Façamos um Comitê de Salvação do Grêmio!


Não gosto de dizer “eu avisei”. Durante os últimos anos, torcedores como Ricardo Wortmann e eu (e há muita gente que pensa igual) alertamos para o caos que se instalava no Grêmio e o “fator Conselheiro Acácio” – “As consequências vêm sempre depois”, platitude que se tornou clássica com Eça de Queiroz.

De rachão em rachão, de salarião em salarião, de delegação total do futebol em favor de Renato: eis o que deu. Futebolismo sindical!

Agora, à beira do abismo, estão saindo de suas bolhas, de seus mundos que só falam para convertidos.

Sim, grande parte dos participantes dos grupos políticos do Grêmio também são responsáveis pelo que está acontecendo no clube. Nem vou falar do modo como se perpetuam o preenchimento das vagas de conselheiros. Ser conselheiro é bom, pois não? Muitíssimo bom. Talvez por isso a renovação seja quase nenhuma. É bom demais.

Dirigentes se orgulhavam de pertencerem ao chapão.  Qualquer crítica que se fazia à condução do futebol do Grêmio era rechaçada por metralhadora giratória de chapa branca. "Vocês não são gremistas"; "Merecem ficar mais 15 anos sem títulos"; "Vocês são torcedores modinhas”; “Estão com saudades do Obino?"

O Grêmio perdia, saía desclassificado, era goleado e a explicação: um ponto fora da curva.

Agora o sapato apertou. A cobra está fazendo um exercício de tabagismo. O caos está próximo. Duas desclassificações patéticas, fora a perda de dois títulos por causa de goleiros mãos-alface (enquanto tínhamos dois goleirões na base). E contratações horríveis.

Milionárias rescisões de bruxos. Craques promissores (Tetê e Diego Rosa) sobrando para os Everton Fakes e Robinhos da vida. Agora todo mundo é crítico. Agora aparecem muitos profetas sobre o passado. Agora até o Grêmio Unido diz “Ah, assim não dá”. É? Os primeiros passageiros serão os primeiros a pularem da barca?

De minha parte, sugiro um comitê de salvação gremista (CSG). E já sugiro alguns jogadores para trazer (Lucas João, 27 anos, 1,92 m, joga no Reading da Inglaterra; Luís Javier Suares, colombiano de 24 anos, joga na Espanha; Curro Sanches, espanhol, 25 anos; Martin Marquelanz, 26 anos e atua na Espanha; e Juan Muños Leganes, 25 anos, meio campista). Vão por mim.

Outra providência de salvação: afastar bruxos que influenciam pessimamente o vestiário, como Rafinha (aliás, entrou contra o América e levou cartão...para não viajar para São Paulo. E assim por diante.

Ou nos livramos das saúvas ou elas devoram o time. Simples assim.

Repetindo, então: CSG! Comitê de Salvação do Grêmio! Já!