Bom humor para aliviar as tensões advocatícias


Já incorporada à linguagem coloquial de centenas de “rádios-corredores”, Brasil afora, a expressão “tartaruga forense” é, esta semana, o tema de uma nova descontração proposta pelo Espaço Vital. O objetivo: aliviar o estresse de advogados azucrinados pela demora na prestação jurisdicional.

Assim, fomos ao encontro de Francisco Cechin Júnior, que nunca fora locutor de rádio, mas que tem uma voz marcante. Propusemos que ele criasse uma “caça às tartarugas forenses” – hoje uma indesejável notoriedade da Justiça do RS e de outros Estados.

O resultado foi um áudio de pouco mais de dois minutos, em que O Vendedor Raiz se dirige à advocacia, a quem oferece um curso on line de caça aos quelônios.

O desfecho sonoro pode ser acessado pelo clicar no vídeo abaixo.

Permite-se o compartilhamento livremente, desde que mencionada a origem do áudio: https://www.espacovital.com.br/publicacao-39081-bom-humor-para-aliviar-as-tensoes-advocaticias 

A história do Chico

“Opa, tudo bem guri!”. Muita gente já ouvira essa frase que abre os áudios do Chico, o Vendedor Raiz, em que ele, com um estilo dos garagistas antigos, vende carros velhos ou exóticos e outros produtos, até passes de jogadores de futebol.

O bento-gonçalvense Francisco Cechin Júnior, 38 de idade, casado, pai de uma menina de 11 anos, é o autor do personagem que, há dois meses, o jornal O Garibaldense entrevistou, durante uma pausa na vida intensa que ele leva.

Cechin na verdade nunca trabalhou em uma garagem de carros. Mas a brincadeira começou em 2017, em um grupo de WhatsApp de uma ‘gurizada’ de sua cidade: o assunto do dia eram automóveis antigos. Nessa conversa ele deu o depoimento da compra do seu primeiro carro, um surrado Kadett 1990, da General Motors.

Daí para frente bombou. “A gurizada do grupo começou a printar os bricks diferenciados do Facebook e eu comecei narrar com o mesmo tom em que o vendedor do Kadett me abordou. Depois de um tempo, meus áudios estavam na boca do povo. O pessoal começou a me procurar, para vender coisas e anunciar aniversários, casamentos, comerciais, aí criei um personagem e comecei a cobrar”, conta.

Ele já fez áudios antológicos que alavancaram, como tentar vender Luan, ex-Grêmio, para o Palmeiras, e Potker, ex-Inter, para o Glória, de Vacaria. Também o Fusca com ar condicionado residencial e o automóvel Verona auto reverse.

Na vida profissional prioritária, Cechin é assistente técnico para a indústria de bebidas e outros líquidos. Há três semanas está em Brasília, participando da montagem de uma nova cervejaria.

Para o futuro, ele quer algo mais. “Trabalhar num programa, ou desenvolver um stand up, ainda estou panejando”, diz.  Os áudios podem ser encontrados no Facebook, Instagram e Youtube.