No Rio, dos 204 que foram presos pela Lava-Jato, 196 já estão soltos


 Festejando o placar de 6x5

Dos 204 políticos, agentes públicos, e empresários presos pela Lava-Jato no Rio de Janeiro, 196 já estão em liberdade.

Apenas oito continuam em regime fechado. São eles: os ex-governadores Sergio Cabral e Pezão. E Affonso Monerat, Wilson Carlos, Edson Albertassi, Paulo Melo, Fábio Cardoso e Dario Messer, o doleiro dos doleiros.

Os defensores do octeto seguem fazendo força e planejando firulas processuais.

• A verdade vencerá...

O livro-entrevista "A Verdade Vencerá: o povo sabe por que me condenam" (Boitempo Editorial), lançado em 2018, terá uma segunda edição em dezembro. Conterá três entrevistas presenciais de Lula com Juca Kfouri, Maria Inês Nassif, Gilberto Maringoni e a editora Ivana Jinkings, que também fizeram 12 novas perguntas para a edição ampliada.

Lula entregou as respostas no dia 10 de outubro, antes de ser solto. Escreveu sobre o STF, o governo Bolsonaro, a Venezuela de Nicolás Maduro e suas leituras na prisão. A nova edição também terá a transcrição da fala logo após a liberdade em 8 de novembro.

• A alma honesta

Nem a edição passada do livro acima mencionado, nem a atualizada trazem qualquer referência ou evocação a uma frase que Lula lançou em 20 de janeiro de 2016. Foi quando ele se jactou de “não existir uma viva alma mais honesta do que eu", ao responder denúncias de envolvimento dele em esquemas de corrupção.

Na ocasião, desafiou comparativamente: “Não tem nem dentro da Polícia Federal, do Ministério Público, da Igreja Católica, da igreja evangélica, nem dentro do sindicato. Pode ter igual, mas eu duvido”.

• Testemunha de plantão

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), avisou publicamente que não mais receberá mulheres sozinho em seu gabinete. Estará sempre presente um assessor. Disse estar atendendo “sugestão” da esposa, depois de um vereador amigo ter sido acusado de assédio sexual contra uma visitante.

Na teoria e na prática, o prefeito desrespeita as mulheres mato-grossenses, como se todas estivessem prontas para dar um golpe em sua excelência.

• Quase ficou pelada...

Original a história contada hoje (19) pelo jornalista Ancelmo Gois, em O Globo. Diz assim:

“Uma universitária, de 20 anos, depois de experimentar umas roupas
na cabine da Zara, do Shopping Leblon, sábado passado, percebeu que
... a sua camisa havia sumido. Teve que comprar uma nova para não
ir pelada pra casa. Uma funcionária da loja disse que tudo seria
resolvido e deu para a jovem um número de telefone.
Só que era... fax”.