Desenhos situacionistas sobre a sucessão de dezembro do TJRS


Durante esta semana, o Espaço Vital conversou, por telefone e via WhatsApp, com o desembargador Tasso Caubi Soares Delabary. Ele  será um dos candidatos à presidência do TJRS nas eleições da segunda quinzena de dezembro.

Primeiro, ele ligou para informar que sua chapa (e de seus colegas Marilene Bonzanini, Jayme Weingartner Neto, Heleno Tregnago Saraiva e Eduardo Uhlein) “não expressa oposição ou desalinhamento à gestão em curso, no TJRS, que tem merecido admiração e aplausos”.

- É uma chapa de situação? – perguntou o editor Marco Antonio Birnfeld.

A resposta do magistrado: “Somos um grupo independente que apresenta uma proposta que implica em dar continuidade aos muitos acertos e incrementar com a visão própria do contexto e do futuro, com ênfase na inovação”.

Num segundo contato, na quarta-feira, foi do Espaço Vital a iniciativa de pedir que o magistrado Delabary escrevesse, para a edição de hoje, sobre o seguinte tema: “Cuidados e compromissos para evitar a ação danosa de hackers”.

Ele agradeceu, mas declinou do convite.

Sua resposta: “Neste momento, no auge da grave crise do Poder Judiciário Gaúcho, face ao ataque cibernético e à paralisação da atividade jurisdicional - que demanda intenso e complexo trabalho desenvolvido pela administração - não julgo seja oportuno e ético, no quadro atual, emitir qualquer juízo sobre a questão, ainda que fosse de uma maneira abstrata. Agradeço ao honroso convite do Espaço Vital, relegando para uma outra oportunidade, se assim for do interesse da editoria”.

Semelhante contato foi feito no mesmo dia com a outra chapa, por meio do desembargador Giovanni Conti, pedindo-se que ele, ou um de seus colegas de campanha (Iris Helena Nogueira, Alberto Delgado Neto e Lisete Andreis Sebben), escrevessem sobre “Cuidados e compromissos para evitar a ação danosa de hackers”.  

O artigo foi enviado à redação do EV ontem às 12h – e tem a assinatura da candidata a presidente. Ela prega o “comprometimento com a recuperação urgente dos sistemas afetados, para permitir o retorno da fluência dos prazos processuais e da rotina normal de trabalho”.

O grupo também é de situação, faltando definir o nome para uma das vice-presidências.

Seu texto pode ser acessado nesta mesma edição do EV. Basta clicar aqui.