Ir para o conteúdo principal

Porto Alegre, sexta-feira, 30 de julho de 2021.
(Próxima edição: terça-feira, 3).

Pobres advogados que dependem do contencioso judicial



Montagem de Camila Adamoli sobre foto Google Imagens

Imagem da Matéria

Por João Francisco Rogowski, advogado (OAB-RS nº 16.923)

Tenho pena dos advogados que ainda dependem do contencioso judicial para ganhar a vida.

O governo dá uma cesta básica, um adjutoriozinho ao povo, mas o principal não tem: saúde, segurança e justiça pública.

Está na hora de a Advocacia repensar sua participação nos tribunais por meio do quinto constitucional. Infelizmente começo a acreditar que nós, advogados, não devemos integrar esse Judiciário que vem se transformando numa instituição de dramaturgia jurisdicional.

Mas minha indignação maior é como cidadão. Pagamos impostos escorchantes, somos feitos de palhaços e vamos recorrer a quem? Ao Judiciário?

O Estado brasileiro deve ser denunciando com urgência à Corte Interamericana de Direitos Humanos e em todos os fóruns internacionais possíveis.

rogowski@sapo.pt


A PALAVRA DO LEITOR

Se você quiser esclarecer, comentar, detalhar, solicitar correção e/ou acréscimo, etc. sobre alguma publicação feita pelo Espaço Vital, envie sua manifestação.

Notícias Relacionadas

Google Imagens

Projeto de lei autoriza porte de armas para advogados

 

Projeto de lei autoriza porte de armas para advogados

A mudança no artigo 7° do Estatuto da Advocacia. “A pertinência do PL n° 4426/2020, elaborado com o objetivo de garantir as prerrogativas legais do exercício da advocacia. A proposta baseia-se nos princípios da isonomia e está alicerçada nos direitos fundamentais previstos na Constituição de 1988”. Artigo do deputado federal Nereu Crispim

Álbum de família

Um começo de justiça para Mara Rúbia

 

Um começo de justiça para Mara Rúbia

Indenização será de R$ 350 mil. O viúvo demonstrou que o empregador negligenciou nos cuidados na prevenção contra o coronavírus, mesmo sabendo das comorbidades que incluíam a trabalhadora nos grupos de risco. Artigo do advogado Thiago Rocha Moyses

Charge de Gerson Kauer

Resistir para não nos transformarmos em advocacia amestrada

 

Resistir para não nos transformarmos em advocacia amestrada

“Estamos em tempos que parece ter havido um reflexo invertido entre o sonho do renascimento do diálogo e uma certa advocacia amestrada, sempre pronta a atender caprichos imperiais ou, como se diz nas democracias, abusos ou arbitrariedades”. Artigo do advogado Deivti Dimitrios Porto dos Santos, presidente da Subseção de Gravataí (RS).