participaram de um ato em 2017, em favor de Dilma Rousseff, que enfrentava o processo de impeachment.

A auto exilada Márcia Angelita Tiburi, natural de Vacaria (RS), 48 de idade, é uma artista plástica, professora de filosofia, escritora e política brasileira, filiada ao Partido dos Trabalhadores.

Graduada em Filosofia, pela PUC-RS (1990), e em artes plásticas, pela UFRGS (1996); mestre em Filosofia pela PUC-RS (1994) e doutora em Filosofia também pela UFRGS (1999) com ênfase em Filosofia Contemporânea.

Seus principais temas são ética, estética, filosofia do conhecimento e feminismo.

Durante cinco anos, ela foi uma das participantes do programa semanal “Saia Justa”, no canal por assinatura GNT, da Rede Globo.


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser comentar ou esclarecer alguma notícia, disponha deste espaço.
Sua manifestação será veiculada em nossa próxima edição.

Comentários

Banner publicitário

Notícias Relacionadas

Arte de Camila Adamoli sobre fotos do YouTube (E) e Allysson Mainieri (D)

Impasse jurisdicional entre juíza e desembargador gaúchos

 

Impasse jurisdicional entre juíza e desembargador gaúchos

No julgamento de um agravo de instrumento contra decisão da magistrada Fabiana Kaspary – por descumprimento de uma decisão da 5ª Câmara Cível do TJRS - o desembargador Jorge do Canto aplicou a ela multa de 20% sobre o valor da causa. A Ajuris e a juíza interpuseram mandado de segurança, requerendo segredo de justiça. Este foi concedido e depois revogado pelo 3º Grupo Cível do tribunal gaúcho. Caso foi decidido anteontem (12) em julgamento de recurso especial. A multa não subsiste. Para o TJRS e o STJ “juiz não pode ser punido com multa do CPC por ato atentatório ao exercício da jurisdição”.

O julgamento da Lava-Jato e/ou Vaza-Jato

Conversas de Moro com procuradores e ação de hackers serão investigadas. A PF vai apurar ataque, enquanto a Corregedoria do MPF abre procedimento sobre a atuação de Deltan Dallagnol. O presidente da OAB gaúcha, Ricardo Breier, em nota, lembrou que a entidade “tem buscado – reiteradamente – a paridade das armas no processo penal”.

VOX MS

   As relações pessoais entre o então juiz, seu assessor e três advogados

 

As relações pessoais entre o então juiz, seu assessor e três advogados

 Um concurso para ingresso na magistratura em que Diego foi aprovado, mas Juliano não teve igual sorte.

 No mesmo dia da posse do juiz, porém, o amigo é designado para assessor. Então, os dois passam a morar juntos.

 O advogado Eugênio Costa e suas influências na comarca. Encontros para jogar vídeo games. E uma ida às compras no free shop do Chuí.

 O oferecimento dos serviços de futura consultoria advocatícia.

 “É nesse círculo de relacionamentos em que relações da vida privada (amizade, camaradagem, afinidades pessoais) se misturam com a vida profissional, que o Dr. Diego Magoga Conde passou a comprometer a sua independência de magistrado” – afirma o desembargador Rogério Gesta Leal.