Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre (RS), terça-feira, 14 de julho de 2020.
https://www.espacovital.com.br/images/mab_123_17.jpg

Futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos diz que homens e mulheres “não são iguais”



Camera Press

Imagem da Matéria

  Diferenças de gêneros

O futuro governo de Jair Bolsonaro já tem 20 ministros confirmados: Damares Alves foi anunciada titular do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, pasta que será criada em janeiro. Segunda mulher no primeiro escalão, Damares é advogada, pastora evangélica e assessora do senador Magno Malta, que foi cotado para vice de Bolsonaro, mas declinou e acabou perdendo a reeleição.

Em entrevista ontem (6) após anúncio de sua escolha, ela definiu seus objetivos: proteger “o direito à vida”, dar “atenção especial à infância”, e “trabalhar pela paz entre os movimentos conservador e LGBT".

Ela também assegurou seu empenho para garantir que “nenhum homem ganhe mais do que uma mulher desenvolvendo a mesma função”. Disse também que “não vai lidar com o tema aborto”.

Depois, em entrevista exclusiva à repórter Natália Portinari, do jornal O Globo, Damares revelou sua opinião sobre temas como identidade de gênero, violência contra a mulher e questão indígena. Disse que “homens e mulheres não são iguais” e que o casamento homoafetivo é um direito conquistado: “Não se discute mais”.

A futura ministra contou, ainda, ter sofrido violência sexual aos 6 anos e narrou sua trajetória de atuação em prol da proteção à infância.

Mãe adotiva de uma filha indígena, Damares Alves será a responsável pela Fundação Nacional do Índio (Funai), órgão que era alvo de um jogo de empurra na equipe de transição, por ser visto como fonte de problemas para o futuro governo.

Deputados da bancada evangélica aprovaram a confirmação de Damares, mas disseram que não patrocinaram a indicação.

 Advogados, colaborem!

Em recente decisão, o ministro (gaúcho) Paulo de Tarso Sanseverino, da 3ª Turma do STJ, chamou a atenção das partes por não terem informado o intento de realizar acordo, nem mesmo sua efetiva realização. O julgamento do recurso foi pautado, em 7 de novembro último, para julgamento no mesmo mês, dia 23. Conforme o relator, apenas na véspera o recorrente informou a celebração de acordo, ocorrida em 23 de outubro.

Sanseverino analisou e conclamou: “As partes, de modo cooperativo, poderiam ter informado o intento de realizar acordo, ou mesmo a sua efetiva realização e o aguardo da homologação, de modo a evitar que horas de trabalho fossem desperdiçadas para a confecção do projeto de acórdão e a procedimentalização da sessão.”

Feito o registo, o ministro não conheceu do recurso e determinou a baixa dos autos. Detalhe regional: o caso é do Rio Grande do Sul. Para mais detalhes, basta consultar o sistema processual do STJ. (REsp nº 1.626.108).

 Grandes devedores

Um grupo de 15 senadores e deputados eleitos em outubro deve R$ 660,8 milhões à União, em débitos com impostos e multas. Eles não se recusam a pagar, mas ajeitam programas de refinanciamento com abatimentos generosos.

Um nome emblemático é o do deputado Newton Cardoso Júnior (MDB-MG), o terceiro na lista dos devedores da União. Ele foi o relator do Refis de 2017 e beneficiário do programa. Com o perdão de juros e multas, o deputado obteve 92% de anistia. Pagou R$ 972 mil.

Terminando o ano de 2018, o deputado Newton está novamente na lista dos inadimplentes. Segundo dados da Fazenda Nacional, ele e suas empresas vão começar a nova legislatura com débitos de R$ 88,3 milhões.

O campeão dos devedores ainda é o senador Jader Barbalho (MDB-PA). Mesmo com o alívio no bolso via Refis do ano passado, ele enrola um débito de R$ 135,4 milhões.

Sua ex-mulher, a deputada Elcione Barbalho (MDB-PA), é a segunda na lista, com uma dívida de R$ 117,8 milhões.

Objetivamente: os parlamentares preferem aprovar o refinanciamento de suas dívidas do que votar a reforma tributária. Ou seja, devem, não negam, mas querem descontos.

  Pagamento em dobro

A falta do pagamento integral das férias até dois dias antes do início do período gera o direito de o empregado receber em dobro a remuneração correspondente, apesar de tê-las usufruído no período adequado. Com essa compreensão, a 1ª Turma do TST condenou a Companhia de Águas e Esgotos do Estado do Rio Grande do Norte (CAERN) a remunerar em dobro um eletromecânico.

Na reclamação trabalhista, o empregado comprovou que a empresa pagava antecipadamente apenas o terço constitucional (artigo 7º, inciso XVII, da Constituição da República), o abono pecuniário dos 10 dias vendidos e o adiantamento de parte das férias.

A petição inicial sustentou que a CAERN, ao realizar o pagamento de forma parcelada, não observou o prazo de dois dias previsto no artigo 145 da CLT. Então, pediu o pagamento em dobro com base no artigo 137 CLT.

O juízo de primeiro grau julgou procedente o pedido. No entanto, o TRT da 21ª Região (RN) afastou a condenação.

A 1ª Turma considerou a orientação da Súmula nº 450 do TST. De acordo com ela, é devido o pagamento em dobro da remuneração de férias, incluído o terço constitucional, com base no artigo 137 da CLT, quando, ainda que gozadas na época própria, o empregador tenha descumprido o prazo de dois dias previsto no artigo 145. (RR nº 979-69.2016.5.21.0008).


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Mais artigos do autor

Imagem: Divulgação

Roberto Carlos e Erasmo recuperam os direitos autorais de suas principais músicas

 

Roberto Carlos e Erasmo recuperam os direitos autorais de suas principais músicas

 

  • Em antecipação de tutela, Justiça do Rio devolve aos dois artistas a titularidade de toda a sua produção musical de 1960 a 1990.
  • A Universal Music desfrutava do direito inclusive sobre as reproduções em streaming - avanço da tecnologia que surgiu muito depois da contratação.
  • Estudante de Direito alagoana condenada por plagiar artigo de advogada gaúcha.
  • As críticas da advocacia do RS ao ritmo lento do Tribunal de Justiça.

Imagens: Freepik - Montagem: Gerson Kauer

Ainda não vimos tudo: juiz criou o “auxílio-água”

 

Ainda não vimos tudo: juiz criou o “auxílio-água”

 

  • O magistrado Antonio Marcelo Cunzolo Rimola, antes de sair do trabalho, passava na copa do fórum, enchia uma mochila com garrafas da água - algo como 6 litros por dia - e tomava o rumo do lar...
  • Também não tínhamos visto: presidente do TRT-RN desempata a favor de sua ex-esposa.
  • Suprema segurança para proteger ministros do STF custará R$ 5 milhões anuais.
  • Portal de apostas: o novo patrocinador do Corinthians.
  • Ex-diretor-presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar, agora será novo diretor da relações externas da poderosa Novartis.

Imagem: Freepik

“Eu não sou a minha irmã”

 

“Eu não sou a minha irmã”

 

  • São presumidos os danos morais sofridos pela mulher que foi processada e presa como se fosse... a própria mana.
  • Mas a indenização a ser paga pelo Estado do RS será de apenas R$ 10 mil.
  • As frases das redes sociais de um grupo de 40 advogados que está com saudade de ir ao fórum...
  • A debênture milionária com que Eike Batista quer garantir os R$ 800 milhões de sua delação premiada.
  • Bolsonaro pede ao filho Carlos que poupe o Judiciário.

Foto de Marcos Oliveira/Agência Senado.

Sentença nega repatriação de 176 mil francos suíços para a conta de Claudia Cruz

 

Sentença nega repatriação de 176 mil francos suíços para a conta de Claudia Cruz

  • A sentença argumenta que - embora ela tenha sido absolvida na ação penal por lavagem de dinheiro e evasão de divisas - o dinheiro tinha origem ilícita: era parte da propina paga a Eduardo Cunha.
  • A certidão de casamento rasgada ao meio: solução para marido e mulher toscos que não mais queriam ficar casados.
  • Apresentadora de tevê pagará indenização de R$ 30 mil para a cantora Ludmila, por comparar seus cabelos com esponjas de Bombril.

Foto: Visual Hunt - Arte EV

A dificuldade de isolamento social nas favelas brasileiras

 

A dificuldade de isolamento social nas favelas brasileiras

  • Uma pesquisa realizada em junho em 239 “comunidades” do país ouviu 3.221 pessoas. Veja bem a foto acima e imagine a rotina convivente.
  • A pornografia da vingança: STJ condena ex-namorado pela exposição não consentida da ex-parceira.
  • A plutocracia do presidente do Santander: quer que os empregados em home office deem um descontinho para o argentário banco.
  • Quando a empregada doméstica pode receber apenas meio salário mínimo de remuneração mensal.

Emiliano Capozol - Google Imagens - Arte EV

Irmãos gêmeos na busca pela identidade genética

 

Irmãos gêmeos na busca pela identidade genética

  • STJ julga na próxima semana mais um desdobramento do caso Roger Abdelmassih.
  • A propósito, o médico condenado a pena centenária cumpre (?) a reclusão em prisão domiciliar. Sem tornozeleiras, por insuficiência de aparelhos.
  • Quem paga mais Imposto de Renda? Um advogado militante, ou um juiz inquiridor?
  • 30% de cotas para negros em todas as eleições estaduais da OAB.
  • O ex-todo poderoso Boni (dos tempos gloriosos de Tv Globo) só sairá de casa quando chegar a vacina contra a Covid-19.